A Síndrome de Ansiedade da Separação afeta muitos cães, entenda o que ela significa:

A correria de nossa rotina faz com que tenhamos pouco tempo livre e, infelizmente, o fiel companheiro é um dos primeiros a sentir isso. É fundamental antes de escolher um pet levar em consideração o tempo que gastará para garantir a felicidade dele.

Algumas raças são mais independentes do que outras, elas tendem a se adaptarem melhor a horas de solidão, o que pode ser uma boa escolha para aqueles que não param em casa. Isso não significa que não sintam a ausência do dono, nem mesmo estão imunes à Síndrome de Ansiedade da Separação (SAS). “Essa síndrome é caracterizada pelo conjunto de sinais clínicos exibidos pelos cães quando deixados sozinhos ou afastados da pessoa que eles têm como referência. Dentre esses sinais, podem ser citados: uivos, choro ou latidos em excesso, comportamento destrutivo (como roer, rasgar objetos e roupas, por vezes da pessoa de referência), micção e defecação em locais inapropriados”, explica a professora Angélica Silva, do Curso de Medicina Veterinária da UNG Universidade.

Os motivos que despertam a SAS no animal são diversos, pode ser por causa da morte de outro animal da casa, mudança de residência, insegurança ao estar só ou até mesmo por apego excessivo ao dono. Filhotes, em geral, costumam ser excessivamente dependentes e afetuosos por serem gregários – animais que vivem em bandos -, a família torna-se seu grupo, desta forma as alterações como a ausência do dono podem desencadear na SAS.

Cães que vivem exclusivamente dentro de casa, sem passeios ao ar livre ou outras atividades lúdicas podem ser mais propensos ao problema, segundo Silva. A professora explica que animais que têm comportamentos disfuncionais, como seguir o dono pela casa o tempo todo ou levar mais de dois minutos ao saudá-lo quando chega em casa, tem três a cinco vezes mais chances de desenvolver a patologia. Por isso, preste atenção para identificar os sinais que o seu animalzinho transmite.

O problema deve ser tratado de acordo com o motivo. Em casos de medo deve-se focar na superação do trauma com o manejo do ambiente, retire possíveis fatores que provoquem essa fobia e mostre que a situação não é temerosa. Se for por perda de outro animal o recomendado é que consiga outra companhia para o bichano.

Para aqueles que sofrem de hiperapego, o tutor deve reduzir a dependência afetiva, reforçando os comportamentos de calma e obediência, mostrando os limites por meio de afagos. Angélica sugere condicioná-lo a ficar em um local confortável com brinquedos ou uma peça de roupa do dono em alguns períodos do dia, quando o tutor estiver presente. Após algumas repetições desse processo, deve-se colocá-lo neste mesmo local um pouco antes de sair. E quando voltar, se ele estiver tranquilo, soltá-lo e brincar com o bichano. A conscientização do proprietário é fundamental de que atenção em excesso pode ser prejudicial.

Apesar das dicas, a professora reforça a necessidade da visita ao médico veterinário caso seu cão sofra alguma mudança de comportamento, pois somente o profissional conseguirá diagnosticar com propriedade o caso e instruí-lo conforme as necessidades específicas de seu animalzinho.

Dicas
Se você puder colocar água e ração a um cão de rua, faça. É uma iniciativa que infelizmente poucos têm, mas que salva a vidinha destes anjos de quatro patas. Com os dias super quentes que estamos tendo, as ONGs precisam de doações de caminhas, casinhas e ração. Pois nossos peludos também sentem sede e fome. Acolher quem necessita é um ato de amor. Vamos fazer uma corrente do bem e ajudar estes seres que transformam nossas vidas.

Ajude a manter essas vidas
Infelizmente, a velocidade para doar cães e gatos não é a mesma das contas vencendo, então venho aqui para pedir a ajuda de vocês. A Ivania é uma cuidadora muito dedicada e empenhada pelos seus aumigos. Ela precisa de 80 pessoas para apadrinhar um aumigo com o valor de R$ 50,00 mensais até que o afilhado ou afilhada seja doado(a) ou vire estrelinha. Precisa também de doação de ração. Nos álbuns dela, no Facebook, há fotos de quase todos eles e você pode escolher o seu afilhado. Sem ajuda, ela não consegue dar uma vida digna aos animais. Entre em contato com a Ivania pelo WhatsApp: (48) 99996-3059 ou pelo Facebook: Ivania Beatriz Pires Camargo. Ou efetue um depósito na Caixa, agência 0410, operação 013, conta número 15936-1. Unidos somos mais!

Participe!
Se você, assim como eu, adora o seu aumigo e quer vê-lo aqui como nosso destaque, mande um email para: a_crris@hotmail.com. Sigam-nos no Instagram @pipaminhavidadecao, Facebook www.facebook.com/minhavidadecao e Snap Minhavidadecao.

Foto 001
Pessoal, para adoção temos esta turminha de felinos. São dois machos e uma fêmea. Têm 20 dias e ainda estão mamando. São dóceis e adoram brincar. Quem puder adotar essas fofuras, entrar em contato com a Ivania pelo Whatsapp (48) 9996-3059 ou pelo Facebook Ivania Beatriz Pires Camargo.

Foto 002
Aumigos, ainda para adoção temos a Ursa, uma vira-latinha muito charmosa de 2 anos. Será de porte médio. Ela é muito dócil e amável, adora crianças e outros animais. Quem quiser adotar pode entrar em contato com a Gi pelo número de telefone (48) 99991-8342.