Olá, Leitor Notisul! Tudo bem?

O uso correto do emprego das Classes Gramaticais ou de Palavras é considerado dificultoso e bastante comum entre alunos, candidatos a concurso público ou processo seletivo e profissionais que fazem uso da escrita constante no ambiente de trabalho. Por isso, na coluna desta semana, apresento a necessidade de se conhecer esta parte da gramática.

 

Conceito

As Classes Gramaticais ou Classes de Palavras são organizadas em 10 categorias e divididas em variáveis (aquelas que variam em gênero, número ou grau): Substantivos, Artigos, Pronomes, Adjetivos, Verbos e Numerais, e invariáveis (as que não variam): Advérbios, Preposições, Conjunções e Interjeições.

 

1. Substantivos

Os substantivos designam seres, objetos ou sentimentos. Flexionam-se em género, número e grau. Dividem-se em:

• Concreto: designa tudo o que é físico. Ex.: lápis, jornal.

• Comum: indica qualquer um dos seres de uma espécie. Ex.: livro.

• Próprio: individualiza um ser. Ex.: Brasil.

• Coletivo: designa um conjunto de seres ou objetos da mesma espécie. Ex.: matilha.

• Abstrato: designa sentimentos, estados, ações, qualidades ou conceitos, seres não físicos/palpáveis. Ex.: amor.

 

2. Artigos

São palavras que determinam o substantivo em gênero e número. Dividem-se em:

• Definidos: definem o nome (o/a, os/as).

• Indefinidos: não definem o nome (um/uma, uns/umas).

 

3. Pronomes

Os pronomes substituem os substantivos para evitar repetições. Dividem-se em:

• Pessoais: indicam quem fala, com quem se fala ou de quem se fala (eu, tu, ele/ela, nós, vós, eles/elas).

• Possessivos: exprimem a posse do ser/objeto:
– Um possuidor: (meu/minha, teu/tua, seu/sua – os mesmos no plural).
– Vários possuidores: (nosso, vosso, seu – os mesmos no feminino e no plural).

• Demonstrativos: demonstram o estado ou posição do ser/objeto (este, esse, aquele, o mesmo, o outro, o tal – os mesmos no feminino e no plural).

• Indefinidos: referem-se ao ser/objeto de modo vago (Variáveis: algum, nenhum, todo, muito, pouco, tanto, outro, certo, qualquer – os mesmos no feminino e no plural; Invariáveis: alguém, algo, ninguém, tudo, outrem, cada, nada).

• Interrogativos: questionam o ser/objeto (Variáveis: qual/quais, quanto/quantos; Invariável: que, o quê, quem, onde).

• Relativos: fazem referência, ao ser/objeto (Variáveis: o qual, cujo, quanto – os mesmo no feminino e no plural; Invariáveis: que, quem, onde).

 

4. Adjetivos

São palavras variáveis que caracterizam o nome/substantivo, atribuem-lhe características, qualidades ou propriedades. Dividem-se em:

• Gênero: podem ser biformes, quando têm duas formas: masculina e feminina, e uniformes, quando têm apenas uma forma.

• Número: podem ser biformes, quando têm duas formas: masculina e feminina, e uniformes, quando têm apenas uma forma.

• Grau:
– Normal: o adjetivo caracteriza o nome. (ex.: A Amélia é feliz.)
– Comparativo: estabelece-se a comparação entre dois nomes.
– Comparativo de Superioridade (ex.: A Amélia é mais feliz que o Jonas.)
– Comparativo de Igualdade (ex.: O Jonas é tão feliz quanto a Samara.)
– Comparativo de Inferioridade (ex.: A Samara é menos feliz que o Henrique.)
Superlativo Absoluto: a característica atribuída pelo adjetivo é intensificada.
– Superlativo Absoluto Analítico (ex.: O Cláudio é muito feliz.)
– Superlativo Absoluto Sintético (ex.: A Diandra é felicíssima.)
Superlativo Relativo: a característica destaca o sujeito.
– Superlativo Relativo de Superioridade (ex.: A Diandra é a mais feliz.)
– Superlativo Relativo de Inferioridade (ex.: A Samara é a menos feliz.).

Observação: alguns adjetivos têm graus Superlativos Absolutos Sintéticos irregulares. (ex.: nobre – nobilíssimo). Os adjetivos “bom”, “mau”, “grande” e “pequeno” são casos especiais de comparativos e superlativos (ótimo, péssimo, boníssimo, malíssimo, dentre outros).

 

5. Verbos

Os verbos indicam ações, qualidades ou estados situados no tempo. Dividem-se em:

• Modo Indicativo (Tempos Simples)
– Presente: indica uma ação praticada no momento em que se fala, que é contínua ou habitual ou que é verdadeira. Ex.: Eu sou feliz.
– Pretérito Perfeito: indica uma ação passada completamente realizada. Ex.: Eu fui feliz.
– Pretérito Imperfeito: mostra uma ação passada mas não concluída ou ainda em realização. Ex.: Eu era feliz.
– Pretérito Mais-que-perfeito: exprime uma ação anterior a outra passada. Ex.: Eu fora feliz.
– Futuro do Presente: Indica uma ação que se realizará, ou ainda uma dúvida. Ex.: Eu serei feliz.
– Futuro do Pretérito: Indica uma ação que poderia ser realizada. Ex.: Eu seria feliz.

