Presidente da “Estaca” de Tubarão, José Deolíndio da Silva não é remunerado pelos serviços eclesiásticos que realiza na igreja, assim como todos os outros líderes locais e gerais no mundo inteiro. Ocupa o cargo há quatro anos. É natural de Curitiba, veio transferido pela empresa em que trabalha e chamado para trabalhar na igreja.

Lily Farias
Tubarão

Notisul – Como iniciou a religião?
José
– A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, que tem suas origens nas regiões ocidentais de Nova Iorque, Estados Unidos, onde nasceu e cresceu Joseph Smith Júnior, camponês e trabalhador braçal iletrado que, no fim da década de 1820, de acordo com a igreja, foi chamado para ser um “profeta de Deus em tempos modernos” e para ser o “tradutor” de O Livro de Mórmon, que, segundo Smith, é a tradução literal das palavras encontradas em um conjunto de placas de ouro que tinham sido enterradas em um bosque perto de sua casa, por um antigo profeta que vivera no continente americano em 400d.C. Em 6 de abril de 1830, Joseph organizou uma igreja, sendo a primeira igreja jurídica, chamada oficialmente “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

Notisul – E no Brasil?
José
– A primeira família de membros da igreja veio da Alemanha, em 1923. Logo em seguida, em 1928, chegaram os primeiros missionários dos Estados Unidos para pregar o evangelho em Joinville. Atualmente, a igreja possui mais de 1,1 milhão de membros em mais de duas mil congregações no país, e mais de 14 milhões de membros em todo mundo. Os assim chamados “santos dos últimos dias” têm o compromisso permanente de promover autossuficiência e de amenizar o sofrimento humano de todos os povos. Em Tubarão, conta com duas unidades, chamadas “alas”, sendo uma a sede na região sul do estado, denominada “estaca” (um conjunto de alas), localizada na rua Manoel Miguel Bitencourt no bairro Humaitá. A “estaca Tubarão” é formada por nove unidades, sendo duas alas em Tubarão, um ramo em Imaruí, Imbituba e Laguna, duas alas em Criciúma, uma ala em Içara e um ramo em Araranguá.

Notisul – Qual o papel da igreja para a sociedade?
José
– Temos muito trabalho humanitário na igreja. A intenção é fazer com que cada membro se torne autossuficiente. Cobramos o dízimo dos membros, mas paga quem pode e quem quer. O dinheiro da contribuição investimos nos irmãos, construímos e reformamos capelas, reformamos capelas, doamos a instituições de caridade, até ajudamos outras igrejas. Para controlar esse orçamento, é feita, a cada seis meses, auditoria em todas as igrejas da minha estaca e São Paulo faz auditoria em todas as estacas. A autossuficiência que refiro é elevar o ser humano para poder caminhar com as próprias pernas. Se há um bispo de unidade desempregado, aciono o departamento de bem-estar, ele receberá ajuda com cursos, capacitações, até que encontre um novo emprego para então estar bem consigo e poder ajudar as pessoas. Temos faculdades pagas por membros da igreja. Contribuímos mensalmente para o Fundo Perpétuo de Educação, assim podemos subsidiar até 100% de cursos para nossos irmãos. Ele terá que devolver uma parcela mínima por mês quando puder começar a pagar. Esse dinheiro é devolvido para podermos investir em outros membros.

Notisul – As pessoas não se prevalecem da igreja por isso?
José
– Fiz essa mesma pergunta aos meus líderes em São Paulo. Eles me responderam que, independente de a pessoa pagar ou não, a intenção da igreja é ver um cidadão formado. Muitos não pagam, chegam até a se afastar da igreja. Mas quem se afasta tem a plena certeza de que ajudamos e muitos são gratos. A igreja não cobra a fé da pessoa, cobra a honestidade. Uma pessoa dessa não entra no templo, mas nada impede de ser membro, nem assistir às reuniões. Ele tem uma chance de se recuperar, pode pagar um valor mínimo por mês, o quanto puder. Mas, durante este processo, vamos trabalhando a mente em relação à honestidade. Se não for honesto, a igreja não faz papel nenhum na vida dele, temos que refazer a mente dessa pessoa.

