Keli Cordeiro Oliveira, natural de Laguna, é casada e tem quatro filhos: Marcolino, Florinda, Francelina e Isabel, de apenas três meses. Filiada ao PSDB há quatro anos, ela concorre, em outubro, a uma vaga na assembleia legislativa. Tecnóloga em automação comercial, Keli já tem uma certa experiência em eleições. Em 2008 foi candidata a vereadora, em Laguna, mas não conseguiu eleger-se. Sua paixão pela política iniciou na infância, quando acompanhava os trabalhos do pai, que era cabo eleitoral. Tanto, que na adolescência chegou a participar de movimento estudantil em Laguna. “Criei-me dentro da política. Sei da sujeira toda que está por trás da cortina, coisa que o eleitor não enxerga, então quero tentar mudar essa realidade”, expressa a candidata. Keli concilia a campanha eleitoral com a maternidade. Onde vai leva os filhos à tira colo. “A mais nova ainda mama. Não posso deixá-la em momento algum”, valoriza a mãe cuidadosa. E é justamente a família o enfoque principal de seus discursos. As ideias que pretende levar adiante são as mesmas defendidas enquanto candidata à vereadora, há dois anos. “Conseguimos a instalação de uma clínica para dependentes químicos e vou lutar para que a cidade tenha a sua. Também quero lutar pelo bem-estar da famílias”, promete.

Carolina Carradore
Tubarão

Notisul – Como candidata da região, qual a bandeira que você irá levantar na campanha?
Keli
– Minha bandeira é a de Santa Catarina. A chave, por exemplo, símbolo da bandeira, representa a família. Então, se o estado não vai bem, a família não vai bem. Se Santa Catarina for bem administrada, a qualidade de vida de todos melhora. As famílias hoje estão doentes porque o estado está doente. Uma das minhas propostas é a criação de uma creche integral para atender também nos fins de semana e à noite. As pessoas esquecem que há muitas mulheres que trabalham nestes períodos e isso gera transtornos, pois muitas não têm com quem deixar seus filhos. É uma ideia que também acaba gerando emprego. Outra bandeira que quero levantar é a de criar clínicas para dependentes químicos em todo o estado. Como a mãe que tem um filho internado vai visitá-lo em outra cidade? Não tem condições. Em Laguna, por exemplo, os dependentes químicos eram internados em Criciúma. Hoje, a situação melhorou e temos uma clínica na cidade. Também quero apresentar projetos na área da saúde. Um deles é direcionado ao teste do pezinho que foi idealizado para detectar 17 tipos de anomalias genéticas. Porém, Santa Catarina só paga por quatro tipos. Se todas as crianças tiverem acesso ao exame completo, poderíamos tratar de doenças desde o início, com índices melhores de cura.

Notisul – Para você, qual o papel do deputado?
Keli
– A função de um deputado estadual é a de ser fiscal da aplicação das verbas públicas. O deputado também tem que fazer e votar projetos de interesse do povo, encaminhar pedidos junto ao governo estadual. O parlamentar também pode fazer pedidos ao governo federal, como por exemplo, para que dê mais atenção para as rodovias, universidades, portos, aeroportos e todas as áreas em que a população solicitar a sua presença.

Notisul – Qual sua avaliação dos deputados que nos representaram até então?
Keli
– Acho que 80% deles não representam o povo e sim a grupos dominantes. E temos vários exemplos que provam isso. Onde está a maioria dos deputados para pressionar a conclusão do trecho sul da BR-101? Onde está a maioria dos deputados para fiscalizar a aplicação das verbas? A segurança também está um caos. Presenciamos assaltos e assassinatos em plena luz do dia. Os deputados poderiam fazer mais.

Notisul – Na sua opinião, Quais são as áreas na região que precisam de mais atenção?
Keli
– Educação, saúde e infraestrutura são as áreas mais abandonadas na nossa região. O pescador artesanal também precisa de atenção. Temos vários tipos de pesca na nossa região que precisam ser desenvolvidos.

Notisul – Como você está formando sua base eleitoral?
Keli
– Estou fazendo uma campanha franciscana, de casa em casa. Meus filhos estão sempre juntos. A mais nova, de três meses, vai até em comícios. Conta também com a ajuda dos amigos. Sou mãe e mulher e é difícil, em uma sociedade cheia de preconceitos, conquistar espaço, mas estou lutando para isso. Também aposto na internet. Temos muitos apoiadores virtuais, em blogs, orkuts.

Notisul – Quanto você pretende gastar na campanha?
Keli
– O mínimo possível. Não tenho verba. Só ganhei os santinhos do partido. Está bem difícil, por isso que aposto no voto do coração, das pessoas que sabem que quero lutar por Santa Catarina. Com fé em Deus e o apoio de meus eleitores, tenho certeza da minha vitória.

As entrevistas realizadas pelo Notisul com os candidatos com domicílio eleitoral na região serão em ordem alfabética.

Já entrevistados
Ada De Luca (15015) – PMDB – Laguna; Alexandre Moraes (15650) – PMDB – Tubarão; André Igreja (12123) – PDT – Imbituba; Arlei da Silva (23730) – PPS – Capivari de Baixo; Araildo Domingos Liberato (PG) (12312) – PDT – Capivari de Baixo; Carlos Stüpp (45888) – PSDB – Tubarão; Cleosmar Fernandes (22222) – PR – Laguna; Douglas Antunes (20200)- PSC – Tubarão; Joares Ponticelli (11223)- PP – Tubarão; José Nei Ascari (25111) – DEM – Braço do Norte; Keli Cordeiro Oliveira (45321) – PSDB – Laguna.