Evanísio Uliano, o Vânio, é um filho de Braço do Norte. Nascido e criado no município, ele esteve fora por apenas três anos, quando fez um curso de técnico em comércio em Francisco Beltrão, no Paraná. Na sua terra, trabalhou como contador e despachante de trânsito antes de assumir a presidência da Cooperativa de Eletrificação Rural de Braço do Norte (Cerbranorte), onde permaneceu por 14 anos. No último período, entre 2007 e 2010, licenciou-se do cargo para concorrer a prefeito. Foi candidato pelo Partido Progressista e assumiu a prefeitura no dia 16 de março de 2009. 
 
 
Thiago Oliveira
Tubarão
 
 
Notisul – O que o levou a ser pré-candidato à reeleição? 
Vânio – Sempre tive a pretensão de ser prefeito. Fui candidato às pressas, fui eleito, e estou fazendo um grande trabalho em Braço do Norte, tenho certeza disso. Em termos de administração, faço uma boa porque faço pavimentação, ruas, postos de saúde, pontes, escolas, uma série de obras. E isso me motiva a ser um pré-candidato e dar continuidade neste trabalho que desenvolvemos. Além do mais, o mandato foi realizado em um curto espaço de tempo. O início do mandato foi em março. Pegamos uma prefeitura andando. No primeiro ano, não tivemos uma situação para projetar. Só no segundo ano começamos a arrumar a casa e projetar a prefeitura para realizar obras como estamos realizando agora. Não vai ser possível concluir tudo que pretendemos em Braço do Norte. 
 
Notisul – Como estão as tratativas para as coligações? 
Vânio – Estamos em contato com o PSD, PSDB, PT, DEM e PPS. As conversações estão bem adiantadas com esses partidos. Não sei se vai dar para coligar com todos, mas, no máximo que der, vamos dar espaço para eles dentro da nossa administração.
 
Notisul – O que o senhor avalia que poderia ter feito diferente em seu governo?
Vânio – Deveria ter sido mais político. Fui muito técnico. Isso traz benefícios para a cidade, mas a administração política tem que dar respaldo, e isso faltou. Deveria ter mais contato com as pessoas, mais convívio. Me mantive muito dentro do gabinete e com isso eu me distanciei das pessoas, e um prefeito tem que ter contato com as pessoas. Mas, em termos técnicos, tenho certeza que foi uma grande administração. 
 
Notisul – Essa falta de contato pode prejudicá-lo nesta eleição?
Vânio – Com certeza, prejudica significativamente sim. Há falta de contato, de relacionamento com as pessoas, porque eu me prendi muito no trabalho e esqueci um pouco a população.
 
Notisul – O que ficou para ser feito?
Vânio – Muita coisa. Sempre falta. Precisamos de um anel viário urgente em Braço do Norte. Um parque industrial, que vai sair com o anel viário. Tem pessoas oferecendo terrenos para esse parque. Também temos que construir colégios, já que isso está faltando. Precisamos de uma ligação entre o Centro e o Lado da União. É uma ponte que representa um valor significativo, porque liga esses dois locais. E continuar pavimentando Braço do Norte, porque faltam muitas ruas. Braço do Norte ficou parada, em termos de pavimentação, por 20 anos. Quarenta e duas ruas estão licitadas e com ordens de serviço executadas, que devem ser concluídas até o dia 30 de julho deste ano. Além disso, nós temos outras obras. Tem outras 38 ruas com projetos prontos, que devem ser licitadas imediatamente que acabar essas 42 ruas. Vamos mudar Braço do Norte. Vamos pavimentar tudo. Está muito atrasado. Fizemos uma parceria com a população. Eles pagam uma parte e a prefeitura paga outra. E isso pegou muito bem. Todos os dias, a população pede para fazer as ruas que faltam em Braço do Norte. E isso foi um projeto que deu certo.
 
