Há um elemento invisível nesta pandemia muito mais perigoso do que o próprio vírus. É a ameaça à saúde mental. Dentre eles, também precisamos lembrar que professor também adoece, e sobre tudo, encontram-se altamente estressados nestes últimos meses.

Nas últimas semanas abordamos aqui na coluna várias alternativas às aulas presenciais. Muitas vezes sugerindo aplicativos, plataformas e estratégias para tornar as aulas remotas e híbridas mais produtivas e engajantes. Só que por mais que se espere a participação efetiva da família, é o professor o verdadeiro protagonista neste caminho de transformação digital.

 

Professor também adoece

Em meio a tantas notícias negativas relativas a propagação do vírus, e o prolongamento da pandemia, muitas vezes se esquece de outras doenças silenciosas que continuam, e sobretudo estão aumentando.

Todos acabam sendo vítimas potenciais de um surto de estresse, depressão e até mesmo exaustão por trabalho. Sim, isso mesmo, exaustão por trabalho em plena pandemia.

E entre as classes mais sujeitas a isso estão os professores que estão sob intensa pressão. De um lado, precisam lidar com as dificuldades impostas pelo isolamento social e também com o medo de contaminação. Por outro, precisam conciliar os cuidados familiares com a necessidade de redescobrir a forma de educar por meio das plataformas digitais.

Uma pesquisa realizada pelo site da revista Nova Escola mostrou que 58% dos docentes pesquisados estão sob forte estresse. Revelou ainda, que 28% dos entrevistados avaliaram sua saúde mental como péssima e somente 8% afirmam estarem se sentindo ótimos.

Entre os principais motivos para se sentirem assim, está o fato da necessidade de aprenderem rápido para adequar suas aulas ao modelo digital, além da insegurança quanto ao futuro. Dentre outros fatores.
Recado para os Pais e Alunos

É mais do que justa e necessária a cobrança para que o aprendizado continue durante a suspensão das aulas presenciais. É fato também que as escolas e professores em síntese sãos os principais responsáveis por esta transformação digital na forma de ministrar as aulas.

Mas também, é notório o empenho que os educadores de todo o Brasil e do Mundo estão tendo neste período.

Então Pais e Alunos, na próxima vez que enviarem uma mensagem para os professores, tutores ou monitores, por mais que tenham a expectativa de serem respondidos em “real-time”, lembrem-se que do outro lado é uma pessoa que está lá. E este, pode estar em seu horário de intervalo, fora do horário de trabalho, ou até mesmo, atendendo outros alunos.

Estamos todos ansiosos, apreensivos e inseguros com o futuro, é verdade. E com a compreensão e apoio de todos, superaremos este momento.

Links Relevantes:

A saúde emocional do educador: 58% reclamam de estresse durante pandemia – por Nova Escola