Zahyra Mattar
Tubarão

Notisul – Qual a sua avaliação da coligação pela qual você é o cabeça-de-chapa?
Genésio
– Muito positiva. Todos os partidos que estão coligados conosco são siglas que vieram exatamente nos procurar para dar a sua contribuição. Diferente de outros partidos que vieram pedir vantagem, dinheiro e secretarias. Não foram todos, claro. Mas teve sigla que veio pedir cinco secretarias, outras queria R$ 100 mil. Descartei todos. Quero buscar união para que possamos fazer uma boa administração do município. Não vou ser prefeito para comprar meia dúzia de pessoas e desprezar o resto da nossa cidade.

Notisul – Que projetos englobam o seu plano de governo?
Genésio
– Eu estou preparado, sinceramente, para administrar a cidade. Eu já consegui colocar Tubarão na 20ª posição em qualidade de vida do país. Agora, tenho mais conhecimento, especialmente das necessidades da nossa cidade. Uma das metas é tornar Tubarão uma das cidades com melhor índice qualidade de vida do Brasil novamente. Outro ponto é promover uma descentralização para atender toda a população, construir um posto de atendimento 24 horas, um centro administrativo, trabalhar em parceria com as entidades, clubes de serviços, sindicatos e funcionários de carreira da prefeitura. Quero que eles me apresentem as dificuldades de cada área e os projetos para melhorarmos. Vamos dividir a cidade em quatro setores. Cada área terá uma retroescavadeira, uma patrola, uma caçamba e um trator para não deixar o povo do interior abandonado e desprezado. Para quando a estrada tiver ruim, o maquinário já estar próximo para resolver o problema. Em cada ponto, terá um funcionário de carreira da prefeitura para acompanhar o desenvolvimento e as necessidades de cada setor. Quero ser prefeito novamente porque não quero mais ver o povo da nossa cidade sofrer.

Notisul – Na sua visão, qual a maior necessidade de Tubarão hoje?
Genésio
– Qualidade de vida resume tudo. Quando você tem isso, é sinal de que todas as áreas estão recebendo o devido investimento.

Notisul – O atual prefeito, Carlos Stüpp (PSDB), sempre definiu como prioridade investimentos em saúde, educação e assistência social. A sua avaliação é diferente? Se eleito estas também serão sua prioridade?
Genésio
– Não, minha avaliação não é diferente. Sim, também serão minhas prioridades. Quando eu fui prefeito, contratamos 60 médicos a mais, construímos dois postos de saúde a mais, ampliamos os que já tinham. Na educação, também tivemos grande sucesso. Escolas em bom estado, merenda de qualidade e professores capacitados. Na área social, fizemos mais de 100 casas populares, doamos mais de 30 terrenos para famílias economicamente carentes, construímos casas ou ajudamos as pessoas a fazer. Mas não foi só isso. O campo do ferroviário foi comprado na minha. Pavimentamos, recapeamos ou asfaltamos mais de 200 ruas. Construímos o Museu Willy Zumblick, ajudamos a construir o fórum, o Cecontu.

Notisul – O município está para receber uma ‘bolada’ de dinheiro referente ao pagamento de ISS dos bancos, de leasings. Estes recursos deverão estar disponíveis somente na próxima administração… Onde você investirá se for eleito?
Genésio
– Exatamente no desenvolvimento do meu projeto para a cidade, no meu plano de governo. E tomara que seja verdade a vinda desse recurso, porque corremos o risco de ter que devolver o que já veio.
Notisul – Você concorda com a municipalização da água?
Genésio – Meu projeto quanto à água é fazer duas coisas. A primeira é tentar negociar com a Casan, para trazê-la de volta para que faça o esgoto sanitário em toda a cidade. Ou então continuar a administração através da prefeitura. Mas a meta é fazer o esgoto sanitário. Seja de uma forma ou de outra, não vamos trazer empresa de fora para levar os nossos recursos.

Notisul – Uma das maiores reivindicações do tubaronense é uma solução definitiva para o problema do Rio Tubarão. Você já pensou no que fazer a respeito?
Genésio
– Já. Inclusive, já fiz. Quando eu fui prefeito, fiz, junto com a Unisul, um projeto de despoluição do Rio Tubarão, desde Orleans até Laguna. Existe até um orçamento pronto. Mas como, infelizmente, não fomos reeleitos, o projeto ficou engavetado. A idéia é retomar este projeto.

Notisul – Na sua opinião, é possível fazer uma avaliação positiva da atual administração municipal?
Genésio
– Eu não gostaria de dar esta resposta. Até por que cada prefeito fez alguma coisa dentro do que pôde. O atual prefeito também está fazendo alguma coisa. Mas deveria ter feito isso nos oito anos e não só a cada três anos. De qualquer forma, com toda honestidade e sinceridade, parabenizo o prefeito por suas obras. São importantes para a cidade. Ainda que muitas ficarão incompletas.

Notisul – Com base em sua experiência como prefeito de Tubarão, o que você faria novamente e o que não repetiria? Houve algum grande erro?
Genésio
– Quando fui prefeito, não tive tempo para fazer tudo o que queria. Primeiro, porque não tinha tanto conhecimento. E, depois, porque no meu último ano entrou em vigor a Lei de Responsabilidade Fiscal. Ainda assim, acredito que consegui fazer muitas coisas lindas, muitas coisas boas. Tubarão foi até matéria do Fantástico pela qualidade de vida, por ter o segundo menor índice de mortalidade infantil do país e pela geração de emprego. Minha vontade é repetir isso e fazer mais três vezes mais. Agora tenho a experiência necessária. Agora, se tem um erro que não vou repetir, será me cercar de pessoas sem conhecimento. Desta vez, quero buscar as pessoas certas para colocar nos lugares certos.

Notisul – A atual administração chegou a ter 221 cargos comissionados. Como você avalia isso? Pretende diminuir esta quantidade, tanto de cargos quanto de secretaria, caso seja eleito?
Genésio
– Primeiro, irei buscar a necessidade de cada secretaria. Se é preciso cinco funcionários, é o que terá. Mas não 20.

Notisul – A atual administração tem um projeto pelo qual o tubaronense reivindica a conclusão. Trata-se da remoção dos trilhos da ferrovia na avenida Marcolino Martins Cabral, no centro. Não há certeza se a obra poderá, ou não, ser terminada ainda este ano. Caso não ocorra, você pretende dar continuidade a este projeto, apesar de não o ter criado?
Genésio
– Com certeza absoluta. Esta continuidade precisa ocorrer. O que eu receber de herança, se for bom e o povo aprovar, será mantido ou feito. Não tem por que ser diferente.

Notisul – Se não for eleito, quais os seus planos? Que rumo seguirá profissionalmente? Continuará na política?
Genésio
– Continuo como deputado estadual, até 2011, e na administração das minhas empresas, aqui em Tubarão. Agora, se depois disso ainda continuo na política? Não sei. É muito cedo para responder isso.