Foto: Reprodução

A partir dessa última Lua Nova em Virgem, abriu-se um novo período que favorece a aplicação de tudo o que aprendemos, na busca de soluções. Todo mundo está querendo resultados naquilo em que se dedicou. A hora de se cumprir as promessas, a hora em que o suíno retorce a cauda, porque a realidade não espera, ela simplesmente é.

Precisa-se ter cuidado com as vãs filosofias e as utópicas ideologias. Desconectados da realidade, não se chega a lugar nenhum, consequentemente advém o desastre.
Com a chegada do Sol em Virgem, cumpriu-se metade do ano Zodiacal. Aquela frase épica dita por John Lennon, “The dream is over” é o que melhor se aplica ao momento que estamos vivendo, “o sonho acabou”.

Despertamos para uma realidade crua e visceral de centenas de milhares de cadáveres em valas comuns, com a premissa de se fazerem mais valas. Sabemos que estamos uns contra os outros, mas por que mesmo? É difícil elencar mais do que três motivos reais que valham a pena tanta briga e violência.

Tratam-se de duas correntes hegemônicas. Estamos divididos entre os que pensam que sabem e os que não querem nem saber. Dirigindo nossa bússola Espaço-Temporal para o presente, analisando algumas palavras-chaves, colhemos os seguintes arranjos numéricos:

CPI – 29 – É algo que se faz para se conhecer as verdadeiras motivações das coisas.
Mito – 59 – Administração de um propósito, missão, mas que pode também não passar de uma promessa, uma ilusão.
Brasil – 63 – Possibilidades várias, mas carentes de direção, administração e conhecimento, descoberta de potencial.
Vacina – 51 – Funcionalidade binária, a relação entre opostos, antídoto e veneno e sua lógica.
Covid – 55 – Definitivamente esse número é o das coisas impossíveis, onde os imprevistos acontecem.

A doença que no começo, mais se falou do que se agiu, mais se brigou do que combateu, sofreu mutações e reações inesperadas. Essa palavra também resulta no número do código DDI (55) do Brasil. O código DDI funciona como uma senha de acesso, que nos coloca em contato com a comunidade mundial.

“55” É o número que expressa as dimensões sobrepostas. Isso tem a ver com a multiplicidade de crenças religiosas que temos, assim como essa tremenda abstração de não se ter ideia do que representamos para o mundo, como nação.

Ao se colocar o julgamento moral acima do julgamento legal, abre-se um flanco para um combo de violência. Aos poucos isso vai se evidenciando até culminar na ruptura da ordem, pois com certeza, estando ‘’Deus’’ acima de tudo, jamais estará ele, do lado de quem discorde de mim. A armadilha da mentira e da trama de quem a inventou.

Pela primeira vez na história da humanidade estamos todos passando, simultaneamente pelo mesmo fenômeno. Foi preciso um acontecimento com proporções tão trágicas, como a pandemia, para que nós, nos lembrássemos de que somos todos da mesma espécie, a caminho de nos tornarmos mais humanos.

Luiz Henrique Astrólogo
(48) 99623-6232 (Whats) Presencial/Online
Tarô; Astrologia; Constelação Arquetípica;
Numerologia; @boaastrologia

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul