Domínicos Weber, 87 anos: do morro cheio de pedras, garantiu o sustento da família

Uma pessoa simples, sem títulos, sem influência política ou cargos importantes. Apenas com o segundo ano do primário. Residente na comunidade do Rio Pequeno, em Grão-Pará, casou-se e construiu família quando tinha 46 anos, apenas depois de ajudar os irmãos e ter cuidado por vários anos de seus pais.

Durante toda sua vida, seu Domínicos foi agricultor, plantador de feijão, milho, cana, criou porcos e bois em pequena quantidade. Tirou do morro cheio de pedras, da sua propriedade, o pão de cada dia e o sustento de sua família.

Com cavalo e charrete fazia suas voltas em Braço do Norte e Grão-Pará. Não tem muitas posses, mas junto com sua esposa Maria Evandina Kirchner Weber, ensinou o que é dignidade aos filhos com o valor do trabalho, honestidade, seriedade e a simplicidade.

Seu Domínicos também andou muito de bicicleta. Uma vermelha conhecida por muitos, fazendo o trajeto de Rio Pequeno e Braço do Norte. Um homem tímido, alguém que aprecia a leitura e entre uma e outra notícia relembra a época que seu pai, Bertoldo Weber com o então amigo Oswaldo Westphal, dedicavam dias de trabalho na construção do Hospital Santa Teresinha.

Domínicos era um dos filhos mais velhos e na maioria das vezes ficava em casa ajudando nas atividades enquanto seu pai se deslocava a Braço Norte. “O meu Pai era amigo do Westphal e juntos fizeram boas colheitas para construir a obra. Uma vez saíram para pedir bois gordos para arrematar. Ganharam um total de 60 bois de prenda”, relembra.

Hoje, comemora seus 87 anos bem vividos com a família. Continua a morar na mesma comunidade, no Rio Pequeno onde sempre será seu lar. Seu Domínicos vive apenas com a esposa e o sentimento dever cumprido. Os dois filhos Bertoldo, Jania e os três netos o visitam com frequência.

O filho mais velho, Bertoldo Kirchner Weber, conta que o maior ensinamento que levará para sempre do seu pai é a honestidade. “Essa foi a maior lição que tivemos, se preciso for, passe fome, mas honre com seus compromissos e sua palavra”, orgulha-se.

O passar dos anos aproximou ainda mais seu Domínicos dos filhos. Sempre exigente e atencioso, hoje, vendo a dedicação dos filhos em atendê-lo, percebe que conseguiu cumprir sua missão, inclusive por perceber que eles dedicam o mesmo amor e cuidado que um dia receberam.