Joares Ponticelli, 45 anos, é natural de Pouso Redondo, no Alto Vale do Itajaí. Filho de agricultores, permaneceu na região até os 22 anos. Veio para Tubarão em 1987, há 23 anos, para graduar-se. Primeiro ingressou na faculdade de engenharia química, depois transferiu para matemática, curso que formou-se. Ponticelli é professor concursado da rede estadual desde 1984. Em 1991, Ponticelli foi transferido definitivamente para a Cidade Azul, como professor da Escola Diomício Freitas. Na instituição, ele atuou ainda como auxiliar de direção do hoje secretário de educação da prefeitura de Tubarão, professor José Santos Nunes. Na escola, fundou a cooperativa de alunos Cooperfreitas, a qual dirigiu até 1995. No ano seguinte Ponticelli ingressou na vida pública. Sua primeira eleição foi para a câmara de Tubarão, para a qual foi eleito com 1265 votos. Em 1998 foi candidato a deputado estadual. “Cheguei na assembleia com pouca experiência”, lembra o candidato à reeleição pelo Partido Progressista (PP). A carreira foi meteórica. Já no primeiro anos Ponticelli foi vice-líder do governo. No segundo assumiu como líder do governo de Esperidião Amin até 2002. Neste mesmo ano, com a derrotada na majoritária, tornou-se líder da oposição na assembleia.

Priscila Alano
Tubarão

Notisul – O que motiva você a concorrer, mais uma vez, a assembleia legislativa?
Ponticelli
– A convicção de que dá para fazer muito mais pela comunidade do que o atual governo fez. Posso buscar mais à região pela experiência que acumulei neste período, por conhecer os caminhos do governo e, acima de tudo, por ter crédito pelo estado, por ser firme e coerente na minha oposição. A nossa cidade e a região foram muito maltratadas pelo atual governo. Vi as coisas ocorrerem em outras regiões do estado enquanto aqui tudo seguia lentamente.

Notisul – Qual a bandeira que você levanta nesta campanha?
Ponticelli
– A primeira é retomar os investimentos do governo em nossa região. Lutar pela recuperação salarial dos servidores públicos estaduais ativos e aposentados. Recolocar a educação nos trilhos do desenvolvimento. O magistério e tratado com muita irresponsabilidade por este governo. Os números do Enen demonstram isso. É lamentável como se encontra e educação no estado. Temos que corrigir equívocos como a terceirização da merenda escolar, mudar a dinâmica na distribuição do uniforme aos alunos. É preciso regionalizar de todos os serviços de alta complexidade em saúde. A ‘ambulancioterapia’ continua a levar paciente todos os dias para Florianópolis. Cada macrorregião deve ter todos os serviços de complexidade em parceria com os hospitais filantrópicos das regiões. Outra coisa: é preciso reverter esta onda crescente de violência, principalmente esta instalada em Tubarão e região. E isso só poderá ser feito quando tivermos policiais mais preparados e equipados. Hoje, o governo está com total descredibilidade junto da população.

Notisul – Como você avalia o trabalho das secretarias de desenvolvimento regional?
Ponticelli
– A ideia da descentralização é boa, mas o modelo, como está, não funciona. As SDRs não deram as respostas necessárias. Várias obras não saíram do papel. Faltou o governo concretizar o que os conselhos aprovaram. O que precisa ser feito é fortalecer as parceiras com os municípios e implementar uma outra dinâmica de coordenação das secretarias regionais.

Notisul – Qual o papel do deputado estadual?
Ponticelli
– Fiscalizar. E este foi o papel que desempenhei nestes últimos anos. Além de legislar, apresentar leis que façam a diferença para a população. E neste campo cito a do gerenciamento costeiro, o novo código ambiental do estado e o projeto de combate ao bullying. Cabe ainda ao deputado ser o legítimo representante da região que o elegeu. O parlamentar precisa desempenhar ainda o papel de cobrador de obras, de investimentos, ser o porta voz, o embaixador, do povo junto ao governo.

Notisul – Como você avalia a atuação dos deputados da região?
Ponticelli
– Cada um cumpriu com o seu papal e se as coisas não ocorreram foi porque o governo não deu atenção e não estava verdadeiramente compromissado com a região. A cobrança foi feita de forma exaustiva. Não só por mim, mas pelos colegas. Um exemplo foi o deputado Genésio Goulart (PMDB). Não fosse por ele, estaríamos até hoje perguntando quando as obras na estrada do Camacho, em Jaguaruna, iriam terminar. A região só não ganhou mais porque o governo nunca teve por nós o respeito que merecemos.

Notisul – Quais as áreas que precisam de mais atenção?
Ponticelli
– Segurança, saúde e educação. O estado precisa oferecer oportunidade aos jovens. E a escola deve ser transformada no centro destas atividades. Os muros precisam ser derrubados. A educação catarinense está uma bagunça. Os professores recebem uma miséria.

Notisul – Como esta formando a base eleitoral?
Ponticelli
– A base concentra-se na região de Tubarão, mas também conto com apoio na Amrec, Amesc, oeste, serra, e Vale do Itajaí. O partido concordou que os três candidatos podem trabalhar nas três microrregiões. Esta será a minha última eleição a candidato a deputado estadual. Em 2014 vou buscar espaço na majoritária ou construir uma candidatura a deputado federal.

Notisul – Quanto você pretende gastar na campanha?
Ponticelli
– O partido fixou em R$ 1 milhão à campanha do candidato a deputado estadual. Mas pretendo gastar menos.

As entrevistas realizadas pelo Notisul com os candidatos com domicílio eleitoral na região serão em ordem alfabética.

Já entrevistados
Ada De Luca (15015) – PMDB – Laguna; Alexandre Moraes (15650) – PMDB – Tubarão; André Igreja (12123) – PDT – Imbituba; Arlei da Silva (23730) – PPS – Capivari de Baixo; Araildo Domingos Liberato (PG) (12312) – PDT – Capivari de Baixo; Carlos Stüpp (45888) – PSDB – Tubarão; Cleosmar Fernandes (22222) – PR – Laguna; Douglas Antunes (20200)- PSC – Tubarão; Joares Ponticelli (11223)- PP – Tubarão; José Nei Ascari (25111) – DEM – Braço do Norte.