Foto:Priscila Loch/Notisul
Foto:Priscila Loch/Notisul

O paulistano Fabio Morais tem apenas 36 anos e uma bagagem profissional gigantesca que o credenciou a ocupar o cargo de superintendente do Farol Shopping, em Tubarão. Formado em administração, marketing e gestão de negócios, ele sucede o saudoso administrador Ivo Prim, que faleceu há cinco meses e ocupava a função desde a inauguração do empreendimento, há dez anos. Entusiasta e dono de um bom humor contagiante, Fabio veio para ficar e buscar fazer a diferença.

 

Priscila Loch
Tubarão

Notisul – Primeiro de tudo, queremos conhecê-lo melhor.
Fabio – Tenho 36 anos. Sou natural de São Paulo, meus pais são do Nordeste e quando jovens foram tentar a vida em São Paulo. Sou de uma família de três irmãos, sou o mais velho, sou casado, tenho um filho de 8 anos, Otávio. Comecei a trabalhar com 15 anos, naquela época em que a molecada podia trabalhar. Comecei como office-boy, depois fui para o Boticário, onde construí uma trajetória, fui vendedor, gerente, supervisor, diretor. Fui buscando conhecimento. Depois, entrei na Coteminas, uma empresa de fabricação de cama, mesa e banho, que tem várias marcas, como Artex e Santista. Fiquei lá por dois anos. Eu trabalhava no segmento de franquias, era o gerente regional do norte e nordeste da marca MMartan e fiz algumas expansões para a Artex. Daí fui convidado a ser superintendente de uma rede de shoppings, a General Shopping, em São Paulo. Eu nunca tinha sido superintendente. Tem cerca de 18 aparelhos, é uma empresa superbem consolidada. Saí de lá e vim direto para cá.

Notisul – Como surgiu o convite para ser o novo superintendente do Farol Shopping, em substituição ao saudoso Ivo Prim? 
Fabio –
Somos um grupo econômico, o Farol Shopping e a GAM, que é uma das maiores distribuidoras de medicamentos no Brasil. O departamento de RH da GAM fez uma seleção e conseguiu me achar. Começamos a conversar. Perguntaram se eu conhecia Tubarão e respondi que sabia onde ficava. Mas não tinha a menor noção de como era a cidade. Aí fui batendo um papo, a coisa foi ficando mais aquecida, até a hora em que nós nos escolhemos.

Notisul – O que foi decisivo para aceitares a proposta?
Fabio –
São vários fatores. Primeiro, a cidade foi uma surpresa positiva. O tamanho, o nível de desenvolvimento. Eu viajei muito já e raramente você vai em um município do porte de Tubarão e encontra a estrutura que tem aqui. Quem vem de fora se espanta com o tipo de infraestrutura que a cidade tem. Esse foi o primeiro ponto. O segundo ponto foi a estrutura de educação, saúde, tem tudo o que precisa, é polo em vários serviços. O terceiro foi a qualidade de vida. As pessoas conseguem trabalhar, resolver questões da vida pessoal, ter uma vida saudável, sair do trabalho e fazer uma caminhada, jogar um futebol. Vou ter mais tempo em família. Aqui não tem o problema do trânsito. É maravilhoso! Talvez as pessoas que já morem aqui há muito tempo não consigam perceber a diferença que isso faz na vida das pessoas. Os grandes centros estão cada vez mais complicados. Em São Paulo, se você precisa ir ao banco, já não vai mais trabalhar naquele dia. Isso vai causando um estresse. Antes de vir para cá, estudei, vim ao shopping, conheci o seu Genésio (A. Mendes), me aprofundei na história dele, na cultura da empresa, e quando me aprofundei vi que tínhamos muitas coisas em comum em termos de valores, em termos de objetivos de negócio. Esses fatores foram uma sinergia positiva para que eu abandonasse tudo. Ficaram em São Paulo meu pai, minha mãe, meus irmãos, minha esposa e meu filho estão prestes a chegar. O meu grande motivador foi a história do seu Genésio. Ele é uma pessoa diferenciada, não é só um empresário de sucesso. Ele é uma escola e eu sou adepto ao pensamento de que os mais experientes sempre têm muitas coisas para passar. Eu chego com o gás de um executivo que vem de um grande centro, de um sistema que exige que você tenha o perfil de sobrevivente, porque nos grandes centros a competição é muito feroz. Em São Paulo, se o cliente não é bem atendido em um shopping, ele anda dois quilômetros e já está dentro de outro, e isso gera uma competitividade muito acirrada. Vou trazer um pouquinho disso para cá. Vamos conciliar a experiência com o gás de alguém mais jovem com bastante vontade de mostrar trabalho.

