O pastor Vinicius Cardoso cresceu em um lar adventista – seus pais eram da religião. Ele nasceu na cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, em 1983. Sempre foi membro da igreja. Em 2001, cursou teologia no seminário adventista latino-americano, em São Paulo. E fez quatro anos de bacharelado. Atua como pastor desde 2005. E, além de Tubarão, passou pelas cidades de Florianópolis e Lages. Vinicius é casado com Daniela. Dessa união nasceram o Davi, de 4 anos, e a Lara, de 2.  
 
 
Mirna Graciela
Tubarão
 
Notisul – Como surgiu a Igreja Adventista do Sétimo Dia?
Vinicius – O movimento adventista surgiu no nordeste dos Estados Unidos, por volta de 1830. Pessoas das mais variadas denominações cristãs começaram a ouvir a pregação de um jovem batista chamado Guilherme Miller. Eles eram conhecidos como mileritas. Com estudos sobre as profecias de Daniel e Apocalipse, em especial a de Daniel 8:14, essas pessoas passaram a esperar a volta de Jesus para o dia 22 de outubro de 1844. Após esta data, como Jesus não regressou, muitos abandonaram suas crenças e igrejas. E alguns retornaram para suas antigas denominações. Um grupo, então liderado por Tiago White, José Bates e Ellen White entendeu que, apesar da compreensão histórica da profecia estar correta, eles estavam equivocados quanto ao evento. Jesus não voltaria em 1844 (na verdade as escrituras deixam claro que não sabemos o dia e a hora que isso ocorrerá – Mt 13:32), mas sim passaria a exercer outra função no santuário do céu. Este grupo continuou nos estudos da Bíblia e na pregação do breve retorno de Jesus, não mais marcando datas, mas anunciando a necessidade de preparo para este grande dia. A igreja foi definitivamente organizada em 1863. 
 
Notisul – E no Brasil, como foi o seu aparecimento?
Vinicius – No ano de 1884, as primeiras publicações adventistas chegaram ao Brasil, no porto de Itajaí, em Santa Catarina. Gaspar foi o primeiro município. A cidade tinha uma comunidade alemã muito forte e eles recebiam materiais na língua deles. Originalmente, a igreja surgiu no Brasil não por meio de missionários, mas pela literatura, livros e revistas que vinham da Europa, fabricados nos Estados Unidos. Cruzavam o oceano e voltavam, para chegar aqui em nosso país às pessoas que falavam a língua alemã. O primeiro missionário enviado ao nosso país foi Alberto Stauffer. Ele veio em 1893. Em 1895 tivemos o primeiro batismo, no município de Piracicaba, em São Paulo. Neste mesmo ano, organizaram-se as primeiras igrejas. Então, no município de Gaspar Alto, em Santa Catarina, na cidade do Rio de Janeiro e em Santa Maria de Jetibá, no Espírito Santo, respectivamente.  
 
Notisul – Quantas igrejas Adventistas existem hoje em Tubarão?
Vinicius – Nossa igreja chegou em Tubarão no início do século passado. Hoje, somos 12 congregações na cidade, são os templos, que recebem mais de mil adoradores a cada semana. Não falamos em 12 igrejas porque temos uma diferenciação entre grupo e igreja organizada. O grupo é quando uma comunidade de 15 a 25 irmãos começa a se reunir e congregar em um bairro onde não há a presença adventista. Então, eles ficam um tempo participando de seus cultos como uma igreja. Depois de um período em que o grupo está estruturado e se mantém sozinho, recebe a nomenclatura de igreja. É um reconhecimento de que já conseguem andar sozinhos, por isso falamos em congregação. Na realidade somos ao todo dez igrejas e dois grupos.  
 
Notisul – Qual é a descendência da instituição, surgiu de outra igreja?
Vinicius – Não. Nossos fundadores saíram de diversas denominações, como batistas, metodistas, conexão cristã, entre outras, mas não por atritos ou coisa parecida. E sim por encontrarem na Bíblia as verdades que antes não conheciam, como a brevidade da volta de Jesus ou a validade dos mandamentos. Incluímos a observância do sábado como o dia de adoração e descanso.
 
