Um menino de raízes açorianas, que nasceu no interior da comunidade conhecida como Km 37, atual município de Pescaria Brava. É filho do pescador Elzo Medeiros dos Santos e da dona de casa Santina Luiza dos Santos. Aos 6 anos trabalhava na plantação em Taquaruçu, nas roças de mandioca e de milho e nos fins de semana saía para vender torradinha, cartucho e cocada nos campos de futebol e nas festas de igreja da região. Com 12 anos, foi ajudar o pai em uma banca de verduras no Mercado Público de Laguna. Sempre determinado, passou em um concurso aos 18 anos, para ser funcionário da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), empresa que está licenciado até hoje. Como é muito ativo, quando pode, joga um carteado ou se tiver uma boa programação, música ao vivo, é sempre um bom convite para noite. Hoje, com 50 anos, Everaldo dos Santos sonha em ser um grande prefeito para cidade e, no futuro, não muito longe, governador dos catarinenses.
 
 
Silvana Lucas
Laguna
 
Notisul – Quando você era candidato, o seu projeto era fazer uma nova cidade de Laguna. Isto já ocorre?
Everaldo dos Santos – Já mudaram as características do município. Hoje, o veranista ou turista que chega percebe a diferença dos anos anteriores. Ouço muitos comentários positivos de pessoas que dizem ser possível acreditar em Laguna. Sabemos que muita coisa mudou, o principal, talvez, seja a autoestima dos lagunenses, que andava desacreditada. Os moradores estavam desanimados com a situação da cidade, meio para baixo e relaxada. Hoje, são visíveis as transformações. Agora, praias e ruas estão limpas, o lixo é recolhido religiosamente em dia, são realizados periodicamente serviços de jardinagem, troca da iluminação pública, até por questões de segurança. Melhorias no acesso ao município, como a avenida João Marronzinho, restaurada com lajotas e a Calistrato Müller Sales, a qual está toda pavimentada com um novo asfalto. Até o início da próxima semana devem ser concluídos os serviços de sinalização e, até o próximo mês, deverá ser aberta para licitação da obra de revitalização da João Marronzinho. Considero um cartão postal da cidade em um futuro próximo. Uma nova estrada, com cabeamento subterrâneo, ciclovia, camada asfáltica emborrachada será elaborada. Será um modelo de via inédita no sul do estado.
 
Notisul – Como estão as áreas de saúde, educação e infraestrutura?
Everaldo – Na saúde, o secretário Luiz Felipe Remor realiza um bom trabalho. Compramos alguns automóveis e, em breve, vamos adquirir duas ambulâncias, uma deve ser deixada à disposição 24 horas por dia na comunidade da ilha, ou seja, para os moradores do Farol, Cigana, Campos Verdes, canto da Lagoa, Passagem e Ponta de Barra. A outra ficará na localidade de Ribeirão, para os moradores da Madre até o bairro do Bananal. Comunidades longínquas, distantes do centro, porque consideramos que a saúde deve estar sempre em primeiro lugar. Quanto à educação, temos projetos de ampliações de escolas, reformas em centros educacionais, construções de creches, inclusive, construções de quadras e ginásios esportivos. Pagamos o piso nacional dos professores e reconhecemos a hora atividade. Neste ano, vamos fazer algumas correções para os educadores do magistério. Vamos valorizar ainda mais a educação e a saúde. Na área da saúde, contratamos mais profissionais, mais médicos, enfermeiros e dentistas. Na secretaria de obras e saneamento, o secretário Orlando Rodrigues trabalha com maquinários, alguns foram locados para realizar serviços que estavam pendentes, como motoniveladores e caminhões. Equipamentos que dão suporte a todas as estradas municipais, muitas ainda de chão batido. Para outras vias, já temos alguns projetos encaminhados, como é o caso da avenida João Marronzinho, antiga Castelo Branco. Devemos pavimentar de lajotas o trecho da estrada da comunidade de Caputera. Neste ano, queremos lançar o edital de licitação da pavimentação entre os bairros de Bananal a Parubé, de aproximadamente cinco quilômetros. Também vamos olhar com carinho para os todos os bairros, contemplá-los com duas ou mais obras, no mínimo.  
 
Notisul – Em Tubarão, está em construção uma Unidade de Prontoatendimento (UPA) 24 horas. Há interesse do poder público em construir uma unidade deste porte na Cidade Juliana?
Everaldo – Tínhamos um projeto de construir uma UPA na comunidade da Ilha, mas, ao visitar o Ministério da Saúde, apavorei-me com o custo. Não com o valor da implantação da unidade, até porque isto é muito fácil, as dificuldades estão em manter o local em funcionamento. O custo de uma unidade 24 horas é R$ 200 mil por mês, isto significa R$ 2,5 milhões por ano. Com este valor, conseguimos atender todos os bairros do interior do município, então, não há condições, em hipótese alguma, de termos uma na cidade. Preferimos suprir mais as nossas comunidades, com mais medicamos, mais postos de saúde, atendendo com mais qualidade, com mais carros, melhores estabelecimentos e transportes de pacientes para tratamento na capital. Em virtude da manutenção, não há condições de termos uma unidade 24 horas. Por que quem constrói a UPA é o governo do estado, mas quem mantém é o município, que não tem condições de ter este gasto.
 