Notisul – Como está essa parceria com a população?
Vânio – A parceria está muito boa, com exceção da Jorge Lacerda. É uma rua pavimentada, mas que precisava ser recuperada. E a recuperação é mais cara do que se fosse fazer ela do zero. Além de tirar as lajotas, para colocar o asfalto, tem que fazer todo o trabalho desde lá de baixo. O povo entendeu que devia ter um valor diferenciado onde tinha lajota ou paralelepípedo. É uma rua que tem 2,2 quilômetros e com certeza vai melhorar Braço do Norte, porque vai melhorar o fluxo do trânsito. Vai resolver o trânsito de imediato. E, nas demais ruas, todo mundo paga a sua parte, e tenho certeza que vamos fazer grandes trabalhos em Braço do Norte desta forma.
 
Notisul – Qual será o foco da sua campanha?
Vânio – Além da moralidade, eu quero abordar a continuação das nossas obras. Aqueles 38 projetos, mais um asfalto para o Rio Santo Antônio, e um para o Rio Cachorrinho. E, além disso, olhar para o social. Para as nossas casas populares. Temos 169 casas para serem construídas, e que não poderão ser feitas neste mandato. O déficit habitacional em Braço do Norte é muito grande, então temos que construir essas casas.
 
Notisul – O senhor chegou a comentar que se o Charles Bianchini, do PSD, fosse o único candidato, o senhor abriria mão da reeleição. Por que isso?
Vânio – Eu acho o Charles um grande candidato. Ele tem uma vontade muito grande de fazer por Braço do Norte. Infelizmente, não existe essa possibilidade, mas eu ficaria muito feliz se tivesse o Charles como aliado nesta eleição. 
 
Notisul – Acredita que pode haver essa parceria?
Vânio – Pode. Estamos em conversação. Inclusive, estou oferecendo para ele o último ano de mandato. Estou deixando aberto isso.
 
Notisul – Como está a questão do plano diretor de Braço do Norte?
Vânio – O plano diretor esta concluído. Teve até uma reunião nesta semana. Houve umas alterações. Teve uma discussão entre uma equipe que trabalhou em cima do plano, da administração e da câmara. Foi discutido e acordado o que precisava ser alterado, e vai ser levado para uma audiência pública. E tenho o interesse que seja aprovado o mais rápido possível. Não sei se isso vai acontecer. Já que era pra ter sido concluído em novembro passado.
 
Notisul – Existe algum projeto para o estádio municipal?
Vânio – Não. No estádio municipal, existe a possibilidade de construir alguma coisa e transferir ele para outro local. A princípio, vamos recuperá-lo, só fazer o básico, para que possamos praticar esportes. O projeto que era amplo, com uma arquibancada coberta, aquele não será executado neste ano, mas na minha reeleição, está incluída no projeto a recuperação ou reconstrução do estádio municipal. Apesar de que estamos muito bem servidos de estádios. Temos sete ou oito, inclusive com iluminação. Agora, aquele estádio precisa ser recuperado. É um patrimônio do município, faz cerca de 30 anos que foi construído e, se recuperamos, ele fica um bom estádio.
 
Notisul – Fora a parte de pavimentação, tem alguma modificação planejada para o trânsito?
Vânio – Nós já fizemos um estudo do trânsito de Braço do Norte. E que foi aprovado pela sociedade em audiência pública, e vai ser implantado a partir da hora em que a rua Jorge Lacerda ficar pronta. Nós vamos instalar o novo trânsito, que vai ter uma rua de entrada, a Jorge Lacerda. A Nereu Ramos vai ser a rua de saída. A Felipe Schmidt vai ser entrada e saída, mas só para carros pequenos, com trânsito lento. 
 
Notisul – Como está o seu relacionamento com o presidente da câmara, Jordão Walter Santana?
Vânio – Está muito bom. O Jordão está muito bem. Na câmara, eles entenderam que a administração não é tão fácil como eles achavam. Que às vezes é difícil fazer tudo o que a gente almeja. Eu também quero fazer uma porção de coisas, mas às vezes eu não posso. Chegamos em um entendimento. Conversamos, e hoje eu tenho o apoio da câmara. Temos a maioria lá.
 
