O que é a Leishmaniose?
A leishmaniose é caracterizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma das seis doenças infecciosas mais importantes do planeta.
A transmissão se dá por meio da picada de um inseto, o flebótomo do gênero Lutzomyia. Apesar de infectarem primariamente animais, o homem pode ser contaminado se estiver presente em uma área endêmica, tanto como viajantes ou como residentes. Não há transmissão direta de pessoa para pessoa, a leishmaniose é uma zoonose. O mosquito só transmite a leishmania se tiver picado um animal infectado.

Alguns dados:
• A leishmaniose já foi detectada em pelo menos 12 países da América Latina. 90% dos casos no continente ocorrem no Brasil;
• É uma enfermidade de alta prevalência (o Nordeste é a região mais acometida). Houve mais de 18 mil casos confirmados da doença em humanos, entre 2009 e 2013;
• Para cada caso humano reportado, estima-se que haja 200 cães infectados;
• Anteriormente era caracterizada como uma zoonose de ambientes rurais e periurbanos. Hoje está em grandes centros: Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Fortaleza (CE), Campo Grande (MS), Palmas (TO) e muitos municípios paulistas como Araçatuba, Bauru, Presidente Prudente e outros;
• É desconhecido por grande parte da população sobre as medidas de prevenção;
• O cão é a espécie animal que tem a maior prevalência de infecção em áreas onde a doença é endêmica, podendo atingir até 50% da população da região.
Solução: Milteforan é a única solução para o tratamento e o controle da leishmaniose canina.

Como funciona o  tratamento?
Por ser uma condição crônica, a Leishmaniose Visceral Canina precisa ser tratada durante toda a vida do cachorro diagnosticado. O tratamento com o Milteforan é feito em ciclos de 28 dias a cada quatro meses, sempre após reavaliação e controle médico. Tanto o médico veterinário quanto o tutor do cão infectado devem se responsabilizar em reavaliá-lo e manter o tratamento para o controle da doença.

A medicação Milteforan foi aprovada para tratamento da doença nos cães?
Milteforan é o único medicamento para tratamento da Leishmaniose Visceral Canina (LVC), ou seja, de uso exclusivo para cães, e registrado para este fim no Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA). Vale ressaltar que a Portaria Interministerial Nº 1.426, proíbe o tratamento da LVC com produtos de uso humano ou não registrados no MAPA.

Com o uso do Milteforan o cão estará curado da doença?
Com o uso do Milteforan, o cão poderá obter a cura clínica e epidemiológica. Porém, apesar de reduzir significativamente a quantidade de parasitas e o cão deixa de ser transmissor da doença, porém a leishmania permanecerá em seu organismo. Por esse motivo, é muito importante o acompanhamento e monitoramento do animal por um médico veterinário com exames clínicos e laboratoriais; além da repetição do tratamento, a fim de manter os níveis baixos da quantidade de parasitas.

A única medida eficiente para controle da doença é o tratamento dos cães doentes?
O tratamento dos cães é apenas uma dentro de um conjunto de outras medidas necessárias para a prevenção. A medida mais eficiente continua sendo o combate ao mosquito, impedindo-o de se multiplicar e de picar animais e humanos através da utilização de repelentes. A questão é que antes o cão precisava ser eutanasiados caso contraísse a doença, agora existe tratamento para mantê-lo com seus tutores. Lembrando que qualquer sintoma que seu aumigo tiver um médico veterinário deve ser consultado.

Dicas
Se você puder colocar água e ração a um cão de rua, faça. É uma iniciativa que infelizmente poucos têm, mas que salva a vidinha destes anjos de quatro patas. As ONGs precisam de doações de caminhas, casinhas e ração. Pois nossos peludos também sentem sede e fome. Acolher quem necessita é um ato de amor. Vamos fazer uma corrente do bem e ajudar estes seres que transformam nossas vidas.

Ajude a manter essas vidas
Infelizmente, a velocidade para doar cães e gatos não é a mesma das contas vencendo, então, venho aqui para pedir a ajuda de vocês. A Ivania é uma cuidadora muito dedicada e empenhada pelos seus aumigos. Ela precisa de 80 pessoas para apadrinhar um aumigo com o valor de R$ 50,00 mensais até que o afilhado ou afilhada seja doado ou vire estrelinha. Precisa também de doação de ração. Nos álbuns dela, no Facebook, há fotos de quase todos eles e você pode escolher o seu afilhado. Sem ajuda, ela não consegue dar uma vida digna para os bichinhos. Entre em contato com a Ivania pelo WhatsApp: (48) 99996-3059 ou via Facebook: Ivania Beatriz Pires Camargo. Ou efetue um depósito na Caixa, agência 0410, operação 013, conta número 15936-1. Unidos somos mais!

Participe!
Se você, assim como eu, adora o seu aumigo e quer vê-lo aqui como nosso destaque, mande um e-mail para: a_crris@hotmail.com. Sigam-nos no Instagram @pipaminhavidadecao, Facebook www.facebook.com/minhavidadecao e Snap Minhavidadecao.

Aumigos, para adoção temos esta linda família felina! São três machos e uma fêmea. Eles têm apenas 50 dias de vida, mas já foram desvermifugados. Tem castração garantida quanto completarem 5 meses. São dóceis e amáveis. Quem quiser adotar alguma dessas fofuras pode entrar em contato pelo telefone (48) 98421-9811.
Aumigos, para adoção temos esta linda família felina! São três machos e uma fêmea. Eles têm apenas 50 dias de vida, mas já foram desvermifugados. Tem castração garantida quanto completarem 5 meses. São dóceis e amáveis. Quem quiser adotar alguma dessas fofuras pode entrar em contato pelo telefone (48) 98421-9811.

 

Pessoal, para adoção tem a Flor, uma menina muito linda de 2 meses de vida. Ela já esta vacinada e tem castração garantida, será de porte médio. É muito carinhosa e brincalhona! Quem puder adotar essa fofura pode entrar em contato com a Gi pelo telefone (48) 99991-8342.
Pessoal, para adoção tem a Flor, uma menina muito linda de 2 meses de vida. Ela já esta vacinada e tem castração garantida, será de porte médio. É muito carinhosa e brincalhona! Quem puder adotar essa fofura pode entrar em contato com a Gi pelo telefone (48) 99991-8342.