Fico imaginando como deve se sentir um pai ou uma mãe quando um de seus filhos passa necessidade ou algum sofrimento, como uma doença. Esse é um sentimento muito bonito, que tem o fundamento no amor. Só que não deve nos levar ao desespero e tirar a nossa paz interior. Se isso acontece, não passará de uma falsa compaixão. Com a certeza de que o Senhor não nos abandona jamais, levemos paz e conforto aos que sofrem.
O que mais deseja o demônio é que desanimemos e percamos a paz quando caímos. Ele quer que continuemos no chão. Quer que percamos a esperança e a confiança na misericórdia de Deus. O primeiro passo é com muita humildade e paciência reconhecer a falta. Em seguida levantar-me, pedir perdão a Deus (especialmente no sacramento da reconciliação) e continuar andando. Conduzido pelo Espírito Santo e pela mão de Maria, pouco a pouco a graça de Deus vai me transformand… (Movimento de vida Cristã).