• Modo Indicativo (Tempos Compostos)
– Pretérito Perfeito: presente do auxiliar.
– Pretérito Mais-que-perfeito: pretérito Imperfeito do auxiliar.
– Futuro Perfeito: futuro simples Indicativo do verbo auxiliar.

• Modo Conjuntivo (Tempos Simples)
Apresenta uma ação, qualidade ou estado como possibilidade, desejo ou dúvida.
– Presente (ex.: Talvez eles façam o que pedimos.)
– Pretérito Imperfeito (ex.: Tomara o médico que o paciente melhorasse.)
– Futuro (ex.: E se eu não souber responder à prova?)

• Modo Conjuntivo (Tempos Compostos)
– Pretérito Imperfeito: Presente do auxiliar
– Pretérito Mais-que-perfeito: Pretérito Imperfeito do auxiliar
– Futuro Perfeito: Futuro simples do auxiliar

• Modo Imperativo
Ordem, conselho ou pedido (só apresenta a 2ª pessoa do Singular e do Plural. Ex.: Espere um instante.).

• Modo Condicional
Ação, qualidade ou estado dependente de uma condição.
– Simples (ex.: teria (se)…; possuiria (se)…; pegaríamos (se…)
– Composto: Auxiliar no condicional

• Modo Infinitivo (Pessoal)
Apresenta uma ação, qualidade ou estado de modo vago ou abstrato.
– Simples (ex.: Para conseguires isso, terás que fazer por merecer.)
– Composto: Infinitivo pessoal do auxiliar

• Modo Infinitivo (Impessoal) – Forma Nominal
Este infinitivo é uma forma nominal porque pode desempenhar, de certa forma, a função de um nome.
– Simples (ex.: É preciso avisá-lo! [avisar = o aviso])
– Composto: Infinitivo do auxiliar

 

6. Numerais
A palavra que quantifica os seres ou indica a posição que ocupam em uma determinada ordem. Quando apenas nomeia o número de seres, o numeral é chamado de cardinal. Ex.: um, dois, sessenta, duzentos, mil.

• Ordinal: quando indica a ordem que o ser ocupa em uma série. Ex.: primeiro, terceiro, quinquagésimo, centésimo, milésimo.

• Multiplicativo: exprimem aumentos proporcionais de quantidade, indicando números que são múltiplos de outros. Ex.: dobro, quíntuplo.

• Fracionário: indicam a diminuição proporcional da quantidade, o seu fracionamento. Ex.: metade, um quinto.

• Coletivo: designam conjuntos de seres e indicam o número exato de indivíduos que compõem o conjunto. Ex.: dúzia, quinzena, milheiro.

 

7. Advérbios

São palavras invariáveis que servem para determinar ou intensificar o sentido de verbos, adjetivos ou outros advérbios.

• Lugar: abaixo, acima, acolá, adiante, aí, além, algures, ali, antes, aqui.

• Tempo: agora, ainda, amanha, anteontem, antes, cedo, tarde, hoje.

• Modo: assim, bem, como, depressa, devagar, mal, bem, sobretudo, simplesmente, bruscamente (e outros com o sufixo –mente, os quais nunca levam acentuação!)

• Intensidade ou Quantidade: bastante, bem, demasiado, muito, pouco, tanto.

• Afirmação: já, sim, certamente, efetivamente, também.

• Negação: jamais, nunca, não.

• Inclusão: ainda, também, mesmo.

• Exclusão: apenas, somente, só, unicamente…

• Dúvida: acaso, porventura, possivelmente, talvez

• Designação: eis

• Interrogativo: onde, quando, porquê.

• Locuções Adverbiais: (preposição + nome/advérbio): à antiga, a cada, de manhã, de novo, em breve, por vezes, dentre outras.

 

8. Preposições

Palavras invariáveis que estabelecem uma relação entre elementos da frase. Essa relação pode ser de: tempo, lugar, modo, companhia, causa, fim, oposição, carência, falta, conteúdo ou existência.

• Simples: a, ante, após, até, com, contra, de, desde, durante, em, entre, para, perante, por, sem, sob, sobre, trás. As preposições podem contrair-se e formar.

• Contraídas: (ex.: a+a = à). Existem ainda Locuções Prepositivas (abaixo de, acerca, de, diante de, à volta de, em vez de, dentre outras).

 

9. Conjunções

Palavras invariáveis que servem para relacionar orações dentro da frase.

• Coordenativas aditivas: transmitem uma ideia de adição: Ex.: e; nem; também; bem como; não só; mas também.

• Coordenativas adversativas: transmitem uma ideia de oposição. Ex.: mas; porém; contudo; todavia; entretanto; no entanto; não obstante.

• Coordenativas alternativas: transmitem uma ideia de alternância. Ex.: quer…quer; ou; ou…ou; seja…seja; já…já; ora…ora.

• Coordenativas conclusivas: transmitem uma ideia de conclusão. Ex.: por consequência; por isso; logo; pois; portanto; assim; por conseguinte.

• Coordenativas explicativas: transmitem uma ideia de explicação. Ex.: que; porquanto; pois; isto é; porque.

 

10. Interjeições

São palavras que exprimem estados emocionais ou sensações. Ex: Ah! (admiração); Ui! (dor); Tomara! (desejo); Até breve! (saudação); Bravo! (aplauso).

• Locuções interjetivas: ocorrem quando mais de uma palavra possui a mesma funcionalidade de uma interjeição. Ex.: Ai de mim!; Quem diria!; Puxa vida!; Nossa Senhora!; Quem me dera!

Até a próxima coluna e fique com Deus!