No evangelho desta sexta-feira, que antecede o Natal, vemos Maria entoar o Cântico do Magnificat. É o hino de uma mulher que conhecia, como ninguém, as maravilhas de Deus narradas no Antigo Testamento. Mais do que isso: a mãe do Verbo expressa em palavras o que Deus se dignou fazer em seu favor. Deus tem estas escolhas surpreendentes: de Nazaré, uma minúscula aldeia jamais citada no Antigo Testamento, da periferia da Galileia, escolhe sua servidora Maria e o justo José. De uma Virgem gera a vida. Do impensado faz o impossível. Alias, do encontro de Maria com Isabel brota uma verdade que jamais deve ser esquecida: para Deus nada é impossível!