Notisul – O que já foi construído para o tratamento de esgoto na cidade?
Everaldo – Laguna já apresenta avanços nestes trabalhos. Temos duas estações de tratamento de esgoto (ETE) em construção no bairro de Magalhães, onde as obras já estão bem avançadas. Atualmente, devem estar com 40% concluídas, que nos próximos quatro meses devem ser finalizadas. O município deve ser uma das poucas cidades catarinense que deva ter 70% de todo perímetro urbano, com todo saneamento básico. Hoje, algumas pessoas reclamam dos transtornos que geram as obras de tratamento. Sei que algumas têm razão, sei que, para fazer o trabalho, é obrigado abrir buracos, furar as ruas, mas sempre digo: o transtorno é passageiro, o benefício é permanente. Afinal, ninguém quer ver o esgoto saindo nas praias, nas ruas, ele tem que ser tratado e de forma correta.
 
Notisul – Ainda existe a proposta de construção de um restaurante escola em uma estrutura já pronta, na avenida João Marronzinho?
Everaldo – Estou trabalhando com os secretários, o de turismo e lazer João Carlos Fagundes e o da educação e esporte, Luís Fernando Lopes, para podermos realizar um convênio e chamar para Laguna o reitor da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), para uma parceria com o município. Queremos implantar um curso de gastronomia. Em troca, faremos uma seção de uso do restaurante escola para implantação de um curso universitário neste seguimento. Este é um dos objetivos que eu gostaria que fosse realizado no meu governo ainda neste ano.
 
Notisul – Há planos de construir um teleférico com vertentes para o Morro da Glória à praia do Mar Grosso e outra para o centro histórico. É possível esta obra aqui na Cidade Juliana? 
Everaldo – Já analisamos as viabilidades. Está em fase de elaboração um projeto que deva ser entregue até abril, inclusive, existe o interesse de um grupo espanhol em investir na criação de um teleférico. Um grande investimento com retorno em médio e longo prazo, o qual terá condições de competir com cidades como Balneário Camboriú e Rio de Janeiro, porque se depender de belos visuais, isto é o que mais temos.
 
Notisul – Um grupo do jogador Ronaldinho Gaúcho tem realmente interesse de investir em Laguna?
Everaldo – O grupo Assis já demonstrou interesse de investir sim! Adquiriram um loteamento de aproximadamente 80 hectares, ou seja, 80 campos de futebol na localidade de Campos Verdes. Devem lançar, em poucos meses, este empreendimento. Falta somente licenças de órgãos ambientais, onde somos parceiros, porque precisamos de investidores de pessoas corajosas que acreditem no potencial do município. É importante que o empresário Assis, irmão do jogador e o próprio Ronaldinho, construam um condomínio fechado, um local que traga outros investidores, pessoas com maior poder aquisitivo, personalidades, jogadores, enfim, novos públicos que em virtude disto, surgiu a possibilidade do grupo se candidatar a ser investidor para construção de uma ponte flutuante na Passagem da Barra. É uma estrutura móvel e de construção rápida – de dez a 12 meses para uso de uma concessionária para o local com vigência de exploração, por exemplo, de 20 anos. Este tipo de estrutura é interessante, porque o governo estadual e também o municipal não têm condições de realizar este projeto sozinho, é necessário uma parceria da iniciativa privada. Gostei da ideia e o poder público é companheiro nesta mudança. Precisamos investir no turismo e, para que isto ocorra, temos que construir uma nova passagem no pontal. Precisamos do investimento do grupo Assis, precisamos do teleférico e outros investidores. Temos que mostrar o que Laguna tem de bom, não só para os catarinenses, mas também para os brasileiros e estrangeiros.
 
Notisul – O tenista Gustavo Kuerten também tem interesse de investir na região? 
Everaldo – Ele já comprou um terreno grande, de aproximadamente 100 hectares (100 campos de futebol), entre a Praia do Sol e a Praia do Gi. Em breve, ele marcará uma reunião comigo, inclusive nesta semana, a sua assessoria solicitou um levantamento do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU), do seu terreno para pagar. Valor que deve ultrapassar os R$ 200 mil.
 
