Na liturgia desta sexta, Jesus elogia a esperteza daquele homem que, abrindo mão de seus lucros, garantiu uma acolhida quando despedido fosse de seu trabalho. Trata-se de uma parábola e, nela, o Senhor não quer em hipótese alguma exaltar o ato desonesto. Mas quer nos alertar, como filhos do Evangelho, a não sermos pessoas ingênuas ou tolas. É porque, muitas vezes, agimos com ingenuidade e negligência que o mal tanto se alastra no mundo. Tomemos a autoridade da fé e digamos um não a tanta roubalheira e mentira neste mundo. Comece bem, comece escolhendo decentemente seus próximos candidatos!