Notisul – Qual é o papel da igreja na sociedade?
Vinicius – Como igreja, entendemos que o ser humano precisa de restauração física, mental e espiritual para voltar a ser como o criador sonhou. Neste propósito, mantemos centenas de hospitais e clínicas pelo mundo, no auxílio a diversas áreas da medicina. Também defendemos um estilo de vida saudável, com alimentação o mais natural possível, abstinência de álcool, cigarro e drogas, a prática de exercícios físicos e várias atividades. Apenas como exemplo, aplicamos um método famoso, o ‘Como parar de fumar em 5 dias’, que já auxiliou milhares de pessoas a abandonarem o cigarro. Em cada uma de nossas igrejas funciona também a Assistência Social Adventista (ASA), responsável pela arrecadação e distribuição de roupas e alimentos, além oferecermos cursos diversificados. Ainda inseridos no contexto da sociedade, a Igreja Adventista possui a maior rede educacional privada do mundo. São 7.883 unidades, entre escolas, colégios e universidades. Atendemos 1,8 milhão de alunos em 115 países. Em Tubarão, temos uma unidade escolar com cerca de 300 alunos, que cresce e passa por uma ampliação em seus prédios, para oferecer também o ensino médio. Além disso, cremos que a igreja seja o principal fator de mudança em uma sociedade, pois altera o núcleo básico da mesma, a família.
 
Notisul – O que significa o casamento e por que é difícil manter esse sacramento nos dias atuais?
Vinicius – O casamento é um plano de Deus para a felicidade do ser humano. Não teve origem com a igreja ou alguma sociedade antiga, mas no próprio Éden, morada de nossos primeiros pais. O fato é que assim como cremos que há um Deus no céu, criador e mantenedor de tudo, há também um adversário. A Bíblia deixa claro que Satanás é um ser real, que se opõe ao governo de Deus e seus princípios. Logicamente o casamento não escapa desta oposição. A maior dificuldade talvez esteja na união de dois fatores: estratégias de Satanás para acabar com esse núcleo da sociedade criado por Deus e também a falta de compromisso do ser humano. Hoje somos bombardeados com a ideia de que o mais importante é a nossa felicidade. Isto é uma armadilha, pois acabamos pensando que nossa felicidade conjugal deve ser buscada a qualquer preço, até mesmo pelo divórcio ou algo assim. Na realidade, devemos procurar fazer o nosso cônjuge feliz. Este é o princípio do casamento. “E serão os dois uma só carne” (Gn 2:25). Ao fazermos isso, inevitavelmente seremos felizes também. A verdade é que às vezes sonhamos muito com um amor romântico das novelas ou dos contos de adolescentes, quando na verdade é muito mais do que isso. Trata-se mais de uma decisão do que de um sentimento. 
 
Notisul – Vocês são contra o divórcio?
Vinicius – Não proibimos o divórcio, mas fazemos tudo para que não ocorra. Todos que estão nessa posição podem vir em nossa igreja. Inclusive o casal separado, se forem da igreja, caso se divorciarem, podem frequentá-la.  Mas aquilo que falei. Enquanto o divórcio não ocorre, fazemos de tudo que você possa imaginar para isso nunca ocorrer porque entendemos que esse não é o plano de Deus. Quando Deus criou Adão e Eva, ele deixou uma regra de que eles serão uma só carne. Você até pode não gostar muito do formato de seu braço, mas se você cortar vai doer do mesmo jeito, vai sentir falta. O princípio do divórcio é separar algo que não deveria. O que não aprovamos é a pessoa divorciada contrair novas núpcias se não houve quebra do voto matrimonial. Biblicamente havia somente duas idéias de divórcio. Uma é quando uma das partes cometia o adultério e quebrava essa aliança por meio do ato sexual. Quando isso ocorria, a outra parte ficava livre para ter um novo casamento. Agora, quando o divórcio é apenas por incompatibilidade de gênio ou outro motivo, você pode se separar, mas não manter um novo casamento. Um exemplo: uma mulher está divorciada há 15 anos. Caso o ex-marido nunca, nesse período, teve um relacionamento com outra mulher, ele se manteve puro, então ela não poderá contrair novas núpcias. Agora, se o homem tenha tido uma relação, então a mulher poderá casar-se porque ele quebrou a aliança. Quando homem e mulher são somente uma carne? Tem todo um pacote, mas, em última análise, é quando estão no ato sexual. Houve um momento em que o casal foi somente uma carne, mas optaram por se separar. Mas a aliança não é quebrada, perante Deus continua válida. 
 
