O médico Mario Caporal tem 38 anos de profissão, é diretor proprietário da Eco Clínica, em Tubarão, e é formado na faculdade de medicina em Barbacena no estado de Minas Gerais, natural de Tubarão ele especializou-se em diagnóstico por imagem no Hospital de Clínicas de São Paulo. Trabalhou no Hospital de Ibiapaba, em Minas Gerais, e foi professor na faculdade de Barbacena, onde se formou médico. Em 1983 foi secretário de saúde de da prefeitura de Barbacena, e depois de retornar para Tubarão foi secretário de saúde em 1987 na gestão do ex-prefeito Miguel Ximenes (PMDB). Em 1986, quando voltou para Tubarão, abriu a Eco Clínica, que completa 30 anos no município na região. Mario Caporal é membro da Academia Tubaronense de Letras, é casado com Silvana Fonseca Caporal, com que tem dois filhos, Fábio e Rodolfo, que seguiram a carreira do pai e são médicos.

 

Eduardo Zabot
Tubarão

 
Notisul – O que é o outubro rosa?
Dr. Mario – É um movimento que surgiu na década de 90, nos Estados Unidos. Foi criado para dar ênfase à prevenção do câncer de mama, então foi instituído a cor rosa para dar um realce. É por isso que, no próximo mês, convocamos a população, o comércio e o poder público para revestir as vitrines, os prédios, casas e outros locais com a cor rosa. Isso serviu na época e serve até hoje para chamar a atenção das pessoas, das mulheres, principalmente sobre o fator da prevenção. E este movimento surgiu porque milhares de mulheres morriam por falta de conduta preventiva.
 
Notisul – Quando o movimento chegou ao Brasil?
Dr. Mario – O outubro rosa surgiu em Nova York em 1990, na primeira corrida pela cura. Mas foi em 1997, que algumas entidades dos Estados Unidos começaram a promover atividades voltadas ao diagnóstico e prevenção do câncer de mama e, assim, foi escolhido o mês de outubro como referência, quando ocorre o epicentro das ações. Como o movimento teve os seus resultados positivos, houve um crescimento mundial e muitos países aderiram ao evento sobre a prevenção do câncer de mama. No Brasil, o outubro rosa chegou no ano de 2002, em São Paulo. Assim, o país iniciou a adesão e hoje é um evento muito forte e que traz inúmeros benefícios para as mulheres.
 
Notisul – E hoje, os índices de câncer de mama ainda são preocupantes?
Dr. Mario – Infelizmente continuam bem preocupantes. Antes, a doença acometia mulheres com mais de 60 anos, hoje, aparece mais em pacientes com 40, 45 anos. E isso ocorre pela mudança de hábito de vida das mulheres, que hoje passam a fumar e beber mais. As atividades físicas não são as mesmas de antes. Sem contar o estresse, a emoção, a jornada dupla do trabalho em casa e fora. Isso tudo faz desencadear uma série de problemas no corpo da mulher e desorganiza a função metabólica dos hormônios, muitas vezes alterados diante deste dia a dia.
 
Notisul – O outubro rosa já fala sobre a prevenção de outras doenças?
Dr. Mario – O outubro rosa surgiu exclusivamente à prevenção do câncer de mama, porém, hoje, em relação à saúde da mulher, outros itens já começam a ser enquadrados, inclusive com leis publicadas no Brasil. Uma é a prevenção do câncer do colo uterino e também o combate ao vírus HPV, que alguns deles são precursores do câncer do colo uterino. O HPV papilomavírus humano pode infectar a pele ou as mucosas. São mais de 100 tipos diferentes e 40 podem infectar o trato anogenital.
 
Notisul – O governo pode contribuir com a saúde da mulher?
Dr. Mario – O governo tem feito, mas poderia ser um trabalho muito mais efetivo nesta área, principalmente com maior esclarecimento, uma atenção básica mais acentuada para as mulheres sobre a necessidade da prevenção, pois ainda há poucas informações sobre a questão no país. Muitas mulheres ainda têm medo de procurar um serviço para fazer uma mamografia. Há receio em descobrir alguma coisa. Por isso é necessário investir, cada vez mais, na prevenção desta área. O custo é muito menor em prevenir do que tratar.
 
Notisul – A vacina do HPV dada pelo governo é uma evolução?
Dr. Mario – A vacina do HPV hoje já pode ser aplicada em adolescentes e diante a situação que nós encontramos é uma questão de saúde pública porque o HPV além de trazer algumas complicações principalmente para a mulher, mas também para o homem.
 