Notisul – Quando se fala em religião, o casamento está acima de quase tudo. E, nos dias de hoje, é difícil manter a instituição?
José
– O casamento tem que ser em conjunto, sou sócio da minha mulher para manter o nosso lar. Para que tudo dê certo, temos psicólogos da própria igreja que trabalham o relacionamento conjugal. Em todas as religiões, o casamento é ‘até que as morte nos separe’, temos essa visão. Mas acreditamos além dessa vida, achamos injusto que a morte nos separasse. Se morrer, anula-se tudo vivido até então. Por isso, selamos um matrimônio para todo o sempre. O nosso casamento religioso é no templo, e o civil na igreja. Ninguém casa por toda a eternidade se não tiver casado no civil. Cumprimos todas as leis dos homens para depois cumprir a lei de Deus. Existe pregando o Evangelho. Assim que ressuscitarmos, nem um só fio de cabelo se perderá, tudo que se tem irá ressuscitar com você, seus vícios, desejos e vontades. Tem que trabalhar para eliminar estes vícios

Notisul – O que ocorre até ressuscitar?
José
– Existem duas partes do mundo espiritual, o lamento e o paraíso, o tempo não é contado como o nosso, ele não existe, as pessoas estarão lá até o dia da ressurreição à espera do dia do julgamento, para condenação ou vida eterna. Nosso trabalho continua no mundo espiritual. Quem viveu distante da religião tem a oportunidade de conhecer o evangelho. Se no mundo espiritual a pessoa nunca ouviu falar de Jesus, prega-se o evangelho e todos aqueles que creem e forem batizados serão salvo. Mas agora ele não tem mais o corpo físico. Alguém da família aqui na Terra pode receber a ordenança do batismo por imersão. Fizemos uma pesquisa genealógica, reunimos os dados da nossa família e levamos para o templo. O espírito recebe a ordenança por procuração. Ele já aceitou o batismo que foi realizado na Terra e sai das trevas espirituais para o paraíso. Vai para o julgamento para receber um dos três graus de glória: Reino Celestial, Terrestre e Teleste.

Notisul – E isso não é injusto, vindo de Deus, que é pai, que nunca quer o mal de um filho?
José
– Eu procuro viver o Evangelho 100% e tenho um amigo que não vive isso, gosta de beber, fumar, trair a mulher, não fez um casamento para toda a eternidade. Quando morrer, seria justo eu viver com ele no mesmo local, tendo que fazer sacrifícios na Terra, que, para ele, não fez diferença nenhuma?

Notisul – Como a religião defines temas como aborto
José
– A criança foi gerada, a igreja não se intromete na procriação da mulher. Mas somos contrários se ela fizer um aborto sem um motivo forte, como estupro, incesto, o feto ter um anomalia ou o bebê e a mãe correm risco de morte.

Notisul – Pena de Morte e eutanásia?
José
– Não temos o direito de tirar a vida de uma pessoa. O ser humano tem seu ciclo natural. Para viver em comunhão com a sociedade, apoiamos a lei do país, mas não incentivamos a causa.

Notisul – Homossexualidade?
José
– Isso é um caso complexo. Ensinamos que sexo não é escolhido. Temos na igreja rapazes que, enquanto tiverem vivendo a lei da castidade, terão todo o respeito. A partir do momento que quebra esta por meio do sexo com pessoa do mesmo gênero, passam pelo conselho da igreja. Temos psicólogos para trabalhar com eles. Não acreditamos que Deus possa criar um corpo masculino e criar um espírito feminino, ele não erraria. Não temos preconceito, apenas queremos ajudar. Amamos essas pessoas, mas não incentivamos a essa vida. Há pessoas que participam normalmente da igreja, respeito a posição. Mas, assim como a pessoa que não paga o Fundo Perpétuo de Educação, ele não vai ter o direito a uma recomendação ao templo, mas isso não impede de ir à igreja. Deus ama todas as pessoas, independente de sua classe ou cor ou sexualidade.

Notisul – A busca por fiéis pode representar uma mercantilização das religiões?
José –
Não porque não visamos lucro. A nossa intenção é fazer com que as pessoas conheçam a verdade, encontrem-se. Somos incentivados desde a infância a nos preparar pessoal, espiritual, financeiramente para a nossa missão. Custeamos tudo, não é um trabalho que a igreja diz que você será nosso missionário, dá subsídio e você vai para qualquer lugar do mundo. É algo que é nosso, é uma doação nossa, tanto de tempo e talento, quanto de dinheiro. Se não tem condições de pagar a sua missão, os irmãos de onde frequentas ajudam. Dinheiro não é, nunca foi e nunca será o nosso foco.

Notisul – O livro base de vocês é a Bíblia?
José
– Sim, e temos também o Livro de Mórmon. As pessoas acham que temos uma nova Bíblia, mas não é bem assim. O Livro de Mórmon é um relato dos povos que viveram aqui nas Américas, feito por profetas das Américas. No livro, constam informações de como os profetas saíram de Jerusalém e vieram para cá. Este livro não substitui a Bíblia, acrescenta conhecimento.

