A dermatologista Maria Virginia de Melo Guedes é umas das profissionais mais conceituadas na área na região de Tubarão. Formada em São Paulo, veio para Tubarão com o marido, o médico André Guedes, há dez anos. É apaixonada pela área de atuação. Trabalha na área clínica e de estética. “Dá prazer curar uma doença de pele”, ressalta.

 
 
Karen Novochadlo
Tubarão
 
 
Notisul – Como é a área da dermatologia hoje?
Maria Virginia – Hoje, o dermatologista já tem uma formação na residência para pequenas cirurgias. Tem alguns cirurgiões que se metem a fazer cirurgias de pálpebras. Mas acredito que isto é da área de cirurgia plástica. Na estética, o leque é maior, você pode fazer o laser, a parte de toxina botulínica (botox), os peelings, os preenchimentos. Também há dermatologia clínica. Na maioria das vezes, atendemos mais acnes. A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) fez uma pesquisa nacional e concluiu que a principal doença atendida nos consultórios de dermatologia é a acne. E é mesmo. Quando vim morar em Tubarão, uma colega de São Paulo perguntou se eu atendia muitos casos de hanseníase (lepra). Eu respondi que não peguei nenhum, só vi espinha. Tem as doenças graves da dermatologia como o pênfigo, que é uma doença horrível que enche pele de bolha. 
 
Notisul – Mas por que tantos casos de acne? Hormônios?
Maria Virginia – A genética. Os fatores que influenciam e farão o problema ser melhor ou pior é a alimentação e o uso de protetor gorduroso. O determinante de ter espinha é a pele oleosa e isto é a genética que determina. A príncipio, é uma doença de meninos, já que atinge mais homens que mulheres. Quando entra na adolescência, aumenta naturalmente a produção do hormônio masculino. A testosterona aumenta a oleosidade do cabelo e da pele, resulta em caspa e espinhas. Se o pai ou a mãe teve espinhas, as chances são grandes da pessoa ter. 
 
Notisul – Quais os cuidados que se deve ter no verão?
Maria Virginia – Quando a gente fala de fotoproteção, não é apenas de protetor solar. Temos que nos lembrar das roupas. Se você está com uma roupa de manga comprida, está protegendo a pele. É necessário usar protetor diariamente. Afinal, você pega sol todo o dia. Se saiu na rua, pegou sol. O efeito da radiação é acumulativo. 
 
Notisul – Hoje, comercializa-se base com protetor. Isto é bom?
Maria Virginia – É ótimo. O protetor com base se dá uma proteção maior. Você tem uma proteção química do protetor e a física pela barreira que a base provoca.  O que se orienta a quem tem melasma, que são manchas na pele, é que use o protetor com base. 
 
Notisul – Na nossa região, o índice de câncer de pele é maior. 
Maria Virginia – As pessoas são muito brancas, descendentes de alemão e italiano. Isto resulta em uma pele mais sensível. Nós temos o fototipo, que vai de um a seis. Há peles mais dispostas a ter câncer de pele é a um, dois e três. As peles mais escuras têm uma resistência maior à radiação. 
 
Notisul – Qual a explicação para isso?
Maria Virginia – A melanina protege. O negro pode ter câncer de pele? Sim, mas é muito raro. A melanina não deixa a radiação fazer mal a pele. O ruivo é a pele mais sensível que tem, é tipo um. A pessoa loira com olho claro é tipo um. A pessoa branca com olho escuro é tipo dois. 
 
Notisul – Muita gente também trabalha no campo. 
Maria Virginia – Sim. Temos muito lavradores. Esta atividade é exposta ao sol e, somada à pele clara, há um grande risco de, no futuro, desenvolver algum tipo de câncer de pele. 
 