Notisul – Outra lei importante é sobre o diagnóstico do câncer e o prazo para iniciar o tratamento. Esse direito veio tarde?
Dr. Mario – Isso é outra evolução. Antes, muitas mulheres já tinham o diagnóstico de câncer de mama e tinha que entrar na fila, esperar um bom tempo para realizar o procedimento de início do tratamento com radioterapia ou quimioterapia e até a cirurgia. Espero que esta lei seja cumprida, no máximo 60 dias após a descoberta da enfermidade para, assim, realizar o tratamento em tempo.
 
Notisul – Como incentivador, por meio da Eco Clínica, do outubro rosa, qual a comparação entre o início da campanha e hoje?
Dr. Mario – É tempo ao tempo, ou seja, as pessoas se conscientizam, abraçam a causa e criam uma corrente da qual aumenta cada vez mais. Hoje, a adesão é muito maior que no ano passado, por exemplo, pois a participação das mulheres e das instituições é muito mais expressiva. Isso é significativo para o sucesso do movimento.
 
Notisul – Então é possível afirmar que o movimento evolui?
Mario – Não tenho dúvida disto. O que parte do povo sempre chega aos administradores e provoca no governo um alerta daquilo que muitas vezes estava adormecido e que precisa ser despertado. Por isso que, hoje, as ações governamentais são mais efetivas a esses movimentos com objetivo de proporcionar qualidade de vida.
 
Notisul – Qual a idade correta para iniciar a prevenção?
Mario – Ressalto que as mulheres devem olhar a herança familiar, principalmente no câncer de mama. Toda mulher que tem parente muito próximo como histórico de câncer de mama deve estar sempre atenta. As mulheres jovens devem fazer o exame médico rotineiro com outros complementares, por exemplo, a ultrassonografia. Aos 35 anos uma mamografia para avaliação e após dos 40 anos mamografia anualmente.
 
Notisul – O medo estético impede a mulher de procurar um médico?
Dr. Mario – Sim, porque muitas mulheres ainda têm aquela ideia de que a remoção de um seio é como se tivesse amputando parte da beleza, mas, na realidade, isso não ocorre. Hoje, em dia se faz a reconstrução do seio perfeitamente e, mesmo que não tenha condições de fazer, a mulher tem que ter consciência que a remoção lhe deu a condição de ter uma vida saudável.
 
Notisul – A Eco Clínica foi pioneira na mamografia?
Mario – Trouxemos a mamografia para Tubarão em 1989, fomos o pioneiro na região neste tipo de exame. Veja que, mesmo com todas as campanhas realizadas e as informações prestadas, temos, em Tubarão e região, uma incidência alta de câncer de mama. Mas há um fator positivo porque descobrimos lesões precocemente menores com a chance de cura, o que antes não ocorria, pois as mulheres vinham fazer o exame e já tinham lesões extensas as quais comprometiam outras estruturas do corpo. Hoje, 90% das mulheres têm a doença restrita à mama, isso é importante graças à mamografia. O exame detecta a lesão precoce e a chance de cura é grande.
 
Notisul – E como que a clínica acompanhou essa evolução da doença?
Mario – Recentemente, instalamos equipamentos de mamografia de alta tecnologia. Tenho certeza que nossos equipamentos são perfeitos, principalmente se compararmos com o início do trabalho da clínica. Esse equipamento traz mais conforto para as mulheres, menor irradiação e maior precisão na imagem na captura das lesões, o que permite nos dar um diagnóstico mais perfeito. Hoje, disponibilizamos procedimentos como a biopsia e a punção, o que permite um diagnóstico histológico das lesões nodulares, tanto da mama como da tiróide. Conseguimos dar mais segurança à paciente com todos esses procedimentos.
 
Notisul – O outubro rosa é um momento de mais visibilidade para a prevenção do câncer. O que esperar depois deste mês, maior conscientização, por exemplo?
Mario – Temos que deixar bem consciente de que o mês de outubro é um período de alerta e de conscientização, mas que todos os meses do ano devem ser encarados como rosa, pois as mulheres devem continuar a prevenção. Vamos iniciar um mês de esclarecimentos, alertá-las da necessidade de se prevenir. Elas têm que estar cientes de que a prevenção é tudo na vida.
 
Mario por Mario
Deus – Sabedoria universal.
Família – Alicerce da sociedade.
Trabalho – Realização do homem.
Passado – Aprendizado.
Presente – Conquistas para um futuro melhor
Futuro – É a conquista do presente.
 
"É preferível descobrir o câncer de mama, tratar e curar, do que deixar a doença evoluir”.