Notisul – Já entrou para os cofres públicos do município, por meio do Imposto Sobre Serviços (ISS), pelas obras da Ponte Anita Garibaldi, um valor em torno de R$ 26 milhões. Onde foram investidos e quanto falta receber? 
Everaldo – Já devemos ter recebido mais de R$ 10 milhões. Aplicamos este valor em obras, compra de medicamentos, pavimentação, construção e reformas. O dinheiro foi bem aplicado e investido. O restante continuará a ser empregado da mesma forma, na área central e nos bairros da cidade.
 
Notisul – Neste verão, Laguna oferece muitas atrações com artistas nacionais em local público, a maioria na Praça Seival, mas, para os moradores e turistas participarem, precisam comprar ingresso. Como fica a programação para os populares? 
Everaldo – Hoje, temos uma praça de eventos, a Seival, uma obra que custou mais de R$ 700 mil. É modelo para o sul do estado, com uma vista privilegiada. Realizamos uma licitação para empresas se candidatarem à produção de eventos. A vencedora já trouxe oito shows nacionais, o que é óbvio, tem um custo. Em troca, eles doam alguns ingressos para o município, que trocava por alimentos não perecíveis. Além disso, a cidade ganha com a vinda dos turistas que gastam por aqui com hospedagem, alimentação e automaticamente melhora a receita dos cofres públicos. Além de cobrarmos também o ISS dos shows realizados. Neste acordo, não foi somente a empresa que visou lucro, a prefeitura ganhou com a programação e o município também cresceu na geração de empregos para atender o público que veio participar. Desta forma, melhora a receita do município, que pode oferecer em outras oportunidades atrações gratuitas.
 
Notisul – A proposta do Carnaval atual da cidade é uma festa para blocos. Esta posição não transforma a tradição popular em um evento de elite, já que para participar tem que comprar um abadá? 
Everaldo – A participação dos nossos blocos populares é cada vez mais forte. Eu sempre digo que o nosso Carnaval é o melhor do Brasil. É a festa do povão. Tanto é que as escolas não vão desfilar neste ano porque não houve prestação de contas por parte deles. Com isto, vamos investir mais nas praias e nas ruas. Vai ter Carnaval na Cabeçuda, na Ponta da Barra, no Farol de Santa Marta, do bloco da Pracinha, na praia. Eu não considerado o Carnaval um festa para a elite, sei que há diferença nos preços dos abadás, conforme os blocos. Como ocorre em outras grandes cidades brasileiras, até porque não tem como fazer uma festa e arcar com todos os valores sozinhos, fazer tudo gratuitamente. Laguna tem um Carnaval forte de rua e, nesta edição, vamos oferecer atrações, como o trio elétrico todos os dias, das 16 às 4 horas. Na terça-feira, haverá o show nacional gratuito, com o Jeito Moleque no trio elétrico. Esta programação é inédita para o município. Será o Carnaval do povão, do pescador, do morador, do veranista e do turista.
 
Notisul – O senhor deixará a presidência da Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel) no próximo mês, pretende assumir outra entidade?
Everaldo – Não. Foi uma grande experiência, vou continuar a participar, ser voluntário, ser atuante, mas vou me dedicar exclusivamente à cidade e região. Devo focar mais nos nossos  projetos, planos e ações, que queremos implantar e que preciso estar mais envolvido. Continuarei a contribuir com os colegas, porque fortalecendo as lideranças quem ganha é a região.
 
Notisul – Qual será a grande contribuição do prefeito Everaldo no fim do mandato?
Everaldo – Quero deixar um legado que nenhum outro prefeito tenha realizado. Um legado de obras de grande vulto, como as de saneamento da João Marronzinho, como a ponte da Passagem da Barra, como o acesso ao Farol e outras estradas. Inclusive, valorizar mais as regiões interioranas, como a pavimentação de Ribeirão Pequeno e sair de cabeça erguida. Vou fazer de tudo para deixar a prefeitura redondinha, sem dívidas pendentes e, acima de tudo, com meu nome limpo. Este vai ser o melhor prazer da minha vida.
 
Notisul – Depois da administração municipal, quais as suas pretensões políticas?
Everaldo – Todos os políticos têm pretensões de ascensão. Tenho um objetivo, não para ser realizado amanhã, mas para o futuro, pretendo ser governador de Santa Catarina. O projeto político que tenho em minha cabeça é preparar, para 2018, um representante da Amurel na Assembleia Legislativa e, quem sabe, para 2022, um salto maior em direção ao governo do estado.
 
Everaldo por Everaldo
Deus – tudo
Família – tudo também
Trabalho – faz parte do ser humano 
Passado – recordações boas
Presente – não medir esforços
Futuro – a Deus pertence
 
"O Carnaval de Laguna será o melhor os últimos 50 anos"
 
"As coisas que eu mais prezo são a honestidade e transparência"