Notisul – Você trabalha há dez anos na área. Houve aumento no número de casos?
Maria Virginia – Sim. São três tipos histológicos de câncer de pele. A maioria dos tipos que não mata. No tipo carcinoma basocelular, a malignidade é local. Desenvolveu-se no nariz, operou, curou. Mas, se não operar, a cartilagem é destroída. O que mata no câncer é metástase. O câncer que tememos, e houve um aumento, é o melanoma, que vem das pintas pretas e dos sinais. Às vezes, você tira de um lugar da pele já tem metástase no cérebro ou pulmão. Este tipo é 15% dos cânceres de pele.  
 
Notisul – Uma ferida que não cicatriza pode ser um câncer?
Maria Virginia – Sim. Eu sempre oriento que 30 dias é o tempo máximo para que uma ferida cicatrize, com ou sem pomada. Passou disso, tem que tirar. Tem potencial para iniciar câncer que pode ser um espinocelular. Este é um tipo intermediário. Um ou outro pode dar metástase.  Mas nem se compara com o melanoma, que é um dos piores cânceres, depois do de esôfago e de pâncreas.
 
Notisul – E quanto ao protetor solar e os fatores, qual o mais indicado?
Maria Virginia – Essa história da  fotoproteção do fator 60 não é besteira. O fator 30 dá 96% de proteção. O 60 dá 100%. Ganhamos 4%. Mas precisamos lembrar que a radição é cumulativa. Para quem tem ou já teve câncer de pele, lúpus, melasma, porfíria, os 4% dão muita diferença. É 4% hoje, 4% amanhã. No fim de seis meses, é muita coisa. Nós falamos de fotoproteção, mas também tem o fotoenvelhecimento.
  
Notisul – Existem técnicas que ajudam a retardar o envelhecimento?
Maria Virginia – Há tratamentos. Quando nós falamos de prevenção, começamos pelo protetor solar. De todos os cremes, o que tem melhor efeito é ácido retinóico (tretinoina). O ácido, quando o paciente tem mancha, ajuda a clarear mais rápido. Mas também é para rugas finas. A base é a vitamina A, que na pele é um importante fator anti-envelhecimento. Tanto na pele, quanto no cabelo. Ele é usado somente no inverno.  Quando começa a esquentar, tem que suspendê-lo. Depende da sensibilidade, você usa dia sim, dia não. Tem paciente que consegue usar todo dia. O principal efeito é vermelhão e descamação. Mas, em alguns cremes mais modernos, quase não acontece isso. Eles têm anti-inflamatório para amenizar os efeitos colaterais. 
 
Notisul – Quando devemos começar a cuidar da pele?
Maria Virginia – A partir dos 30 anos é que a pele começa realmente a envelhecer. Mas o protetor solar deve estar sempre presente. Uma vez, li um artigo que disse que 80% do sol que pegamos é até os 20 anos. É a época da infância e da adolescência. Mas, a partir dos 30 anos, temos que utilizar ácido retinóico, hidratante e fotoproteção. Dos 40, além das rugas, começa flacidez. Recomendo o uso de creme firmador para rosto e pescoço. A partir 50 anos, usa-se um hidratante especial para fazer reposição hormonal. Na menopausa, ocorre o ressecamento da pele. Outra dúvida é quanto  o sabonete. Eu indico espuma ou líquido, que tem um ph mais neutro. A pele seca envelhece mais rápido. A pele oleosa tem o lado bom de envelhecer mais tarde.
 
Maria por Maria
Deus: Essencial na vida da gente.
Família: É a base de tudo. 
Trabalho: Tem que ser prazeroso. 
Passado: Foi muito bem estruturado.
Presente: Estar realizado com trabalho e família.
Presente: A Deus pertence.
 
O câncer de pele é efeito da radiação cumulativa. É depois de anos que você terá um câncer. Com 50 e 60 anos. Isto coincide com o envelhecimento cronológico. Não é porque você está envelhecendo, mas porque pegou sol quando era moço. Se foi para praia e tomou um torrão, tudo aquilo de radiação ficará na sua pele.