Edson Firmino, 44 anos, é natural de Tubarão. Tem quatro filhos e um neto. Vereador no segundo mandato, Edson é candidato a deputado federal pelo PDT. É formado em estudos sociais pela antiga Fesc, hoje Unisul. Atualmente, estuda administração a distância, na Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc). Comerciante, tem ligação com a política há pelo menos 17 anos. Edson também é pastor auxiliar da Igreja do Evangelho Quadrangular e, há mais de 20 anos, mantém um escritório de atendimento à população. A sua primeira candidatura ao pleito foi em 2000, quando recebeu 920 votos na campanha para vereador de Tubarão. Não foi eleito por falta de legenda do partido que representava na época. Em 2004, conquistou a cadeira parlamentar, com 1.844 votos. Foi reeleito em 2008, após receber 2.188 votos. Agora, enfrenta as urnas novamente, desta vez na esfera federal. “Fui motivado a ser candidato a deputado federal devido à carência de força política da região sul. Precisamos fortalecer a política do sul do estado”, justifica. Orgulha-se ao lembrar que já qualificou mais de 30 mil alunos em Santa Catarina nas mais diversas áreas. Cita como exemplo o curso do pró-jovem trabalhador, que reúne 300 jovens na região. “Incomodei o diretor do Sine até que o curso foi implantado em Tubarão. Até dezembro, 90 empregos serão gerados com carteira assinada”, comemora Edson.

Carolina Carradore
Tubarão

Notisul – Como candidato da região, qual a bandeira tem levantado na campanha?
Edson
– As obras da BR-101 têm que ter mais pressão. Como vereador, sou um dos políticos que mais cobra as ações e a velocidade da duplicação. Faço cobrança nas obras nas marginais. Também não admito que a compensação que foi dada pela BR-101 tenha sido canalizada no oeste. Por que foi para outra região e não ficou aqui, na nossa região? Também precisamos pressionar a conclusão do aeroporto regional sul. Em nível nacional, vou brigar para que as aposentadorias sejam melhoradas utilizando recursos do pré-sal. Se você onerar os encargos nos salários, suicida o trabalhador no sentido financeiro, e o brasileiro já está no seu limite de encargos, de descontos, impostos que lhe são cobrados. As empresas já estão com excesso de carga tributária. Então, por que o governo federal não destina parte daquilo que vai ter de lucro com o pré-sal para melhorar a aposentadoria? A perspectiva que nos foi dada é que o pré-sal vai ter aí uma durabilidade de 50 anos. Ate lá, novos mecanismos de melhoria da condição da aposentadoria serão levantados para suprir a deficiência. Também quero resgatar a dignidade do professor. Não concordo que o professor seja refém em uma sala de aula. O PDT é um partido que foca na educação e tudo que estiver projetos relacionados a esse setor terá o meu apoio. Defenderei também consórcios de segurança. Já fui presidente de conselho de segurança e sei como funciona. Quando tivermos uma cobertura da Polícia Militar, em uma ação conjunta, com comunidade, justiça e política, monta-se uma força-tarefa e assim dificulta a entrada da criminalidade. O crime não desaparece, tem a tendência de se deslocar. Se discutirmos políticas microrregionais e fizermos um consórcio de segurança, vamos dificultar o trânsito na nossa região no crime. Também sou defensor das cidades solares, da energia limpa, que cria linhas de financiamento para facilitar a aquisição de aquecedores solares. Esses equipamentos diminuem consideravelmente a conta de energia elétrica e reduzem os poluentes. É um projeto do governo federal que defendo. Também quero apoiar os vigilantes, pois hoje eles não têm uma classe que os represente e podemos mudar essa realidade.

Notisul – Para você, qual o papel exato do deputado federal?
Edson
– É representar o seu estado junto ao governo federal. O principal papel é garantir a soberania nacional. Daqui a pouco, cria-se um mecanismo que coloca em risco a nossa soberania, e isso é perigoso. Claro que lhe não impede de abrir espaço para discussão internacional, mas esse mercado aberto não pode ultrapassar alguns limites que dificultam o brasileiro de ser dono da sua nação.

Notisul – Como você avalia a atuação dos deputados federais que nos representaram até então?
Edson
– Penso que todos os federais, de uma maneira ou de outra, deram sua contribuição. Agora, inovar é importante. Com novas ideias você consegue melhorar o funcionamento das coisas. Coloco-me como uma opção inovadora para que as pessoas verifiquem trabalhos que ainda não existem e que possam passar a valer na nossa região e no nosso estado.

Notisul – Você faz dobradinha com alguém?
Edson
– Temos parcerias com mais de quatro candidatos a deputado estadual que fazem parte da nossa coligação.

Notisul – Como você formou a sua base eleitoral?
Edson
– Tenho muitos locais onde o PDT da região nos apoia. Através de todo o meu trabalho, que foi estadualizado, tenho cabos eleitorais em muitas regiões. Sou vereador do povo e sou o candidato federal que mais pediu voto pessoalmente à população, e vamos visitar 100% das casas em toda a região. Os meus voluntários trabalham nove horas por dia. Sou o candidato preferencial do PDT a deputado federal.

Notisul – Quanto você pretende gastar na campanha?
Edson
– Se vier mais aporte, deve ficar em R$ 60 mil, mas até esse momento está em R$ 40mil. Tive pessoas que viajaram no estado voluntariamente e fizeram contatos no sentido de buscar apoio. Quero aproveitar o espaço para dizer às pessoas acreditarem nos potenciais políticos que a região tem. Elas devem pensar se estão felizes com a força política que temos hoje. Se elas não estão, é importante que busquem fortalecer a política na região e isso ocorre votando em candidatos que são daqui.

As entrevistas realizadas pelo Notisul com os candidatos com domicílio eleitoral na região serão em ordem alfabética.

Já entrevistados
Deputados estaduais
Ada De Luca (15015) – PMDB – Laguna; Alexandre Moraes (15650) – PMDB – Tubarão; André Igreja (12123) – PDT – Imbituba; Arlei da Silva (23730) – PPS – Capivari de Baixo; Araildo Domingos Liberato (PG) (12312) – PDT – Capivari de Baixo; Carlos Stüpp (45888) – PSDB – Tubarão; Cleosmar Fernandes (22222) – PR – Laguna; Douglas Antunes (20200)- PSC – Tubarão; Joares Ponticelli (11223)- PP – Tubarão; José Nei Ascari (25111) – DEM – Braço do Norte; Keli Cordeiro Oliveira (45321) – PSDB – Laguna; Manoel Moura (12412) – PDT – Jaguaruna ; Olavio Falchetti (13413) – PT – Tubarão.

Deputados federais
Ademir Milo Mota da Silva (1320) – PT – Gravatal; Antônio João Tavares (1234) – PDT – Orleans; Edinho Bez (1515) – PMDB – Gravatal; Ondina dos Santos (1322) – PT – Laguna; Edson Firmino (1277) – PDT – Tubarão.