Cleosmar Fernandes, 50 anos, é natural de Laguna. Formado em administração de empresa, é casado e tem cinco filhos. Com uma certa experiência na política, adquirida nos dois últimos anos como vereador em Laguna, Cleosmar rendeu-se aos apelos do PR e concorre ao pleito como deputado estadual. O candidato tem como bandeira propostas direcionadas ao turismo da região e, consequentemente, na geração de empregos. Conferente do Porto de Imbituba, o trabalhador ingressou na política quando passou a ajudar companheiros nas eleições para prefeito de 2008. No mesmo ano, foi encorajado pelo presidente do PR de Laguna, Elias Vieira, a ser candidato a vereador. Foi o quarto mais votado: 1.652 votos. Proporcionalmente, foi um dos cinco vereadores mais votados pelo PR. Cleosmar é o único candidato a deputado estadual de seu partido na região. Disputou espaço com Glauco Zanela, que renunciou para apoiá-lo. Na dobradinha, conta com o apoio do deputado Zé Carlos Vieira (PR), o Vieirão, de Joinville.

Carolina Carradore
Tubarão

Notisul – Como candidato da região, que bandeira você levantará na campanha?
Cleosmar Fernandes
– Tenho vários focos, mas o principal é o turismo, pois é através dele que vamos desenvolver mais postos de trabalho. Observamos que a área turística tem sido mais explorada pelas cidades do norte do estado. Embora eles não tenham tantas belezas naturais como a nossa região, são profissionais no turismo. Na nossa região, ainda que tenhamos muito espaço para o turismo, com praias e águas termais, não exploramos a atividade de forma adequada. Um pouco é por falta de infraestrutura e divulgação, pois se é informado à população, o poder público obriga-se a investir em infraestrutura. Visitamos recentemente um empresário em Laguna que revitalizou um prédio e está o transformando em um centro de eventos que vai ser o maior da Amurel. Como ele criou esse centro de evento, a prefeitura foi obrigada a pavimentar a rua. Outra meta é investir na área tecnológica, trazer empresas na área de informática. Temos que trazer empresas que não tenham chaminé e nem esgoto.

Notisul – Para você, qual o papel exato do deputado?
Cleosmar
– É buscar recursos para os municípios que ele representa. No meu caso, os municípios da região.

Notisul – Quais as áreas que precisam de mais investimentos na região?
Cleosmar
– Além do turismo, que consequentemente gera empregos, temos que cuidar das pessoas que obtém renda de forma artesanal, como os pescadores. Tubarão, por exemplo, está recebendo recurso para desassorear o Rio Tubarão. Mas isso de nada adiantará se não desassorear a lagoa de Santo Antônio dos Anjos, porque a tendência natural é a água retornar e o rio vai ficar mais fundo do que a lagoa. A meta é conseguir recurso para o desassoreamento do sistema lagunar todo. Quando foi construída a ponte de Cabeçudas, no projeto da BR-101, cometeram um crime: diminuíram a extensão da ponte e fizeram um aterro. O fluxo natural das águas entre as lagoas do Mirim e de Santo Antônio foi diminuído. Temos que rever essa situação. O pescador passa por dificuldades. O período do defeso tem que ter revisto, recebo muitas reclamações neste sentido. Precisamos mudar o período de defeso, fazer uma grande audiência pública, conversar com o pescador e ver se isso pode ser revisto. Acredito que o deputado tem condições de fazer uma grande mobilização e abrir esse debate.

Notisul – Como você avalia a atuação dos deputados que representaram a região até então?
Cleosmar
– Não quero fazer minha plataforma política criticando ninguém, mas o que percebemos hoje é que o candidato recebe muitos votos na cidade onde é sediado e poucos votos nas cidades vizinhas. Quando eleito, ele acaba por não dar atenção para os municípios que pingaram pequenas quantidades de votos à ele. E isso é triste, porque temos que representar pelo menos a nossa região. Não adianta Tubarão ser o top do desenvolvimento se Imaruí, Laguna, Imbituba, entre outras cidades vizinhas, não tiverem também o equilíbrio econômico.

Notisul – Qual a sua opinião nos votos direcionados a candidatos da região?
Cleosmar
– Ninguém pode impedir que um candidato do norte, do oeste, venha aqui na nossa região pedir votos. Mas esse sujeito nunca mais vai aparecer aqui se tivermos a cultura de impedir isso. Se elegermos candidatos da nossa região vamos ter um desenvolvimento muito maior. Se votarmos em um candidato lá do norte, esse candidato vem aqui, ganha dois mil votos e vai embora, mas a precariedade da saúde da região continua ali, assim como a dificuldade de conseguir exames e emprego.
Notisul – Como você está formando sua base eleitoral?
Cleosmar – Sou lagunense, então é natural que eu receba mais votos na cidade. E eu tento convencer os eleitores das cidades vizinhas que o que eu quero é o desenvolvimento harmônico de toda a região, e não apenas de Laguna.

Notisul – Quanto você pretende gastar na campanha?
Cleosmar
– O limite de gasto da nossa legenda é de R$ 350 mil, mas dificilmente chegaremos a isso. Vamos fazer uma campanha franciscana: apelar para o voto do coração, da consciência.
As entrevistas realizadas pelo Notisul com os candidatos com domicílio eleitoral na região serão em ordem alfabética.

Já entrevistados
Ada De Luca (15015) – PMDB – Laguna; Alexandre Moraes (15650) – PMDB – Tubarão; André Igreja (12123) – PDT – Imbituba; Arlei da Silva (23730) – PPS – Capivari de Baixo; Araildo Domingos Liberato (PG) (12312) – PDT – Capivari de Baixo; Carlos Stüpp (45888) – PSDB – Tubarão; Cleosmar Fernandes (22222) – PR – Laguna; Douglas Antunes (20200)- PSC – Tubarão.