Antônio Tavares, o Tonton, é filho de Imbituba, mas adotou Orleans há quase duas décadas. Casado, tem dois filhos. Ocupou vários cargos públicos e sempre dedicou a vida ao magistério. Pela primeira vez concorre a uma vaga a deputado federal pelo PDT. “Faltam mais pessoas representando nossa região, que é carente, desassistida. Isso me motivou a concorrer a um cargo político”, afirma o professor. Tonton é formado em pedagogia pela Unisul, tem formação em ciências sociais, é mestre em administração de empresa. Também carrega no extenso currículo especialização em metodologia do ensino e em administração pública. Em Florianópolis, trabalhou na secretaria da educação de Santa Catarina, em 1976. Foi diretor financeiro administrativo da Zona de Processamento de Exportação (ZPE), com sede em Imbituba. Na cidade natal, foi secretário de administração em Imbituba, em 1982. Também atuou como secretário da educação e secretário de planejamento de Imbituba. E teve a sua vida marcada pela ditadura. Em 1974, disputou eleições diretas para o colégio Annes Gualberto, em Imbituba. Venceu as eleições, mas não pode ocupar o cargo devido ao regime militar. Na vida universitária, foi vice-presidente do DCE, na antiga Fesc, atual Unisul. Em Orleans, chegou a liderar a Associação Comercial e Industrial de Orleans. Em 2000, foi presidente da Academia de Letras da cidade. Fez parte da fundação do Centro Universitário Barriga Verde (Unibave), onde hoje é chefe de gabinete da reitoria.

Carolina Carradore
Tubarão

Notisul – Como candidato da região sul, qual a bandeira que você tem levantado na campanha?
Tonton
– Eu defendo uma escola de regime integral de educação. Há 18 universidades comunitárias particulares do sistema Acafe. O estado pode conveniar com esses aparelhos para que nessas universidades aconteça escola de regime integral. De manhã, o aluno estuda o ensino médio e no período vespertino. Ele aprende um ofício nos laboratórios das universidades. O estado pode disponibilizar até 30 mil vagas para jovens carentes, para que ele estude de manhã e, no outro período, aprenda uma profissão. Assim, ele pode entrar no mercado de trabalho e fazer a sua entrada na universidade. Se ele não passar na pública ou optar pela particular, ele pode ajudar sua família a pagar seus estudos. Penso também em uma reavaliação no estatuto do idoso. Fazer uma maneira com que o ele possa retornar ao mercado de trabalho. Precisamos pensar também em uma reavaliação dos salários defasados dos aposentados. De onde sairia esse recurso? do Pré-sal, de outros fundos. No estado, queremos que o artigo 170 seja ampliado para que possamos contemplar mais jovens com dificuldades financeiras. Outra proposta é que o Ministério da Educação compre mais vagas no sistema Acafe para jovens carentes.

Notisul – Para você, qual o papel exato do deputado federal?
Tonton
– O deputado não vai para câmara só para discutir. Ele precisa entender, saber das leis complementares. O deputado tem que estar bem preparado, porque senão ele envolve-se em comissões e não discute, apenas aprova. Se ele é de um partido menor, acaba aprovando em grupo, não discute nada e vira apenas um fantoche no congresso nacional. Queremos chamar a atenção do país da verdadeira posição de um deputado federal.

Notisul – Qual a sua avaliação dos deputados federais que nos representaram até então?
Tonton
– Foi uma representação mediana. Temos 16 deputados federais em Santa Catarina. É uma representação sem base. Queremos fortalecer a bancada catarinense junto ao governo federal.

Notisul – Quais as áreas precisam de mais atenção na nossa região?
Tonton
– Precisamos fortalecer o agronegócio e ter no sul do estado laboratórios com tecnologias avançadas para a produção alimentar, para a questão ambiental. Se eu for eleito, quero discutir e ser favorável à equiparação salarial do policial militar em Santa Catarina com Brasília, de acordo com o plano nacional.

Notisul – Qual a opinião do senhor pelo voto regional?
Tonton
– Sou muito favorável. Só assim se assume um compromisso muito forte com a região. Quero na minha história de vida escrever o capítulo da coragem, de estar no governo federal, defendendo e criando condições que cada catarinense sonha para si e sua família.

Notisul – Como você está formando sua base eleitoral?
Tonton
– Minha base é a região sul. Estamos visitando a comunidade, ouvindo os professores e saber o que eles desejariam que eu discutisse na câmara federal.

Notisul – Quanto você pretende gastar na campanha?
Tonton
– O suficiente para informar os 14 municípios que estou percorrendo, mais as cidades do norte e centro-oeste. Somos contra a compra de votos, não estamos comprando cabo eleitoral, nem liderança. Nossa campanha é franciscana.

As entrevistas realizadas pelo Notisul com os candidatos com domicílio eleitoral na região serão em ordem alfabética.

Já entrevistados
Deputados estaduais
Ada De Luca (15015) – PMDB – Laguna; Alexandre Moraes (15650) – PMDB – Tubarão; André Igreja (12123) – PDT – Imbituba; Arlei da Silva (23730) – PPS – Capivari de Baixo; Araildo Domingos Liberato (PG) (12312) – PDT – Capivari de Baixo; Carlos Stüpp (45888) – PSDB – Tubarão; Cleosmar Fernandes (22222) – PR – Laguna; Douglas Antunes (20200)- PSC – Tubarão; Joares Ponticelli (11223)- PP – Tubarão; José Nei Ascari (25111) – DEM – Braço do Norte; Keli Cordeiro Oliveira (45321) – PSDB – Laguna; Manoel Moura (12412) – PDT – Jaguaruna ; Olavio Falchetti (13413) – PT – Tubarão.

Deputados federais
Ademir Milo Mota da Silva (1320) – PT – Gravatal; Antônio João Tavares (1234) – PDT – Orleans.