Tatiana Dornelles
Cap. de Baixo

Notisul – Como você recebeu a prefeitura?
Brunel
– Temos uma grande responsabilidade de concretizar todo o programa de governo distribuído nos lares capivarienenses. Mas, antes teremos que fazer um saneamento geral da herança recebida em janeiro, que é caótica. Foi uma verdadeira hecatombe que assolou todas as entidades públicas ligadas à prefeitura de Capivari. É caótica, melancólica e deixa o povo constrangido. Porque há quatro anos entreguei uma prefeitura informatizada, restaurada e com a frota equipada, todos os prédios da saúde e educação recuperados. Hoje, recebo tudo danificado: a frota para atender os pacientes, ligando Florianópolis, Criciúma e as cidades circunvizinhas; as finanças com dívidas. De toda a informatização, só protegeram o setor de compras e o financeiro. As demais ficaram na carcaça, só com os gabinetes à mostra e as peças desapareceram. É mais um desafio, um projeto ousado para poder atender bem a saúde, a educação, obras, demonstrando que as dificuldades devem ser encaradas com maior energia, dedicação e vontade de superá-las para trazer mais obras e melhorar a cidade.

Notisul – Diante de tudo isso, como você avalia a gestão anterior?
Brunel
– Poderia ser melhor do que passaram para a nossa administração e pelo presente que deixei para eles: tudo equipado, tudo em funcionamento. Hoje pego algo que nos deixa tristes e aborrecidos.

Notisul – Quais são os seus planos?
Brunel
– Recuperar as finanças do município, restaurar todo o patrimônio e colocar como obrigação forte a conclusão do nosso programa de governo que atende a saúde, a educação, as obras. São projetos fortes e com certeza atenderão toda a população. Além disso, por obrigação, serão superiores às minhas administrações anteriores.

Notisul – Como está o andamento da auditoria?
Brunel
– Fazemos um levantamento, diagnóstico de todo o patrimônio do município. A situação no setor de informatização é caótica; no setor de veículos, é destruidora; no patrimônio é terrível. Acredito que levaremos tempo para recuperar Capivari, mas sairemos vencedores. A população não pode esperar que a atual administração fique olhando no retrovisor, olhando para o passado, buscando a perseguição, as bruxas existentes. Queremos olhar para o futuro, com esperança, concretizando obras para deixar Capivari como ponto de referência da Amurel e do estado.

Notisul – Houve ou não transição de governo?
Brunel
– Precariamente, sem qualquer informação e detalhes da administração anterior.

Notisul – Você não chegou a conversar com o ex-prefeito Moacir Rabelo (PP)?
Brunel
– Não, fomos impossibilitados, fizemos um convite pela imprensa… Mas o que houve foi só a posse na câmara de vereadores e nada mais.

Notisul – Você falou que as finanças do município estão ruins. Já sabem qual é o volume da dívida? E qual é a receita?
Brunel
– Tentamos avaliar uma dívida superior a R$ 1 milhão no setor financeiro. Agora, a depredação no prédio passa de R$ 3 milhões. A receita, se comparada com demais municípios, é privilegiada, temos a empresa Eletrosul e a Tractebel e um povo muito bom. Mas temos que estar preparados para a crise pós-enchente em Santa Catarina, com diminuição dos impostos, e o que é acenado para o segundo semestre é uma crise internacional que afetará e diminuirá as receitas das prefeituras. Os prefeitos que se preparem.