Notisul – Existe vida após a morte?
Vinicius – Sim, por ocasião da volta de Jesus, existe vida após a morte. Quando Cristo voltar, ele vai ressuscitar os mortos que dormiram nEle (I Tessalonicenses 4:15,16). Isto é, vai devolver a vida como fez na criação, unindo o corpo (pó da terra) ao fôlego de vida, vindo de Deus. Esta união é que faz um ser, uma alma vivente (Gn 2:27). Com esta visão, não entendemos que exista uma vida desencarnada, almas vagando entre nós, nó céu ou em um inferno. Se isto realmente existisse, a volta de Jesus e a prometida ressurreição dos mortos seria algo sem sentido ou propósito. A pessoa iria voltar para um lugar onde ela já estava? Isso me parece algo sem propósito. As escrituras ensinam que quando o homem morre, cessam todas as suas atividades (Ez 18:4, Ec. 9:5, etc) até que Jesus volte para despertar os que dormem. Inclusive a Bíblia faz clara proibição ao consultar os mortos. Isto porque eles já não interferem em nossa vida.
 
Notisul – E a volta de Jesus?
Vinicius – Essa é a nossa maior crença. O nosso nome adventista significa isso. São os que crêem no advento, que é a volta de Jesus. Quando Jesus subiu, os discípulos continuaram chorando. Um grupo de anjos perguntou porque estavam chorando. E disseram: O mesmo Jesus que vocês vêem subir, de carne e osso, desse mesmo jeito vai voltar. A Bíblia fala que ele vai voltar com poder e grande glória, não mais humilde, bebezinho em uma manjedoura, mas rei dos reis, para levar os seus para o céu. Então ele vem nos buscar. Creio que ainda estaremos aqui, pois estamos em uma época em que algo deve ocorrer, é um ciclo que se fecha, nossa humanidade precisa, pois vivemos um caos. As famílias se desfazem, a violência se multiplica, as drogas, perda de valores, o materialismo, as catástrofes, a falta de cuidado com a natureza que está nos dando um recado. Nos últimos 20 anos aconteceram mais terremotos no nosso planeta do que no resto de toda a história. Alguma coisa vai acontecer. O próprio Jesus disse que haveria sinais em sua volta. Um dos sinais seriam guerras e rumores de guerra. Como adventistas, temos que estar preparados. Temos que viver prontos como se fosse hoje, mas levando nossa vida. 
 
Notisul – O que é o céu e o inferno?
Vinicius – Céu é um lugar real e literal. É a morada de Deus e de seus anjos, onde ele mesmo tem preparado um lugar para nós, seus filhos, morarmos com ele quando Cristo voltar. Um local sem morte, pranto ou dor, onde finalmente experimentaremos a felicidade sonhada por Deus. O inferno (tradução da expressão hebraica Sheol ou grega Hades) trata-se do oposto disto. Um lugar sem vida, uma sepultura. A palavra portuguesa inferno originalmente não dava nenhuma idéia de calor ou tormento, mas simplesmente denotava lugar coberto ou escondido. Em Ecl. 9:5,10 a Bíblia diz o seguinte: “…os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, mas a sua memória fica entregue ao esquecimento….Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma”.
Se os mortos não estão cientes de nada, óbvio que não sentem dor, o que inviabiliza o inferno como um lugar de tormento e sofrimento eterno. Lembro da oração em Jó 14:13: “Quem me dera isto: que me protegesses no inferno, e me escondesses até que passasse a tua ira, e me fixasses um tempo em que te lembrarias de mim?” O próprio Deus disse que Jó era “homem integro e reto”, temente a Deus e que se desviava do mal. Não faria sentido a oração, se Jó entendesse o inferno como um lugar quente e de sofrimento eterno. Mas faz todo a razão quando entendemos que ele está falando da sepultura, da morte.
 
Notisul – Como a Igreja Adventista trata o aborto, a pena de morte e o homossexualismo?
Vinicius – Deus é o nosso criador e o doador da vida. Entendemos que apenas ele é justo o bastante para julgar e decidir sobre a vida de alguém. Isto responde sobre o aborto e a pena de morte. Quanto à homossexualidade, estamos em uma época de muita discussão sobre o tema. Como igreja, a luz da palavra de Deus, entendemos que o eterno tem princípios que governam nossas vidas. Um destes é a família como célula-base da sociedade. Já conversamos sobre isso e sobre como surgiu o casamento, entre homem e mulher. Agora, Deus ama o homossexual. Imagina, ele ama até a mim! Mas, o fato de gostar muito, não significa que ele aprova todas as minhas atitudes. É como nosso relacionamento com nossos filhos (afinal somos todos filhos de Deus). Desta maneira cremos que Deus (e, por consequência, a igreja) ama e aceita o homossexual, mas não a sua prática. Eles são bem-vindos em nossas congregações, afinal é a casa do pai.
 