Notisul – A Bíblia não pode ter sofrido traduções que mudaram seu conteúdo?
José
– João Ferreira de Almeida, tradutor da nossa Bíblia, era neutro com relação a religiões, assim como rei Tiago, nos Estados Unidos. Usam tradução de Rei Tiago por ser historiador, não pendia a nenhuma religião. E a história de João é mais ou menos assim. Se nós tivéssemos uma Bíblia nossa, iríamos colocar uma doutrina nossa. Essa não é a visão de Jesus Cristo, o correto seria que tivessem todos os registros na Bíblia, mas não tem. Sabemos que muitas passagens foram tiradas por causa das perseguições na época da inquisição. Não podemos abrir mão da Bíblia, nos ajudou muito. Mas também não acreditamos que tenha uma Bíblia 100% completa. Quando juntamos o livro de Mórmon e a Bíblia e comparamos os dois, ali acreditamos que Deus existiu, que ele ainda vive em função de todos nós.

Notisul – E as pessoas que não acreditam em Deus?
José
– Tem pessoas que acreditam só em Deus, tem pessoas que acreditam só em Cristo, tem pessoas que acreditam nos dois e tem pessoas que não acreditam em nada. Nós não debatemos sobre religião com elas. Eu sei que Deus existe, mas é difícil explicar. Sabemos o gosto do açúcar, mas a pessoas que não têm o paladar, será que conseguem sentir o gosto? Aí você tem que procurar outros meios de fazer com que ela sinta este gosto. E o principal que peço é que dobre o joelho e sinta que Deus está presente.

Notisul – Sua mensagem final.
José
– Uma das coisas que pregamos na igreja é que nenhum sucesso na vida compensa o fracasso no lar. O homem é a cabeça do lar, mas a mulher é o pescoço. Ela mostra para ele onde deve dirigir a visão. Trabalhamos em conjunto para o bem-estar da família. Esse é o objetivo do meu chamado como presidente da estaca, ajudar as famílias da igreja.

"Temos templos no mundo inteiro. Somente pessoas com mais de um ano de igreja podem frequentar e apenas com recomendação especial. É preciso cumprir os mandamentos bíblicos. Tem que se mostrar digno de entrar no em um local santo. Para nós, os templos não são de adoração. Para conseguir um ‘passaporte’, tem que fazer uma entrevista com o bispo da igreja que se frequenta, que dirá se a pessoa leva uma vida de acordo com o Evangelho. A recomendação é válida por dois anos e pode ser cancelada se a conduta da pessoa não for exemplar. Uma vez, perguntaram qual era o signo da nossa religião e a resposta foi: a dignidade dos membros. Para medir a fé de cada membro, avaliamos a frequência de sua participação na igreja. É pedido que vá pelo menos duas vezes por ano ao templo. Caso contrário, o bispo conversa com a pessoa para ver por que se afastou. Não queremos invadir a vida das pessoas, o intuito é o progresso coletivo. Não adianta eu seguir uma religião se a minha vida não está em progresso."

"Para nós, o inferno nada mais é onde nós nos colocamos. Sabermos que temos uma escolha, fazer a escolha errada e sofrer as consequências. Isso transforma realmente um inferno a tua vida. Pode ser aqui na Terra ou no mundo espiritual. Uma pessoa fez muita coisa errada aqui na Terra e morre. Se tivesse que ir para o céu, seria um inferno para ele."

"As pessoas imaginam que Deus levou seis dias para fazer a Terra. Mas nossos dias são diferentes do tempo Dele. Para comparar o tempo de Deus, seria comparar ao tempo de Kolob, estrela mais distante da Terra. Digamos que Ele levou seis mil anos para fazer a Terra e no sétimo descansou, sobraram mil anos de preparação. Talvez semeou tudo que conhecemos hoje. Para então começar a colocar os seres viventes. Depois colocou o pai Adão, tirou a sua costela e criou Eva. A ciência mostra que foi uma explosão, mas podem tentar criar uma explosão que não terão os mesmos elementos do planeta Terra."

"Deus ama todas as pessoas, independente de sua classe, cor ou sexualidade."

"Só podem namorar a partir dos 16 anos, preferencialmente com pessoas da igreja, e o sexo é proibido até o casamento”.

José por José

Deus – Pai amoroso.
Família – A base de tudo.
Trabalho – Lei Celestial.
Passado – Parte importante da construção de nossa história.
Presente – Tempo ideal para nos aperfeiçoarmos.
Futuro – É o que nos inspira .