Notisul – Quais são as atribuições de um superintendente?
Fabio –
Ele é o líder do shopping, permeia sobre todas as áreas. Dentro desse leque, as áreas são divididas. Tem o marketing, que faz toda a parte promocional, divulgação, relacionamento com o cliente. É a área com função de atrair os clientes, dar assessoria aos lojistas. Depois, tem a área de operação, responsável pela manutenção, pela limpeza, para manter tudo em funcionamento. Tem também a área financeira, que é um dos alicerces do shopping, onde se controlam os gastos com condomínio, retorno do investidor… A outra área é a comercial, onde se controla o mix, as novas lojas, novas operações. Então, na verdade, supervisiono todas essas áreas e tem também um trabalho estratégico por trás, de planejamento, o budget para o próximo ano. É um trabalho de monitoramento. Tudo que você encontra dentro do shopping tem que ser olhado pelo superintendente. Tem bastante trabalho.

Notisul – Você assumiu o cargo há dois meses. Neste curto período, já foi possível ficar a par de tudo e imprimir o seu jeito de administrar?
Fabio –
Não. O shopping é muito macro, estou em uma etapa de conhecer o equipamento, as pessoas, a região. E aos pouquinhos vou colocando a minha filosofia de trabalho. Ainda estou em uma etapa de enxergar tudo. Mas já estou trabalhando, fazendo algumas mudanças. O que estava planejado estou aqui para cumprir e ajudar a cumprir.

Notisul – Dez anos atrás, existia uma ‘corrente’ que acreditava que Tubarão não tinha cacife pra receber um shopping do porte do Farol. Na contramão destas ‘previsões’, o empreendimento superou as expectativas e é muito bem sucedido. A que fatores você credita essa conquista?
Fabio –
Primeiro fator: localização. O shopping tem que fazer parte do dia a dia das pessoas, e para isso é preciso estar próximo a elas. O Farol está muito bem localizado. Segundo fator: a área de interferência, onde o shopping interfere de uma forma positiva, é gigante. Terceiro fator: são 18 municípios e Tubarão tem essa vocação de capital da região. Quarto fator: a arquitetura, por termos um shopping térreo, facilita bastante. As pessoas conseguem circular sem se cansar, sem se perder. Os empreendimentos viveram dois momentos. Vou usar como exemplo o segmento de supermercados, hipermercados. Quinze, 20 anos atrás, tínhamos grupos saindo de supermercados maiores e entrando no segmento de hipermercados, com o conceito de vender de tudo. Foi sucesso durante um tempo. Hoje, é o inverso, os empreendimentos estão ficando menores, voltando à estratégia de supermercados dentro dos bairros, próximos às pessoas. E o Farol Shopping é um tipo de equipamento que está pronto para atender a esses dois momentos. No momento em que Tubarão precisava de um empreendimento maior, apresentou-se como uma grandeza. E agora que as pessoas querem se sentir mais confortáveis, ele também atende, porque não tem seis, sete, oito andares. Esses são os fatores que julgo de sucesso do shopping. Obviamente, para chegar a esse patamar, teve o trabalho de várias pessoas, todos os funcionários que passaram por aqui, o relacionamento com a comunidade, toda a filosofia de gestão do seu Genésio, todo o trabalho feito pela superintendência e pelos demais funcionários. Quando encontramos algo que deu muito certo, nunca é um só fator ou uma só pessoa, são várias pessoas e vários fatores. 

Notisul – Em números, o que o Farol Shopping representa hoje?
Fabio –
O shopping está reagindo de forma estável. Não temos quedas nas vendas, nosso fluxo também é crescente. Tivemos recentemente a Black Friday, com diversas reações positivas. Num momento em que a economia não vai bem, a Americanas teve  a melhor vendas de um dia nos dez anos que existe aqui. Por aí se vê que o cenário se mantém muito positivo. Temos aproximadamente 140 lojas, entre satélites e âncoras, 60 funcionários diretos, mais 20 terceirizados. Geramos quase mil empregos aqui dentro. O shopping está indo superbem, está reagindo diferente de outros em várias partes do país.

