Zahyra Mattar
Capivari de Baixo

Notisul – Qual a sua avaliação sobre a coligação pela qual o senhor é o cabeça-de-chapa?
Brunel
– Na nossa coligação, estão PMDB, PSDB, PRP, PPS e PTC. É uma coligação unida e participativa. São partidos fortes no município. Além disso, temos novamente Nivaldo (de Souza – PMDB) do nosso lado, que já foi vice-prefeito na minha administração. Juntos, transformamos a cidade em um marco administrativo da Amurel e do estado, recebemos até mesmo um prêmio do Sebrae como um dos melhores prefeito e vice empreendedores do Brasil. A retomada desta parceria significa que temos um projeto, uma avaliação que nos diferencia dos outros candidatos.

Notisul – Quais os projetos estão englobados em seu programa de governo?
Brunel
– Temos projetos fundamentais na área da educação, que é oportunizar aos filhos de Capivari a ter bolsa de estudo para voltar para as universidades e implementar cursos técnicos gratuitos. Já temos a Fucap, implantada em nossa administração. Fomos nós que viabilizamos, junto à Tractebel Energia, a aquisição do terreno. Queremos buscar mais parceria com a Fucap e também com a Unisul, para formar os nossos cidadãos. Também temos a intenção de implantar uma escola profissionalizante e oportunizar capacitação e melhoria de salário para os professores da rede pública. Além disso, temos o projeto de aumentar a área de indústria e comércio. Uma das idéias é aumentar o parque industrial de Capivari. Quem sabe até transformar as áreas remanescentes da Companhia Siderúrgica Nacional em condomínio empresarial. Na área social, o nosso objetivo é criar a Casa Dia do Idoso, um lugar onde o idoso ficaria durante o dia enquanto os seus familiares trabalham. Ali, ele teria à disposição um geriatra, assistente social e outros especialistas necessários para a sua melhora de qualidade de vida. Dentro desta mesma idéia, temos a pretensão de instalar a Casa da Mulher, onde a mulher terá acesso a exames como mamografia, preventivo de câncer, por exemplo, além de psicólogo, ginecologista e outras especialidades relativas à saúde do corpo e da mente. Também queremos fortalecer o pronto-atendimento 24 horas. Para isso, queremos incluir o setor de pediatria onde existia a maternidade. Os postos de saúde também terão os serviços melhorados com o objetivo de trabalhar fortemente a prevenção de doenças. Para isso, queremos contratar mais especialistas. Na área social, a meta é resgatar o trabalho que já fiz em cima das habitações populares. Capivari tem uma carência de mais de 500 casas populares. Na minha época, isso era atendido periodicamente. Hoje, com esta deficiência, temos que buscar alternativas com a Cohab e o Sistema Nacional de Habitação.

Notisul – Em sua visão, hoje, qual é a maior necessidade de Capivari de Baixo?
Brunel
– Emprego. Precisamos buscar mais oportunidades para os filhos de Capivari de Baixo. Todos os prefeitos brasileiros precisam buscar alternativas de ofertar novos postos de trabalho. Com um emprego, você muda a família. Portanto, esta é uma das metas mais fortes no meu plano de governo.

Notisul – Em diversas áreas, as pessoas continuam a utilizar os serviços disponibilizados em Tubarão. O que é possível fazer para que Capivari seja completamente independente de Tubarão?
Brunel
– Isso é uma troca. A recíproca é verdadeira. Temos muitos tubaronenses trabalhando em empresas de Capivari. O que se tem que fazer é aumentar as vagas de empregos em Capivari para absorver, cada vez mais, a mão-de-obra disponível. Mas esta ligação com Tubarão, a cidade-mãe de Capivari, precisa sempre permanecer forte. Isto, para mim, é visto com bons olhos. Por isso que repito: a meta é trabalhar forte na geração de empregos para evitar que o capivariense saia da cidade e passe dificuldades.

Notisul- Capivari de Baixo tem hoje um dos maiores orçamentos da Amurel, se não o maior. Por que a cidade ainda não conseguiu desenvolver-se e ainda é conhecida como uma ‘cidade dormitório’?
Brunel
– O advento da transformação de Capivari de Baixo em município foi o maior crescimento existente para a localidade. Naquela época, passávamos por uma situação complicada com o fechamento da Companhia Siderúrgica Nacional. Com a instalação de uma prefeitura e a ampliação da Tractebel Energia e as empreiteiras que existiam lá, Capivari transformou-se em um pólo na geração de emprego. E este crescimento precisa voltar a ocorrer. Quando Brunel e Nivaldo estavam na prefeitura, a cidade teve um crescimento surpreendente e elogiável. Nós dependeremos sempre do estado, do governo federal e das cidades próximas ao município. Mas, com o crescimento que se aproxima com a chegada da duplicação da BR-101, o Aeroporto Regional Sul, a nossa meta é trazer mais empresas. Isto nos dará a independência que queremos no futuro. Capivari é pequena no território, mas enorme no coração.

Notisul – No bairro Santo André, há muitas reclamações de cães abandonados. Há algum projeto de canil municipal?
Brunel
– Há sim. Visitei a comunidade de Santo André e três senhoras pediram isso. Uma delas, inclusive, disponibilizou-se como voluntária. Na minha casa, tenho quatro cães que tirei da rua. Minha irmã tem 17 animais. Não somente por isso, mas adoro animais. Minha irmã tem mais 17 animais.

Notisul – O cemitério está lotado. Qual a solução para este problema?
Brunel
– Acharemos uma área condizente para construir um novo campo santo no município.

Notisul – É possível fazer uma avaliação positiva da atual administração?
Brunel
– Eu gostaria de não emitir nenhum parecer. Não quero que esta entrevista pareça que eu vim até o Notisul para usar o jornal para fazer críticas aos meus adversários. Quero falar somente das minhas propostas, das minhas idéias.

Notisul – Você e seu irmão (Atamir) estão em lados diferentes. Araildo Liberato Machado, o PG, e Moacir Rabelo desfizeram a parceria. Qual a sua avaliação a respeito destas peculiaridades da eleição em Capivari?
Brunel
– Nunca quis envolver minha família em política. Mas eu acho que esta é uma situação natural. No município de Painel, dois irmãos concorreram à prefeitura, por exemplo. Somos em nove irmãos, sete me apoiam. Então, entendo que a nossa família continua unida, apesar deste momento de disputa política.

Notisul – Se o senhor não for eleito, que rumos seguirá profissionalmente? Continuará na política?
Brunel
– Estarei mais próximo da dona Áurea, da Fernanda e da Bruna, da minha família, dos meus amigos e do meu querido Capivari de Baixo.