Notisul – Como estão as projeções hoje da Casan para o município?
Vânio – Já era para ter licitado a parte de saneamento básico. Não foi possível porque atrasou na hora de assinar o contrato com o banco francês. E eles já viabilizaram alguma coisa, com recursos do governo do estado, para refazer a tubulação da Casan em Braço do Norte. Hoje nós somos parceiros. Eles trabalham com a pavimentação que fazemos. Eles trabalham noite e dia para manter a tubulação de água em dia. Ela foi feita em cima da rua e está estragando tudo quando pavimentamos. O gerente de lá é bem comprometido. Temos um bom relacionamento. Espero que a licitação saia ainda neste ano para fazer o esgoto em Braço do Norte. Eu já viabilizei o terreno para fazer a lagoa de decantação, que era o que eles questionavam. Basta eles analisarem para ver se é bom ou não para indenizar. A tratativa está muito boa. Espero que eles cumpram com o papel deles, que prometeram, de começar o saneamento básico em Braço do Norte ainda neste ano. 
 
Notisul – A poluição por causa da suinocultura ainda existe, ou os criadores mudaram os hábitos?
Vânio – Já esteve bem pior. Hoje, amenizou bastante. Nossos suinocultores já possuem uma consciência do meio ambiente. Estão evitando ao máximo colocar dejetos nos córregos e rios. Além disso, vamos ter uma usina de biogás em Braço do Norte. Tomara que isso ocorra, porque daí diminui significativamente a poluição, porque a usina usa esses dejetos suínos no biogás, e eles perdem o poder de poluição em praticamente 80%.
 
Notisul – Atualmente, qual é a principal atividade de Braço do Norte? 
Vânio – Nós temos uma atividade forte na área rural. Além da suinocultura, temos o gado de leite. O nosso gado tem uma genética muito apurada, muito boa. Vou a muitas feiras de exposição de gado e a genética de Braço do Norte é sempre premiada. Vamos, inclusive, ter um leilão ao vivo dos nossos animais, em junho. E isso vai ser muito importante para toda a região, pois vai mostrar para todo o Brasil o gado que nós temos e a nossa genética. Temos também a fumicultura. E, no setor industrial, temos a moldura, que, apesar da queda da exportação, porque não fomos mais competitivos para exportar, é muito grande no mercado interno. Temos muitas indústrias. Algumas grandes, outras de fundo de quintal, mas tudo isso emprega. O setor moldureiro ainda é bastante forte. E temos uma economia diversificada. Da moldura, surgiram muitas fábricas. Ela perdeu muito espaço, mas gerou muitos empregos em outro setor, que é o do metal-mecânico.
 
Vânio por Vânio
Deus – Um ser maior.
Trabalho – Essencial. A base de toda a sociedade. 
Família – Qualquer que seja, enobrece o homem.
Passado – Tive um bom, porque não me arrependo de nada que fiz.
Presente – Tenho um presente bom, mas quero construir um futuro melhor. Futuro – O que a gente projeta a gente alcança. E eu quero ficar em Braço do Norte, e trabalhar.
 
"Eu acho Charles (Bianchini, pré-candidato do PSD à prefeitura) um grande candidato. Ele tem uma vontade muito grande de fazer por Braço do Norte e eu defendo as pessoas que fazem pela cidade. Não defendo as pessoas que são extremamente consumistas e paternalistas. Eu defendo uma administração social. Onde todos ganham e todos trabalham para o enriquecimento e o crescimento de um local. Charles tem essa característica. Se ele fosse o único candidato, eu abriria mão da minha candidatura para apoiá-lo. Mas infelizmente não existe essa possibilidade. Mas eu ficaria muito feliz se tivesse o Charles como aliado nesta eleição. Tenho certeza que o PSD iria contribuir bastante na minha próxima administração".
 
"Meu relacioamento com o presidente da câmara, Jordão Santana, esteve estremecido. Isso é público. Mas hoje está tudo bem entre nós".
 
"Teremos mudanças no nosso trânsito. Vamos ter um anel interno que aumentará a distância do Centro.
Porém, deixará o fluxo mais rápido".