O professor Ademir Milo Mota da Silva, 46 anos, é natural de Siderópolis e adotou Gravatal já há alguns anos. É casado e tem um filho. Com vasta experiência na política, concorre pela primeira vez a um cargo na câmara federal pelo PT. Milo é formado em biologia e atua como professor universitário nas disciplinas de educação ambiental, além de trabalhar com dinâmicas de equipes para superação de conflitos. Leciona no Centro Universitário Barriga Verde (Unibave), em Orleans. Durante 12 anos, trabalhou na Udesc, onde coordenou o programa de humanização do campus com projetos ambientais. Milo começou na militância na adolescência, em grupos de jovens de Siderópolis e Tubarão, época que já despertava o seu interesse nos movimentos ambientalistas. Em 1989, aos 24 anos, tornou-se vereador em Siderópolis e foi considerado na época um dos mais jovens presidentes do legislativo na região. Em Gravatal, foi secretário de turismo e meio ambiente, em 2008. No ano seguinte, exerceu o cargo de secretário da educação, pelo qual ficou até março deste ano. Dedica-se há 25 anos ao magistério e uma das suas principais propostas é priorizar a educação com base da solidariedade, cooperação e na cultura de paz.

Carolina Carradore
Tubarão

Notisul – Como candidato da região, qual a bandeira você tem levantado na campanha?
Milo
– Quero batalhar para que todas as regiões do estado tenham tratamento igualitário de desenvolvimento. O sul precisa recuperar politicamente o seu direito de desenvolvimento, precisa de força política. Temos projetos fundamentais, como duplicação da BR-101, o aeroporto de Jaguaruna e o porto de Imbituba. São obras que precisam ser agilizadas. Agora, precisamos também de projetos inovadores. Temos um grande potencial dentro do Brasil, que é Santa Catarina, e temos dentro do estado uma das regiões com enorme potencial que é a nossa região. Quero trabalhar para o turismo sustentável dessa região como forma de gerar emprego e renda. Temos também que ter mais investimentos no saneamento básico em Tubarão e em todas as cidades da bacia hidrográfica. Precisamos de um projeto governamental de despoluição do Rio Tubarão, que passa pelo saneamento básico. Isso é necessário para melhorar qualidade dessa água, como também para favorecer a pesca do turismo no Complexo Lagunar. De modo geral, os políticos não consideram isso importante, mas eu considero.

Notisul – Para você, qual o papel exato do deputado federal?
Milo
– O deputado tem a missão de cuidar das questões políticas de todo o Brasil. No meu caso, também de Santa Catarina, além de fiscalizar as aplicações dos recursos públicos. Agora, um deputado pode também ter um mandato criativo e dinâmico em parceria com a sociedade civil organizada e promover debates de desenvolvimento no estado e na região sul. Quero ser um deputado que irá discutir as aplicações das minhas emendas com a maioria da população organizada, não somente com prefeitos.

Notisul – Como você avalia a atuação dos deputados que nos representaram até então?
Milo
– Bom, cada deputado, quando eleito, tem um propósito político. Avalio que todos têm feito o melhor de si. Na nossa região, há necessidade de inovação, por questões de visão de mundo. É bom abrir espaço para outras dinâmicas. Isso traz inovação, pode revitalizar a política.

Notisul – Como educador, o que você acha que está faltando na região?
Milo
– A educação, em nível de Brasil, no governo Lula, já avançou bastante. São 500 mil novas vagas de universidade no ProUni, 14 novas universidades públicas criadas e mais 214 escolas técnicas para a qualificação. Quero, como deputado federal, ajudar Dilma (Roussef, candidata a presidenta da república pelo PT) a governar o Brasil e fazer grandes avanços na área da educação. Defendo o pagamento do piso salarial nacional do educador. No estado, o atual governo do estado não quis fazer esse pagamento, uma incoerência total. O fundamental é desenvolvimento sustentável, educação de qualidade para todos, oportunidade aos jovens de geração de emprego e renda e respeito à diversidade. Quero ser um deputado que promova a democracia participativa, chamar a sociedade para discutir e potencializar os principais projetos de desenvolvimento da região, com base na sustentabilidade, respeito ao ambiente natural e justiça social.

Notisul – Como você está formando a sua base eleitoral?
Milo
– Minha base eleitoral é a Amurel. Primeiro, fizemos contato com lideranças, representantes da educação, ambientais, populares e vários professores da universidade da região. Há uma adesão muito grande de jovens na nossa campanha, que acreditam em nossas propostas.

Notisul – Você está fazendo dobradinha com alguém?
Milo
– Sem dúvida nenhuma, tenho dobradinha com Olavio Falchetti (candidato a deputado estadual pelo PT). Ele é um presente para Tubarão, uma pessoa maravilhosa. Quero ser eleito deputado federal e ter ao meu lado Olavio Falchetti como estadual.

Notisul – Quanto você pretende gastar na campanha?
Milo
– É uma das campanhas mais econômicas que estamos realizando. Acredito que nosso orçamento seria hoje, no máximo, de R$ 70 mil, com gasto com material de campanha. Temos uma equipe de colaboradores e uma estrutura muito pequena.

As entrevistas realizadas pelo Notisul com os candidatos com domicílio eleitoral na região serão em ordem alfabética.

Já entrevistados
Deputados estaduais
Ada De Luca (15015) – PMDB – Laguna; Alexandre Moraes (15650) – PMDB – Tubarão; André Igreja (12123) – PDT – Imbituba; Arlei da Silva (23730) – PPS – Capivari de Baixo; Araildo Domingos Liberato (PG) (12312) – PDT – Capivari de Baixo; Carlos Stüpp (45888) – PSDB – Tubarão; Cleosmar Fernandes (22222) – PR – Laguna; Douglas Antunes (20200)- PSC – Tubarão; Joares Ponticelli (11223)- PP – Tubarão; José Nei Ascari (25111) – DEM – Braço do Norte; Keli Cordeiro Oliveira (45321) – PSDB – Laguna; Manoel Moura (12412) – PDT – Jaguaruna ; Olavio Falchetti (13413) – PT – Tubarão.

Deputados federais
Ademir Milo Mota da Silva (1320) – PT – Gravatal; Antônio João Tavares (1234) – PDT – Orleans.