#Pracegover Na foto, céu noturno com nuvens e estrelas
Foto: Pixabay

“Eu é que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada cheia de dentes
Esperando a morte chegar”
(R. Seixas)

 

Nosso inconsciente se expressa através de uma linguagem própria, os arquétipos coletivos, que são como características pessoais passadas de geração a geração.

O que estamos passando agora, é resultado de feridas ancestrais, que tem sua origem arquetípica, baseada em conflitos de território, perceptíveis não só pela astrologia, mas por toda uma gama de conhecimentos e estudos que vão desde o esoterismo até a psicologia (C.G.Jung).

E no país onde a culpa é de quem morreu, como absolvermo-nos da eutanásia coletiva?

Não fizemos justiça quando devíamos e agora assumimos ser cumplices dos próprios algozes.

Serão necessários muitos e muitos anos para reabilitarmo-nos da multidão de órfãos que 500 mil vidas perdidas deixaram, e quantos mais ainda irão ficar.

Nossos mortos sempre farão parte de nós. É por isso que não vai ter como esconder, o que fomos capazes de fazer uns aos outros, e em nome do quê.

Planetas transpessoais, como (Urano, Netuno e Plutão), quando fortemente aspectados, significam a ativação de processos de transformações sociais fortíssimas. Tudo muito ligado a nossa ancestralidade, nos obrigando a olhar para ela.

Quais memórias ancestrais estão em cena?

A memória subconsciente de conflitos, como da segunda guerra mundial e seu holocausto, onde Urano também aspectava com Saturno, em Touro, como agora.

Dentro da Numerologia, a palavra Guerra soma 73 (7+3). Sete representa a força exercida num propósito de impor uma nova (in)consciência em um coletivo (três). Os números tem uma personalidade própria, seus arquétipos.

Agora com o planeta Marte ativando a quadratura de Saturno/Urano, temos novamente a repetição de um padrão bélico para alguns, e de transformação profunda e cura para outros. Esses dois lados tendem a caminhar em direções completamente opostas.

E assim, a falta de solução leva a repetição de erros que já conhecemos. Em contrapartida, poderemos ter uma nova concepção de sociedade que por mais utópica que possa parecer, deverá surgir dessa que já não funciona mais.

Interpretação arquetípica baseada na quadratura “T” formada entre os planetas Marte, Saturno e Urano.

Luiz Henrique Astrólogo
(48) 99623-6232 (Whats) Presencial/Online
Tarô; Astrologia; Constelação Arquetípica;
Numerologia; @boaastrologia

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul