No evangelho de hoje, como naqueles filmes que começam lembrando um fato passado, a liturgia faz memória de um gesto que pertence à Quinta-feira Santa: Jesus lava os pés dos discípulos (cf. Jo 13,12). Assim, esse gesto – lido na perspectiva da Páscoa – Com isto, o Mestre não se limita a uma explicação do que é o amor: Ele imprime o gesto de serviço na memória daqueles discípulos, passando logo à memória da igreja; uma memória chamada constantemente a ser sempre atualizada: na vida de tantas famílias, de tantas pessoas, de tantos e tantas abandonados e abandonadas. Quer aprofundar este tema? Venha conosco à missa e novena de hoje, em Oficinas, às 19h30.