O cristianismo exige de seus seguidores um constante crescimento. Se antes de nossa conversão pequenas coisas passavam despercebidas, após o encontro com Cristo é necessário progredir sempre mais, começando pelas pequenas até as maiores mudanças. São João Bosco costumava repetir: «O bom é inimigo do ótimo». Aí é onde nos alcança a Palavra do Mestre hoje, que nos convida a fazer coisas “maiores” (cf. Mt 5,20), que partem de uma atitude diferente. Coisas maiores, que paradoxalmente passam pelas menores, pelas pequenas… Encolerizar-se, menosprezar e renegar do irmão não são adequadas para o discípulo do Reino, que foi chamado a ser – nada mais e nada menos – que sal da terra e luz do mundo (cf. Mt 5,13-16), desde que o Senhor Jesus pronunciou as  bem aventuranças (cf. Mt 5,3-12).