Partindo da minha experiência de pecador constantemente perdoado, busco atuar com o meu irmão como Deus atua comigo. Isso significa não corrigir, ser condizente com a falta do outro? De forma alguma! Corrigir, mas com humildade, paciência e misericórdia. Tomar decisões é sempre difícil, ainda mais quando não temos as coisas tão claras. O medo de errar nos assombra. Nesta hora é fundamental estar em paz e muito confiado em Deus, pedindo-o o discernimento espiritual. E se tomo uma decisão errada? O que aceita os seus erros com humildade cresce e manifesta um grande amor a Deus.  A santidade pouco tem a ver com o perfeccionismo…  (Movimento de vida Cristã)