Natanael era um homem sincero. Um Israelita onde não havia falsidade. De seu encontro com Jesus brotou um diálogo de transparência, confiança e seguimento. Como estamos necessitados disto em nossa sociedade, em nossa convivência pessoal familiar. A sinceridade ajuda no crescimento do outro quando é feita com base na caridade e na verdade. O termo sincero vem da palavra “sem cera”, como eram chamadas as estátuas gregas sem retoques, na antiguidade. Precisamos disto: pessoas normais, transparentes, sem vernizes de falsidade. Iremos aprofundar esta reflexão na Santa Missa hoje, às 16h, em Oficinas e você é nosso convidado(a).