O Papa Francisco fez uma série de reflexões sobre as pessoas que, desde sua infância, sofrem o abandono em seus lares e, mesmo assim, honram seu pai e mãe. “As nossas feridas – observou o Santo Padre – começam a ser “potencialidades” quando, por graça, descobrimos que o verdadeiro enigma não é mais “por quê?”, mas “por quem?”” me aconteceu isto, explicando:
“Em vista de qual obra Deus me forjou através da minha história? Aqui tudo se inverte, tudo se torna precioso, tudo se torna construtivo. Então podemos começar a honrar nossos pais com a liberdade de filhos adultos e com misericordiosa acolhida de seus limites”. (Aleteia)