Amanda Menger
Tubarão

Notisul – Em sua avaliação, o que contribuiu para o resultado da campanha?
Manoel Bertoncini
– Alguns fatores foram importantes. Um deles foi o apoio dos partidos que compõem a coligação; outro foram os candidatos a vereador, que se empenharam muito; outro foi o envolvimento do prefeito Carlos Stüpp (PSDB), do deputado Joares Ponticelli e dos coordenadores de campanha. Não tenho dúvida que a propaganda eleitoral na televisão contribuiu para a vitória. A TV deu oportunidade para o eleitor conhecer a fundo os candidatos, as suas virtudes, defeitos, os seus programas, o seu potencial. A TV desnudou os candidatos.

Notisul – Já começaram as discussões para a formação do secretariado?
Bertoncini
– Dizem que em time que está ganhando não se mexe, mas acredito que pode ser reforçado. Vamos reavaliar, inclusive, o tamanho do governo, para que tenha o tamanho exato, nem menor, nem maior. Temos um compromisso para que aqueles que participaram da campanha também participem da gestão do município.

Notisul – O governo Stüpp chegou a ter mais de 200 cargos comissionados, número que, após reforma administrativa, caiu pela metade. Quantos cargos comissionados terá a sua administração?
Bertoncini
– Quero rever um estudo feito no governo Stüpp pelo Instituto Brasileiro de Administração Municipal (Ibam) e tem uma proposta de estrutura para o governo de Tubarão. Quero resgatar este estudo e discutir com os partidos da coligação e com os vereadores da base aliada para darmos um tamanho adequado ao município que corresponda às necessidades. Não queremos um governo menor que não atenda com a justificativa de economia e também não queremos um governo maior que atenda aos “interesses políticos-partidários”.

Notisul – A câmara de vereadores teve uma renovação de 60%, e o senhor terá a maioria ao seu lado. Como avalia esta composição?
Bertoncini
– Se eu pudesse ter os dez vereadores da nossa coligação, eu iria gostar. Mas isso seria impossível. Temos seis vereadores da nossa coligação e isso é um dos fatores que irá favorecer o nosso relacionamento com o legislativo. Não tenho nada a questionar sobre a composição da câmara, porque representa a vontade dos eleitores de Tubarão e, a meu ver, está muito bem representado.

Notisul – Ainda sobre o secretariado, quando pretende divulgar os nomes? Há possibilidade de chamar alguns dos vereadores e até suplentes de sua coligação? Nilton de Campos e João Batista de Andrade, o Sargento Batista, ambos do PSDB, já foram secretários, poderão voltar a ser?
Bertoncini
– Não há definição de prazo. Até poucos dias, estávamos nos dedicando à eleição. Todos os partidos que estão na nossa coligação participarão da administração. Por isso, precisamos fazer uma reavaliação da estrutura de governo. Não há prazo para anunciar os nomes. O que posso dizer é que serão pessoas capacitadas para estar nos cargos que serão indicados. Se os vereadores eleitos estiveram à disposição, tiverem o perfil, podem ser chamados se for esta a avaliação que a composição partidária chegar. Acredito que Dionísio Bressan (PP) pode ocupar qualquer secretaria, Deka May (PP) também, Nilton, Batista também, só para citar alguns nomes.

Notisul – O prefeito Carlos Stüpp já disse que a sua grande obra foi a causa do ISS. De início, o município receberá R$ 100 milhões e ainda haverá um incremento na arrecadação com os impostos que serão recolhidos. Como o senhor pretende investir esse recurso? Aproveitará para finalizar as obras do governo Stüpp como a beira-rio, a retirada dos trilhos?
Bertoncini
– Essa é uma grande obra que iniciou em 2001 e, agora, Tubarão está recebendo os efeitos positivos desta ação. Esse recurso nos possibilitará criar a infra-estrutura para o futuro de Tubarão. A região recebe obras importantes como a duplicação da BR-101, o aeroporto regional, a melhoria dos portos, extensão da malha ferroviária. Esses recursos, se bem aproveitados, poderão preparar a nossa cidade para aproveitar esse ‘boom’ de crescimento. Em relação às obras, a beira-rio nós sabíamos que não era para apenas um, nem para dois, nem para três mandatos se formos avaliar o projeto como um todo. É ambicioso. Terá que ser feito em etapas, e em alguns mandatos. Nós esperamos evoluir, quem sabe fazendo com estes recursos aquilo que seria possível em dois mandatos. Em relação aos trilhos da avenida Marcolino Martins Cabral, tenho certeza que eu e Pepê Collaço seremos o prefeito e o vice que vão retirar o trilho e abrir a avenida.

Notisul – Durante a campanha, foi muito falado e prometido a implantação de um Pronto-Atendimento 24 horas. Isso ocorrerá no início do seu governo?
Bertoncini
– Eu pretendo não aguardar muito para discutir a viabilização. Tivemos uma reunião durante a campanha com o conselho consultivo do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC). Oferecemos uma parceria, para aproveitarmos a estrutura da entidade e a prefeitura ocupar uma área para fazer o atendimento municipal 24 horas. Ficaram de nos dar um posicionamento depois da eleição. Espero que até a posse tenhamos isso encaminhado. Se não for possível fazer no HNSC, vai requerer mais tempo, para construirmos ou vermos um outro local para instalar o pronto-atendimento, mas será tratado com caráter de urgência.

Notisul – Como será o relacionamento com o governo do estado?
Bertoncini
– Eu tenho consciência de que o governador deve governar para todos. Ele disse que não iria participar da campanha e participou. Está em dívida comigo e ainda mais com a cidade. Nós iremos procurar a participação deles na busca da solução dos problemas que são de responsabilidade do estado e para aqueles que podem contar com a ajuda deles.

Notisul – O senhor falou em aproximação com o governo do estado. De que forma o deputado Genésio Goulart (PMDB), seu adversário na eleição a prefeito de Tubarão, pode ajudar o município?
Bertoncini
– O papel de deputado. Aliás, há tempos já deveria ter assumido a postura de deputado da região e da cidade de Tubarão. A prática dele não tem sido esta. Vou mais longe. A Arena Multiuso não saiu e teve participação dele. Acredito que o deputado Genésio precisa rever o seu posicionamento não apenas para a região, mas para Tubarão.

Notisul – E por falar na Arena Multiuso, o município participará do projeto?
Bertoncini
– Nós já tivemos oportunidade de conversar com a Unisul, inclusive levantando a possibilidade de o estado não participar, fazermos com a universidade. Mas vamos antes disso tentar novamente o governo do estado, para que eles sejam parceiros.

Notisul – O senhor conciliará a medicina com a prefeitura?
Bertoncini
– Não. São dois trabalhos inconciliáveis. Não poderia acompanhar integralmente os meus pacientes e ao mesmo tempo me dedicar a uma cidade de 100 mil habitantes. Pelos próximos quatro anos, serei prefeito de Tubarão.