Notisul – Claro que a reconstrução de tudo que está destruído é a prioridade agora, porque senão não tem como trabalhar. Mas depois, quais são as metas de governo?
Brunel
– Temos um projeto forte para adotar na saúde, o atendimento de saúde. Os oito, dez postos que envolvem o Estratégias de Saúde da Família (ESF), os agentes comunitários, a saúde pública tem que funcionar e ser cumpridores dos atendimentos, das 7 às 13 horas, com médico, enfermeiras, agentes comunitários e o pessoal da recepção. Esta é a prioridade número 1 que está começando. E também buscar a recuperação dos equipamentos de saúde, do Pronto Atendimento. Não tinha nada, nenhum ultrassom funcionando, todos queimados, não havia nenhum aparelho para aferir a pressão. No Pronto Atendimento, o que tinha era terceirizado por uma empresa de Tubarão, que era o raio-x. Vamos recuperar, começar tudo de novo. Nos postos, os médicos e enfermeiros já atendem. Na área bucal, também. Com novos atendimentos, novos profissionais. Resolvida a saúde, na educação começamos a contratação do quadro, dos diretores, adjuntos, assessores e começará a funcionar a partir do dia 15 de fevereiro. Quando colocar a máquina lubrificada, nos setores de obras, financeiro, saúde e educação, vamos partir, depois de 90 dias, para fazer os projetos que tínhamos. Como exemplo: conclusão do ginásio de esportes, colocação em funcionamento da rodoviária, construção do prédio do Corpo de Bombeiros. E também as situações que se apresentam, como o Centro Social do Bairro Santo André.

Notisul – Voltando à saúde, os postos já estão em pleno funcionamento?
Brunel
– Sim. Os médicos atendem das 7 às 13 horas. E também na unidade mista do município tem o doutor André e doutor Gilberto à disposição da população. E faço, através do Notisul, um convite a outros médicos, especialistas, que procurem o secretário de saúde Aurimar para fazer contratações, pois o município precisa destes profissionais. Os fisioterapeutas já começaram a atender a nossa ‘juventude’ acima dos 50 anos.

Notisul – E na educação, como estão as escolas?
Brunel
– Rapidamente, já começamos a recuperar o telhado da escola Dom Anselmo Pietrulla, que estava caindo. Mandamos providenciar a terceirização do serviço para o atendimento de três creches, para recuperar a parte física e futuramente pintar, porque estão (as creches) com ar de paralisação, de abandono.

Notisul – E a capacitação dos professores?
Brunel
– Concluímos um curso na última semana. Temos que ter bons profissionais, compromissados com os alunos, com o desenvolvimento das crianças. Tudo o que existe nas escolas, no prédio, lá dentro, é da administração passada e vamos recuperar. As creches usavam o lençol, os cobertores, as mantas adquiridas na minha última gestão. Eles (administradores anteriores) não compraram nem um ventilador para a escola do Santo André ou para a creche Maria Madalena Tolon. Tudo foi obra das administrações anteriores à do Moacir. Recuperaremos tudo: os utensílios, móveis. E colocaremos na educação municipal de Capivari um atendimento muito bom, para evitar o êxodo na educação, de saírem de Capivari para Tubarão.

Notisul – E a questão dos cães? No Santo André, cinco foram encontrados mortos, possivelmente por envenenamento. O que é possível fazer?
Brunel
– O que fizeram no Santo André foi um ato abominável, que vem a constranger e a envergonhar o município. Nosso dever é buscar parcerias com a Epagri, com a prefeitura de Tubarão, com a Tractebel, para implantar um canil em Capivari. Recuperamos o animal, faremos a castração pelo veterinário e, depois, entregaremos para a adoção. Isso é o nosso desejo. No Santo André, observamos muitos animais abandonados, porque são trazidos por pessoas de outros municípios, e muitas pessoas lá do bairro cuidam. Quando chega a um grande número, começa a prejudicar a própria saúde pública. Tenho quatro cães e, quando saio para caminhar com eles à noite, vejo vários animais abandonados. Agora, quem trata muito bem o cachorro, também trata muito bem o ser humano, que é a nossa verdadeira obrigação. Não se pode prejudicar, envenenar – como se fez ali no Santo André. Mas nós vamos fazer um canil.

Notisul – E as secretarias? Será criada alguma pasta nova?
Brunel
– Criaremos a secretaria de comunicação social, desmembraremos o trânsito da pasta de obras para criar a secretaria de segurança e trânsito, e vamos aproveitar para tirar o esporte da secretaria de educação e a cultura da pasta de indústria e comércio para criar, com aprovação da câmara de vereadores, a de esporte e cultura. Porque esporte e segurança serão nossas prioridades.