Notisul – Qual a fórmula para sobreviver e reagir em tempos de crise como a que estamos vivendo?
Fabio –
É preciso trabalhar muito bem a questão do marketing, para trazer as pessoas para dentro do shopping. O que faz um shopping estar consolidado ou não é o seu mix de lojas. Isso é o coração. Se o mix é variado, passe a crise que passar, vai reagir bem. Como temos um bom mix, conseguimos mesmo nos momentos mais delicados passar de uma forma muito tranquila, porque as pessoas reduzem o seu consumo, mas não param de consumir. A ideia é essa. A essência de um shopping, principalmente do trabalho de um superintendente, é zelar pelo negócio para que as famílias possam se beneficiar.

Notisul – A recente inauguração do Nações Shopping, em Criciúma, interferiu nos resultados por aqui?
Fabio –
Por enquanto, não sentimos nenhum efeito em nosso dia a dia, incluindo movimento, fluxo, vendas. Não nos afetou em nada. Viemos batendo recordes de público, vendas, lojas. Estamos estabelecidos, sem dúvida. Torcemos para que o de Criciúma dê certo também, porque o shopping tem uma grande importância regional. Costumo definir que shopping é um aparelho público-privado. E quando vemos um shopping se instalando em uma cidade temos que comemorar, pois fortalece o varejo, gera empregos. A questão da concorrência é muito mais nas capitais. Em Florianópolis, por exemplo, tem quatro, cinco shoppings, um a cada quatro ou cinco quilômetros do outro. Já Criciúma está a 50 minutos daqui. Tem espaço para os dois. A nossa parte é torcer por eles, para que dê tudo como deu para nós aqui.

Notisul – Falando de Natal, a programação é sempre um diferencial para atrair clientes. Como ocorre esse planejamento?
Fabio –
Essa etapa de planejamento é meio que parecida em qualquer shopping. Quem é responsável por elaborar esse plano é a área de marketing, com ajuda da agência, para pensar como estrutura a decoração, o tema, e qual vai ser a nossa estratégia promocional para o período. É meio igual o Carnaval, começamos a pensar no dia seguinte à inauguração da decoração. Os shoppings vêm adquirindo uma grande importância nessa questão da decoração de Natal. Antigamente, as casas das cidades eram todas enfeitadas, havia muitas casas tradicionais, muito iluminadas. Com essa mudança de hábito, e isso vai se classificando também pela redução de custos das famílias, o shopping foi assumindo esse papel. Temos o prazer de ser o veículo a despertar o Natal nas pessoas. E isso vem ficando cada vez mais forte, em qualquer shopping o evento mais trabalhado é o Natal, a chegada do Papai Noel, é o evento que mais mobiliza o público e investimentos. 

Notisul – As expectativas de vendas são boas para este período natalino?
Fabio –
Temos expectativas positivas. Viemos já com índice de vendas estável, mostrando um pequeno crescimento. A expectativa é muito boa, até porque tivemos um novembro muito bom, muito melhor que o mesmo mês do ano passado. Acreditamos que o Natal vai seguir essa tendência e temos certeza que vamos fechar o ano com as vendas acima do ano passado.

Notisul – Que projetos podem ser revelados nesse momento?
Fabio –
Já estamos trazendo novas lojas. Estou aqui há 60 dias e junto com o departamento comercial trouxemos quatro lojas, algumas já abriram. Novidades vão chegar. O nosso plano é ter um shopping que atenda a todas as necessidades da população, porque somos um shopping único na região e não podemos nos classificar como um empreendimento que atende a um determinado público. Na verdade, a nossa vocação é servir a todos. Em outros centros, percebe-se essa classificação de estilos. Aqui, temos que fazer uma mistura legal para que dê de atender a todo mundo. A nossa expectativa para o próximo ano é muito positiva em termos de poder oferecer coisas diferentes para a população e para a cidade. Inauguramos uma nova área de eventos, onde foi a chegada do Papai Noel. Ali vai ser uma área do tipo arena multiuso: utilizada como estacionamento quando preciso, mas tem toda a infraestrutura para receber qualquer tipo de evento. Acreditamos que isso será uma alavanca para podermos atender as pessoas com mais conforto, segurança. Esses são os diferenciais de um shopping, poder oferecer um mix de lojas, onde as pessoas possam suprir suas necessidades em um mesmo lugar, oferecer segurança, lazer, limpeza. Novas lojas vão surgir, estamos trabalhando muito forte para trazer negócios que a cidade ainda precisa. Em relação a expansão, existem projetos, mas são a longo prazo. Porque, para expandir um empreendimento, essa expansão também depende da área onde você atende, depende do crescimento de Tubarão como cidade, como polo de serviços, etc. Quando paramos para pensar em espaços para locar, isso é bem provável, porque, felizmente, cada vez temos menos lojas para ofertar. De qualquer forma, já estou fazendo alguns rascunhos.