Foto: Tuliana Rosa/Prefeitura de Imbituba/notisul
Foto: Tuliana Rosa/Prefeitura de Imbituba/notisul

Perfil
O prefeito de Imbituba destaca como conquistas de seu primeiro ano de governo a desoneração da folha de pagamento da prefeitura, a conclusão de obras em andamento e a continuidade de outras que estavam paralisadas, além da redução significativa da fila de exames mais urgentes. Para 2018, pretende investir mais em infraestrutura, saneamento e separação e destinação do lixo. Rosenvaldo fala ainda da saída de seu vice, espera que Zaga volte a ter uma atuação mais presente.

Priscila Loch
Imbituba

Notisul – Como você avalia este primeiro ano de governo?​
Rosenvaldo –
Foi um ano de trabalho intenso, de atendimento de muitas demandas reprimidas, de mudança de gestão, de um olhar atento em setores que precisam de respostas mais efetivas. Concluímos o ano com a sensação de que muito foi feito, de que melhoramos em muitos pontos, mas também sabemos que muito ainda temos que evoluir em outros.

Notisul – O fechamento das contas vai ocorrer conforme a necessidade?
Rosenvaldo –
Estes últimos meses foram de dificuldades por conta de diminuição na arrecadação e de cumprir compromissos assumidos. Então, foi um momento de apertar os cintos, reduzir despesas, para fechar o ano.

Notisul – Como você pegou a prefeitura e o que conseguiu colocar nos eixos até agora?
Rosenvaldo –
Pegamos a prefeitura com algumas pendências. Tivemos que pagar nos primeiros dias de governo mais de R$ 1 milhão de precatórios, as férias dos professores que não haviam sido pagas e assumimos uma dívida de INSS de mais de R$ 10 milhões, que foi parcelada. Durante este ano, conseguimos acertar estas pendências, concluir obras que estavam em andamento, dar seguimento em outras que estavam paralisadas. Retiramos da fila de exames vários pacientes que estavam esperando por anos, zerando a fila em alguns procedimentos que eram mais urgentes, como cateterismos cardíacos e colonoscopias. Fizemos um processo de demissão voluntária, propiciando a saída de vários servidores aposentados, que puderam contar com este benefício, ao mesmo tempo em que conseguimos desonerar a folha. Em benefício dos servidores, conseguimos dar um reajuste de 10%, já nos primeiros meses do mandato.

Notisul – Quais as principais dificuldades?
Rosenvaldo –
As maiores dificuldades foram com a questão financeira. As dívidas com precatórios, INSS, a arrecadação insuficiente fizeram com que não conseguíssemos avançar o que gostaríamos e nos trouxeram a necessidade de puxar o freio de mão neste encerramento de ano.

Notisul – Quais os planos para 2018?
Rosenvaldo –
Em 2018, queremos investir mais em infraestrutura, realizar obras de pavimentação, reforma do ginásio de esportes, retomada da obra da creche do centro, iniciar obras em saneamento, investir em projeto de separação e destino adequado do lixo.

Notisul – Qual o valor da folha de pagamento hoje e quantidade de comissionados?
Rosenvaldo –
Hoje, o valor da folha está em torno de R$ 3 milhões e temos 141 cargos comissionados, uma redução de 15% em relação ao governo anterior.

Notisul – O seu vice, Luiz Gonzaga de Carvalho, o Zaga, anunciou que sairia do governo sob a justificativa de que lhe faltava espaço. O que você pode falar a respeito e o que mudou no governo depois desse episódio?
Rosenvaldo –
A saída do vice ocorreu porque, na visão dele, o espaço que ocupava no governo não era o esperado. Nós discordamos, achamos que compomos uma administração bastante democrática e participativa. Estamos abertos ao entendimento e esperamos que possamos voltar a ter sua atuação mais presente. Quanto ao que mudou, posso dizer que foi muito pouco, inclusive os secretários e cargos por ele indicados continuam conosco, fazendo um bom trabalho.

Notisul – Que outras ações e investimentos podem ser esperados até 2020?
Rosenvaldo –
Até 2020, esperamos realizar 30% da cobertura da coleta de efluentes, despoluir a Lagoa da Bomba, conseguirmos uma UTI para o Hospital São Camilo e uma sede própria para nossa Secretaria de Saúde.

Notisul – Falando em coleta de efluentes, antes de assumir você disse que iria rever a gestão da água e o saneamento no município, já que não houve investimentos nos últimos anos. Houve algum avanço?
Rosenvaldo –
No saneamento, já encaminhamos para a câmara um projeto de lei para viabilizarmos uma autarquia municipal. Estamos finalizando o projeto de esgoto para os bairros de Vila Alvorada e Vila Nova Alvorada, com a expectativa de conseguirmos recursos já no próximo ano.

