Segundo o Papa Francisco em seu discurso à Curia Romana, uma outra doença que pode atingir um chefe, um líder é a doença do excessivo planejamento e funcionalismo.
Quando um chefe planeja tudo até o último detalhe e acha que tudo irá bem graças ao plano perfeito, ele costuma se reduzir à prisão do formalismo.
É preciso preparar bem as coisas, mas sem cair na tentação de eliminar a espontaneidade e a capacidade de surpreender-se.
Contraímos esta enfermidade porque é mais fácil e cômodo instalar-se num modo de pensar sedentário e fechado às mudanças.
(Aleteia)