Notisul – Quem é Deus e quem é Jesus?
Vinicius – Deus, o eterno pai, é o criador, o originador, o mantenedor e o soberano de toda a criação. Ele é justo e santo, compassivo e clemente, tardio em irar-se e grande em constante amor e fidelidade. As qualidades e poderes manifestos no filho e o Espírito Santo também constituem revelações do pai. Deus, o filho eterno, encarnou-se em Jesus Cristo. Por meio dele, foram criadas todas as coisas, é revelado o caráter de Deus, efetuada a salvação da humanidade e julgado o mundo. Sendo para sempre verdadeiramente Deus, ele tornou-se também verdadeiramente homem, Jesus, o Cristo. Ele foi concebido do Espírito Santo e nasceu da Virgem Maria. Viveu e experimentou a tentação como um ser humano, mas pregou perfeitamente a justiça e o amor de Deus. Por seus milagres manifestou o poder de Deus e atestou que era o Messias prometido por Deus. Sofreu e morreu voluntariamente na cruz por nossos pecados e em nosso lugar, foi ressuscitado dentre os mortos e ascendeu para ministrar no santuário celestial em nosso favor. Virá outra vez, em glória, para o livramento final de seu povo e a restauração de todas as coisas. 
 
Notisul – A Igreja Adventista tem um livro base?
Vinicius – Sim. Como herdeiros da reforma protestante, temos a Bíblia como nosso livro base. Seguimos o famoso princípio ‘Sola Scriptura’, ou seja, somente a Bíblia é a nossa regra de fé e prática.
 
Notisul – A criação de muitas igrejas é bom ou ruim?
Vinicius – Muito bom! O problema é a multiplicação de pontos de venda de drogas. Agora, as igrejas devem entender que seu propósito é a pregação do evangelho eterno e não o brincar com a fé alheia. Precisamos ter cuidado em basear nossa pregação e nossa fé na Bíblia, do contrário muitos podem ter uma idéia errada de Deus ou de seus princípios e acabarem se afastando deles ao invés de se entregarem a ele. 
 
Notisul – O que o pastor diria para os que ainda não acreditam em Deus?
Vinicius – Ele acredita em você. Mais do que isso, ele ama você. Ele te criou, te deu a vida, tem lhe sustentado, morreu por você e voltará para lhe buscar. Apesar de você sequer crer nele, ele segue te amando e esperando. Por que não dar uma chance a um Deus assim?
 
Vinicius  por  Vinicius 
Deus – Meu criador, amigo e salvador.
Família – Minha base.
Trabalho – Uma oportunidade de testemunhar o que Deus fez em mim e por mim.
Passado – Uma demonstração precisa do cuidado de Deus e um guia para a tomada de decisões.
Presente – A chance de viver por ele.
Futuro – A concretização da esperança de vê-lo voltar.
 
"Como igreja, entendemos o seguinte. Não tem como você separar o relacionamento que a pessoa tem com Deus no cuidado que ela tem com o corpo. Porque se você está com o seu corpo em dia, a sua mente funciona melhor, tem mais disposição e consegue se concentrar. Tudo isso facilita para ter contato com Deus. Agora, o contrário, inevitavelmente é verdade. Se o teu corpo está mal, se você está com dor de cabeça, doente, tudo isso vai prejudicando até no contato com ele. Não tem como separar. Isso é a vida da igreja, esse é meu trabalho, essa é minha família, nós somos um todo holístico, indivisível. Quando uma das partes está mal acaba prejudicando tudo. Nós chamamos isso de educação integral. Você tem que tratar o todo para não ter as partes doentes".  
 
" Nós temos clínicas, hospitais, universidades, editoras, casas publicadoras, canais de televisão e de rádio"
 
"Não adianta pensar assim: estamos indo à igreja, então está tudo certo. Mas a tua saúde está aos pedaços, o teu casamento está aos frangalhos, o teu trabalho está capengando"
 
A série de entrevistas sobre religiões iniciou em março. Já foram abordadas a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, os Mórmons, publicada na edição de 9 e 10 de março; Testemunha de Jeová, em 30 e 31 de março; A Igreja Evangélica A Verdade que Liberta, em 20 e 21 de abril; a instituição Nosso Lar, em 18 de junho; a Assembleia de Deus em 29 e 30 de junho; a Assembleia de Deus Independente em 27 e 28 de julho e a Igreja do Nazareno em 17 e 18 de agosto.