Alexandre Moraes, 29 anos, é advogado e iniciou a sua paixão pela política na faculdade, quando entrou de cabeça no movimento estudantil. Disputando pela primeira vez, representa o PMDB como candidato ao legislativo estadual. O seu nome foi escolhido pelo partido após a desistência do deputado Genésio Goulart à reeleição. Casado e pai de uma menina, nasceu em São Paulo, mas ‘adotou’ Tubarão ainda criança. Realizou política estudantil quando estudava direito na Unisul. Chegou a ser presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE). Alexandre faz questão de lembrar que em sua gestão foi apresentado o primeiro projeto de lei de iniciativa popular do sul do Brasil, que tinha como proposta a democratização da universidade, com eleições diretas e prestações de contas. “Criei meu perfil político no movimento estudantil, minhas convicções, meus ideais, minha postura. Tudo iniciou como militante estudantil”, lembra Alexandre. Foi presidente da juventude do PMDB e membro do diretório da executiva. Atualmente, exerce o cargo de secretário geral da sigla em Tubarão. Alexandre quer ser um legislador moderno e um articulador na assembleia legislativa de um projeto de desenvolvimento regional para o sul do estado. Em entrevista ao Notisul, o advogado fala de suas propostas para a região.Alexandre Moraes, 29 anos, é advogado e iniciou a sua paixão pela política na faculdade, quando entrou de cabeça no movimento estudantil. Disputando pela primeira vez, representa o PMDB como candidato ao legislativo estadual. O seu nome foi escolhido pelo partido após a desistência do deputado Genésio Goulart à reeleição. Casado e pai de uma menina, nasceu em São Paulo, mas ‘adotou’ Tubarão ainda criança. Realizou política estudantil quando estudava direito na Unisul. Chegou a ser presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE). Alexandre faz questão de lembrar que em sua gestão foi apresentado o primeiro projeto de lei de iniciativa popular do sul do Brasil, que tinha como proposta a democratização da universidade, com eleições diretas e prestações de contas. “Criei meu perfil político no movimento estudantil, minhas convicções, meus ideais, minha postura. Tudo iniciou como militante estudantil”, lembra Alexandre. Foi presidente da juventude do PMDB e membro do diretório da executiva. Atualmente, exerce o cargo de secretário geral da sigla em Tubarão. Alexandre quer ser um legislador moderno e um articulador na assembleia legislativa de um projeto de desenvolvimento regional para o sul do estado. Em entrevista ao Notisul, o advogado fala de suas propostas para a região.

Carolina Carradore
Tubarão

Notisul – Como candidato da região sul, qual a bandeira que você irá levantar para a região?
Alexandre
– A minha proposta é lutar pelo fortalecimento de um projeto de desenvolvimento regional e passar a tratar a nossa região como um todo, não isoladamente. Se compararmos com o norte do estado e a Grande Florianópolis, percebemos que o sul tem perdido muito para essas regiões, em número de portos, de aeroportos, de estradas. Por exemplo, na região norte, temos o aeroporto de Navegantes, Florianópolis, Joinville. Se fomos citar a região sul, ainda temos o aeroporto de Jaguaruna em obras. Precisamos também pensar um pouco melhor no reaparelhamento do porto de Laguna e Imbituba, para montarmos essa cadeia de infraestrutura que vai possibilitar esse o crescimento à região.

Notisul – E qual seria a ideia do PMDB relacionada a esses projetos?
Alexandre
– Essas obras vão servir como base do projeto de desenvolvimento regional. A ideia do PMDB é discutir as vocações da nossa região, como, por exemplo, o turismo. Podemos citar o turismo no litoral da região, temos também o turismo religioso em Imaruí e em São Martinho e o turismo de aventuras em Santa Rosa de Lima. Há também o turismo cultural, como Pedras Grandes. Podemos articular toda essa potencialidade turística de forma articulada para que o turista que venha para o sul possa fazer um roteiro extenso em vários lugares. A questão da inovação tecnológica também é uma bandeira que tem que estar presente. Através de incentivos fiscais, o administrador pode fomentar o ingresso de empresas com essa vocação no município, são empresas pequenas, enxutas, que gera mão-de-obra de qualidade.

Notisul – Para você, qual o papel exato do deputado?
Alexandre
– Eu vejo como um legislador moderno uma figura de articulação e é esse papel que quero cumprir na assembleia legislativa. Quero ser o responsável por articular prefeitos, vereadores, sociedade civil em torno desse projeto, dessas ações regionalizadas.

Notisul – Quais as principais áreas que precisam de mais investimentos na região?
Alexandre
– Vou responder como crítico e como lutador pelos interesses da região, que está esquecida. São investimentos básicos em infraestruturas, como duplicação da BR-101, aeroporto regional, porto de Laguna e Imbituba, investimentos que têm que acontecer de imediato, pois sem eles a região não vai conseguir dar um salto de qualidade. Além disso, eu acredito que precisamos investir nas pessoas. O objetivo agora é investimentos nos professores. É inadmissível que não tenhamos uma sociedade mais justa, mais honesta, mais solidária, se tivermos professores mal remunerados.

Notisul – Como você avalia a atuação dos deputados que representaram a região?
Alexandre
– Acredito que o sucesso desse governo teve a contribuição dos deputados. A secretaria regional, por exemplo, foi um modelo que rompeu paradigmas. Agora, precisamos avançar. A ideia é fazer uma descentralização orçamentária e financeira das SDRs.

Notisul – Como você está formando sua base eleitoral?
Alexandre
– Olha, acabei sendo escolhido em uma prévia, após a desistência do deputado Genésio Goulart, no instrumento democrático do partido. A partir daí, buscamos diálogo com o PMDB em cada município da região e temos o apoio da maioria das cidades da região.

Notisul – Quanto você irá gastar na campanha?
Alexandre
– Vamos fazer uma campanha modesta, franciscana, objetivando apresentar ideias de projetos. Isso a gente não faz com dinheiro, e sim com bastante trabalho, bastante conversa.

Notisul – Como você enxergou a reedição da tríplice aliança (DEM/PMDB/PSDB)?
Alexandre
– Minha vontade era que o PMDB tivesse candidato próprio, até pelo excelente governo que apresentou. Gostaria que isso tivesse acontecido, mas precisamos continuar avançando em termos de desenvolvimento para Santa Catarina e, às vezes, é preciso fazer uma renúncia, como fez o PMDB. Estamos engajados nessa tríplice aliança, que tornou a chapa mais consistente no ponto de vista da competitividade eleitoral.

As entrevistas realizadas pelo Notisul com os candidatos com domicílio eleitoral na região serão em ordem alfabética.

Já entrevistados
Ada De Luca (15015) – PMDB – Laguna; Alexandre Moraes (15650) – PMDB – Tubarão; André Igreja (12123) – PDT – Imbituba.