sexta, 22 de fevereiro de 2019
Facebook Instagram Twitter Youtube
48 3053-4400

Direto da Terra - Marcio Fonseca de Carvalho

Uma ideia de sistema de produção sustentável

Publicado em 23/03/2018 00h11

Bom dia! A busca por sistemas de produção de alimentos cada vez mais sustentáveis é o objetivo de pesquisadores e produtores. Gastos excessivos com água, fertilizantes minerais e energia podem tornar a agricultura como conhecemos um tanto quanto insustentável financeira e ecologicamente falando. No meio do ano passado fui convidado por um professor de uma instituição de nossa cidade para ajudar no desenvolvimento de um projeto nesse sentido. Fui convidado pelos meus conhecimentos na área e também porque nossa empresa, a Prisma Energia Solar, hoje P3 SUSTENTABILIDADE, foi a primeira na cidade e no estado de Santa Catarina a trabalhar exclusivamente com sistemas solares fotovoltaicos. A ideia era simples, fazer uma estufa de hidroponia com energia solar fotovoltaica para suprir a necessidade de energia elétrica das luzes e bombas que tocam o sistema hidropônico.

Fizemos algumas reuniões, nossos engenheiros projetaram o que foi proposto para o sistema fotovoltaico, mas eu achei que seria simples demais. Uma estufa com energia solar não era nada de novo, além de que o sistema ainda dependia de muitos insumos externos, como água e os fertilizantes. Dei mais algumas ideias, mas elas foram deixadas de lado, talvez pela urgência do projeto ou pela complexidade maior das minhas ideias. Bom, por motivos que não me foram explicados, não fui convidado a dar continuidade no projeto, especialmente na parte da instalação do sistema (talvez pelo famoso costume da instituição de “use as pessoas o quanto puder, quando não for mais interessante, jogue fora”), mas está lá, a estufa com o sistema fotovoltaico instalado, e espero que funcionando.

Hoje, gostaria de deixar aqui as ideias que tive para esse sistema. Talvez seja interessante, talvez não. Mas são ideias, quem sabe sirva para alguém ou para alguma pesquisa no meio. O primeiro ponto era a água, talvez o insumo mais importante que temos hoje e precisamos trabalhar melhor. Aqui resolvemos facilmente com sistemas de coleta de água da chuva. Não é nada novo, inclusive a Epagri recomenda nas suas estufas de produção a solo e hidropônicas. Calhas ao longo das laterais da estufa fariam essa coleta, que seria armazenado em caixas d´água para, após uma filtragem (se necessário), servirem para o sistema hidropônico.

E os fertilizantes para nutrirem as plantas? Aqui me lembrei dos trabalhos de aquaponia do Unibave, que já comentamos em nossa coluna. Resumindo, teríamos a produção de peixes em tanques, e a água desses tanques com dejetos dos peixes iriam alimentar as plantas. Mais um problema estaria sanado. Mas, com a introdução da aquaponia, me surgiu um novo desafio: e a alimentação desses peixes? Em geral, teríamos que trabalhar com ração, e aí estamos falando de mais insumos externos.  Foi então que em algumas leituras me deparei com projetos muito interessantes: a utilização de algas e outras plantas aquáticas para a alimentação de peixes. E algas precisam apenas de água e luz para se desenvolverem. Pronto, o sistema estava completo e fechado. Em resumo, num tanque teríamos a produção de algas com peixes se alimentando das mesmas. A água desse tanque circularia por um sistema hidropônico, onde os dejetos dos peixes alimentariam os vegetais produzidos. Toda água utilizado (ou boa parte) seria da coleta da chuva. E toda energia elétrica utilizada no sistema seria de produção solar fotovoltaica. Deixo aqui, amigos leitores, minha ideia para quem quiser estudar, testar ou mesmo para provar que é inviável. Se der certo, damos um bom passo para a sustentabilidade na produção de alimentos. Abraços.


VOLTAR
Notisul - Um Jornal de Verdade
LIGUE E ASSINE (48) 3053-4400 Rua Ricardo José Nunes, 346 - Jardins de Pádova - Santo Antônio de Pádua - CEP: 88701-571 - Tubarão/SC
Copyright © Notisul - Um Jornal de Verdade 2017. Desenvolvido por Demand Tecnologia e Bfree Digital