Rafael Andrade
Tubarão

Notisul – Tubarão já teve muita importância no cenário estadual do futebol. Por que está demorando tanto para a cidade conquistar outro título estadual?
Vamerson –
Acredito que o problema seja a rejeição ao nome (Tubarão), devido às dívidas de clubes que utilizaram ou utilizam este nome. Isto tira a credibilidade do futebol tubaronense. As várias mudanças no nome também atrasam a credibilidade do futebol da nossa cidade. Tubarão já tem o nome queimado. Há muitos comentários negativos a respeito. Vamos lutar para que o Hercílio Luz erga a taça pela terceira vez o quanto antes.

Notisul – Quantos funcionários integram o clube que você preside?
Vamerson –
São dez funcionários diretos. Durante a disputa da Divisão Especial do Campeonato Catarinense, este número sobe para 50.

Notisul – Quais são os títulos que o Hercílio Luz já conquistou?
Vamerson –
Os principais são o bicampeonato Estadual, em 1957 e 1958. O clube tem uma história riquíssima. Foi fundado em 1918 em Tubarão e é um dos mais tradicionais do Brasil. Tem dezenas de milhares de torcedores na Cidade Azul e em toda a região. Fomos várias vezes campeões do Campeonato Regional Sul e do Citadino, entre outros tantos torneios.

Notisul – Qual será a folha salarial do Leão este ano?
Vamerson –
O gasto com os jogadores gira em torno de R$ 35 mil. Somando todos os funcionários, totaliza R$ 50 mil durante o campeonato, que inicia no próximo mês.

Notisul – Qual o número de sócios que o clube tem hoje?
Vamerson –
Duzentos sócios. Destes, 50 estão com a mensalidade em dia. Existe um bom planejamento para conquistarmos cada vez mais colaboradores.

Notisul – O Hercílio Luz já pode ser considerado um clube-empresa?
Vamerson –
Estamos com este projeto encaminhado, onde o Hercílio pretende tornar-se uma empresa no patamar do que foi o Figueirense há cinco anos. Existem conversações entre os diretores do clube, a empresa parceira e os investidores. Cada um ficaria com uma cota administrativa.

Notisul – O que esperar do Hercílio, que almeja essa tão sonhada vaga na primeira divisão, há três anos, desde que voltou à ativa definitivamente?
Vamerson –
Temos um planejamento já definido, independente se o time subir ou não à elite. Nossas principais metas são: subir, representar bem o clube e almejar uma vaga para o Campeonato Brasileiro da Série D no próximo ano.

Notisul – A torcida do admira muito o Estádio Anibal Torres Costa (a casa do Leão) e cobra uma ampliação. Existe algum projeto nesse sentido?
Vamerson –
Nosso projeto é voltado para a modernização de todo o complexo esportivo da ‘Toca’. Terá um custo de R$ 2,2 milhões e contempla melhorias na iluminação, reformas intensas, ampliação e construção de um centro de lazer para a população.

Notisul – Quais as dívidas do clube?
Vamerson –
Temos uma dívida da década de 80 que totaliza um valor aproximado de R$ 100 mil. Hoje, pagamos ao INSS, parcelas de R$ 4 mil mensais. O Hercílio Luz fechou em 1992 devido essa dívida.

Notisul – Como o clube consegue recursos?
Vamerson –
Através dos associados. Existem também doações dos antigos diretores, dos conselheiros (uma média de 20 ativos). As placas de publicidade também nos auxiliam muito.

Notisul – Quantos diretores participam do clube?
Vamerson –
Na diretoria efetiva, são oito, mais sete subdiretores, além dos colaboradores, que são de extrema importância.

Notisul – Quantos jogadores serão contratados para o campeonato?
Vamerson –
Vinte e cinco. Serão 18 jogadores profissionais e sete da categoria de base. O clube investirá de forma significativa nessa ‘gurizada’.

Notisul – Qual é o recado que você deixa para a torcida colorada?
Vamerson –
Contamos sempre com a ajuda dos torcedores. Pedimos que continuem sendo fiéis, estando sempre ao lado do clube, e continuem demonstrando este amor à camisa. Peço que confiem no trabalho que é realizado pela diretoria, pois boas novidades em b¬reve surgirão dentro do estádio.