Aumigos, para adoção temos a Baby, esta menina linda de dois anos. Porte pequeno, castrada e vacinada. Dócil e muito carinhosa, adora carinho. Quem puder adotar entrar em contato com a Maristela pelo telefone 48-99688-4408
Aumigos, para adoção temos a Baby, esta menina linda de dois anos. Porte pequeno, castrada e vacinada. Dócil e muito carinhosa, adora carinho. Quem puder adotar entrar em contato com a Maristela pelo telefone 48-99688-4408

A cinomose é uma doença muito grave que atinge os animais de diversas espécies. É um vírus de distribuição mundial que pode causar um processo infeccioso agudo e levar a morte. O problema acomete os animais não vacinados, de qualquer idade, raça e sexo, mas principalmente os filhotes, entre dois e três meses de vida, período em que o sistema imunológico se encontra ainda muito frágil, e gradativamente a imunidade transmitida pela mãe começa a cair.

Consultamos o Instituto Veterinário de Imagem (IVI), a fim de apontar os pontos de atenção da doença. “É importante que ao identificar os sintomas o tutor procure por orientação de um especialista, com o intuito de que a recuperação ocorra de forma rápida, para que o seu cachorro volte a ter a qualidade de vida que merece”, afirma Carinne Liessi Brunato, médica veterinária do Instituto Veterinário de Imagem (IVI).

Como ocorre a transmissão?
Por ser um vírus pode se espalhar pelo ar, por via respiratória e por meio de gotículas infectantes das excreções e secreções de animais infectados. Nem sempre os animais com a infecção apresentam sintomas, por isso, o número de animais infectados é muito maior dos que os que apresentam algum sinal clínico.

Animais acometidos pela cinomose eliminam partículas virais a partir do 5º dia após a infecção. Os cães podem transmitir o vírus antes de apresentar sintomas e continuar eliminando por 60 a 90 dias.

Sintomas: Secreções nasais e oculares, tosse úmida e produtiva, dificuldade respiratória, vômitos, broncopneumonia, perda de apetite e diarreia. Em estágio mais avançado em que atinge o sistema nervoso central, começam a aparecer alterações neurológicas como convulsões, paralisia dos membros pélvicos, incoordenação motora, tremores e outras alterações.

Diagnóstico: Em geral é feito com base no exame físico, histórico do animal e exames laboratoriais. Os principais exames para pesquisa do vírus são feitos em amostras biológicas como sangue, urina, saliva, secreções nasal e ocular. Os principais métodos realizados são o ELISA (Enzime Linked Immuno Sorbent Assay), testes rápidos baseados em imunoenzimáticos, imunofluorescência e PCR.

Tratamento: A cinomose é uma enfermidade difícil de ser erradicada e para minimizar os casos é importante a conscientização dos cuidadores para que vacinem seus animais de estimação, controlando o acesso de animais a rua, higienizando corretamente ambientes com animais infectados pelo vírus e buscando informações sobre o combate à doença.

Prevenção sem dúvida é o melhor remédio. Manter a carteirinha de vacinação do bichinho em ordem vai garantir sua saúde. Em caso de infecção, não há um cuidado específico e, em geral é feito um tratamento sintomático e de suporte para que a imunidade desses animais seja reestabelecida.

Existem testes laboratoriais que foram projetados para determinar os níveis de anticorpos para cinomose e outras doenças, que tem como objetivo avaliar o estado de imunidade dos animais sobre esse patógeno.

É importante ter em mente que, sempre que você notar qualquer alteração de comportamento ou saúde do seu bichinho é imprescindível comunicar o veterinário para um diagnóstico preciso.

Dica
Com os dias mais frios que estamos tendo as Ongs precisam de doações de caminhas, casinhas, cobertores e ração. Pois nossos peludos também sentem frio, sede e fome. Acolher quem necessita é um ato de amor. Vamos fazer uma corrente do bem e ajudar estes seres que transformam nossas vidas.

Participe!
Se você, assim como eu, adora o seu aumigo e quer vê-lo aqui como nosso destaque, mande um email para: a_crris@hotmail.com. Sigam-nos no Instagram @pipaminhavidadecao, Facebook www.facebook.com/minhavidadecao.