Notisul – Hoje como está o quadro de funcionários da prefeitura. Há quantos efetivos?
Brunel
– Recebemos uma herança com mais de 560 funcionários efetivos e agora temos a possibilidade de aumentar esse número com a contratação de cargos comissionados, o que a própria lei municipal obriga e facilita isso.

Notisul – E o concurso público?
Brunel
– A contratação dos aprovados no concurso depende de orientação jurídica. Aguardo um posicionamento do jurídico da prefeitura, porque o concurso está sob júdice.

Notisul – E o novo cemitério?
Brunel
– Estudamos a possibilidade de como colocar em funcionamento um campo santo em Capivari e, para isso, discutiremos com a população.

Notisul – O aniversário do município é no fim de março… O que está sendo programado?
Brunel
– É no dia 30 de março. Há uma comissão para viabilizar quem sabe uma solenidade, um show para lembrar a emancipação do município que completa 17 anos. Essa foi uma luta muito grande e eu, como vereador acompanhei a formação do distrito e depois do município. Capivari não seria uma cidade se não tivesse o apoio dos prefeitos de Tubarão, Miguel Ximenes e Stener Soratto e dos vereadores que ajudaram muito.

Notisul – Ainda sobre a emancipação, Capivari é vista como uma cidade dormitório, ou seja, as pessoas trabalham, estudam, compram em Tubarão mas vivem em Capivari. O que é possível fazer para mudar este rótulo?
Brunel
– Capivari é um celeiro de uma cidade industrial, que é a Tractebel, que oportuniza em épocas de reforma mais de 1,2 mil funcionários. Temos o comércio e outras indústrias que dão mais de 700 empregos. Nós temos grandes oportunidades de empregos, mas também temos uma população de 20 mil habitantes. Feliz do prefeito ou da cidade que tem a oportunidade de buscar empregos em cidades vizinhas, como é o caso de Tubarão, que sempre acolheu muito bem o pessoal de Capivari. Quem sabe no futuro tenhamos mais autonomia de receber, acolher aqueles que estão desempregados ou que fiquem mais próximos da sua cidade.

Notisul – E no comércio… Muitas pessoas deixam de comprar em Capivari para comprar em Tubarão. O que é possível fazer?
Brunel
– Eu aproveito para fazer um apelo aos comerciantes para que façam um crediário amplo, para que haja um melhor atendimento e maior diversidade de produtos. Porque Tubarão tem a sua crise, Florianópolis também, e em Capivari não é diferente. O nosso comércio tem que se unir e oferecer mais oportunidades e atrair as pessoas para as compras.

Notisul – Quanto à infraestrutura, o que está no seu plano de governo?
Brunel
– Compromisso da administração Capivari Melhor: infraestrutura é 100%. Sou ousado em afirmar isso. Vamos sanear todo o município e depois jogar a camada asfáltica para dar qualidade de vida e atender a maior necessidade do município.

Notisul – Como está o setor de cadastro do IPTU?
Brunel
– A partir deste mês, ou março, também vamos distribuir os carnês do IPTU, sem qualquer acréscimo, para recolher os valores deste imposto.

Notisul – E a frota do município?
Brunel
– Teremos que comprar veículos e, em alguns casos, terceirizar os serviços para atender a saúde e a educação. Ainda não temos valores, mas a maioria não compensa reformar. Vamos leiloar e depois buscar a aquisição de novos veículos. Na saúde, nós fazemos atendimentos para Florianópolis pela manhã e à tarde.

Notisul – Como é a sua forma de administrar?
Brunel
– Cobrando sempre e fiscalizando, confiando nos secretários e, muitas vezes, dando autonomia. Tenho uma prática de visitar as creches e continuarei a fazer isso, sem avisar, para pegar de surpresa. Cansei de visitar creche e não encontrar diretor, e nunca avisei. Também gosto de acompanhar as obras. Já cheguei a ter 17 frentes de obras e acompanhar todas.

Notisul – O que você gostaria de dizer a população de Capivari?
Brunel
– Que aguarde, tenha paciência, porque nós faremos uma administração de dar inveja em muitos outros administradores que passaram pela região. O nosso compromisso é fazer o bem com o dinheiro público.