Notisul – Essencial para a economia de Imbituba, o porto tem expectativa de crescimento da movimentação de cargas em 2018. Como você avalia essa evolução nos últimos anos?
Rosenvaldo –
O porto é fundamental na economia de Imbituba. O seu crescimento nos últimos anos e as perspectivas para os próximos nos dão esperanças de dias melhores, já em 2018.

Notisul – Outro nicho bastante importante para o município é o turismo. Fica em Imbituba, por exemplo, a mundialmente conhecida e badalada Praia do Rosa. Que investimentos já foram realizados para incrementar o setor e que outros podem ser esperados?
Rosenvaldo –
O turismo realmente é outro setor importante e que tem muito a ser desenvolvido. Temos procurado estar bastante próximos ao setor, melhorando a fiscalização, ordenando o trânsito, regularizando a atuação de empreendedores. Temos muito que investir em infraestrutura, mas já estamos melhorando questões básicas como coleta de lixo, iluminação e abastecimento de água.

Notisul – “A cidade de Imbituba precisa ser vista como um polo gerador de riquezas, proporcionando crescimento aos negócios já instalados, ao mesmo tempo em que atrai novas empresas”. Este objetivo citado em seu Plano de Governo já teve algum resultado na prática?
Rosenvaldo –
Sim. Estamos concluindo a regularização do distrito industrial, já fizemos o levantamento das empresas instaladas e do cumprimento ou não do contrato. Isto vai nos permitir nos próximos meses licitar novas áreas para empreendimentos no local, alavancando desenvolvimento, arrecadação e geração de empregos. Muitos contatos de empresas foram realizados ao longo do ano, mas a falta de regularização da área atrapalha a vinda destas empresas.

Notisul – Ainda sobre o Plano de Governo, uma de suas metas era ampliar o número de consultas médicas, de especialistas e de convênios com o Hospital São Camilo. Conseguiu tirar alguma coisa do papel já?
Rosenvaldo –
Sim, conseguimos ao longo do ano reduzir bastante as filas em exames do TFD e consultas especializadas, pagando com recursos próprios, através do CIS-Amurel. Em meados do ano, zeramos a fila em exames como cateterismo e colonoscopia. Hoje, já existe uma nova demanda reprimida, mas em 2018 faremos novo mutirão para ampliar ainda mais este ganho.

Notisul – E o problema dos animais abandonados, conseguiu começar a resolver? Existe algum projeto maior?
Rosenvaldo –
Começamos a resolver. Tivemos agora o resultado de uma licitação, para castração de 300 animais, que vamos destinar ao setor. Temos o projeto maior de um centro de controle de zoonoses, que está em análise.

Notisul – São divulgadas com frequência notícias sobre atletas e competições em Imbituba. Houve algum avanço no esporte durante o seu governo no que diz respeito a investimentos?
Rosenvaldo –
Iniciamos o Projeto Transformar, que pretendemos ampliar em 2018. Formalizamos escolinhas de futebol, masculino e feminino, futsal, ampliamos apoio ao judô, para-atletismo, mantivemos o Pro-Esporte, que viabiliza várias modalidades esportivas.

Notisul – E na educação, que melhorias você pode citar neste primeiro ano?
Rosenvaldo –
Retiramos o sistema apostilado e estamos atualizando o nosso Plano Municipal de Ensino. Ampliamos o horário de atendimento em algumas creches, para poder atender os pais que trabalham até mais tarde, incluindo uma refeição a mais nas escolas. Desenvolvemos vários projetos no turno e contraturno, como balé, patinação e música, que nos permitiu fazer o nosso primeiro Concerto Natalino alguns dias atrás.

Notisul – O que o Programa de Desenvolvimento Econômico Local vai significar para o município na prática?
Rosenvaldo –
O Programa DEL representa o primeiro passo num grande anseio de nossa administração, que é planejar nosso município em longo prazo, pensando Imbituba para 20, 30 anos. O Projeto de Desenvolvimento Econômico Local vai nos permitir este grande trabalho, de maneira participativa, discutindo e construindo o nosso futuro, junto com o setor produtivo, com entidades representativas de toda a comunidade.

Notisul – Ainda sobre desenvolvimento, como você avalia o fato de a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) nunca ter saído verdadeiramente do papel?
Rosenvaldo –
Realmente, este é outro grande passo para o desenvolvimento de nossa cidade. Fazer com que esta grande área sirva para o crescimento econômico e para a geração de empregos. Estivemos ao longo do ano em algumas audiências com o governador do Estado, com o secretário da Casa Civil, Nelson Cerpa, também na extinta Codesc, sempre pleiteando para que esta área venha para o município. Neste momento, podemos dizer que estamos muito próximos disto.