Foto: Divulgação/Notisul
Foto: Divulgação/Notisul

Em muitas oportunidades – seja no trabalho, na vida particular – vivenciamos um problema e pautamos nossas ações em função deste problema. Muitas vezes aquilo nos martiriza, nos paralisa e nos impede de agir. Damos tanta importância para os problemas que não raras vezes eles pautam nossas atenções diárias e ações. Segundo o Dicionarista Aurélio problema é uma questão não solvida e que é objeto de discussão, em qualquer domínio do conhecimento. Podemos compreender que um problema nada mais é do que uma inconformidade, algo que não está conforme esperávamos. Que saiu do padrão, do esperado, de tal forma, que gerou a inutilização, avaria ou descontrole de algo.

Com certeza os problemas chamam nossa atenção. Com certeza os problemas movem as pessoas. As empresas têm problemas, os municípios têm problemas, os cidadãos, os pais, os gestores têm problemas que devem ser resolvidos. Mas, qual a forma correta de abordar um problema? Como devemos agir? Qual deve ser nosso foco? Onde devemos concentrar nossas forças?

Ouço dizer que todas as formas que se preocupam mais com o problema do que com a solução são menos valiosas (pois sempre há aprendizado, inclusive, e talvez, especialmente, nos erros). Isto, pois devemos nos concentrar na solução e não no problema. Nosso foco deve ser nas formas de resolver referidos problemas, nos caminhos para a solução, nas ideias, nos projetos e negócios que podem e devem surgir a partir dos problemas.

Assim, é importante ressaltar que os problemas vão despertar as pessoas, mas a busca das soluções é que deve ser o foco das atenções. Essas soluções vão gerar crescimento, desenvolvimento e inovação. Por falar em inovação. Vejamos o conceito de Inovação trazido pela Lei nº 10.973/2004: “introdução de novidade ou aperfeiçoamento no ambiente produtivo e social que resulte em novos produtos, serviços ou processos ou que compreenda a agregação de novas funcionalidades ou características a produto, serviço ou processo já existente que possa resultar em melhorias e em efetivo ganho de qualidade ou desempenho” (art. 2º, IV).

Ora, focar nossos esforços na solução e não no problema também pode gerar inovação (olhem o conceito). Às vezes não em termos absolutos (com a geração de um produto patenteável pela novidade total), mas com certeza quando resolver os problemas de forma diferente, com menos custos, com mais rapidez, etc. estamos inovando e gerando resultados positivos para as organizações, municípios e sociedade. “Bora” focar na solução e não no problema?


Você sabia?

Que está previsto para dezembro o término das obras do Centro de Inovação de Tubarão. O Centro de Inovação será um importante instrumento de desenvolvimento de tecnologias, negócios, conexões, empreendimentos e startups para toda a região. No total serão 13 centros no estado de Santa Catarina que atuarão em rede. Portanto, cada uma das regiões está vocacionando seus temas e prioridades de atuação. Dentre os temas prioritários do Centro de Inovação de Tubarão está a área de saúde. Gravem esta denominação: “HUB DE SAÚDE”. Em breve teremos novidades.

Fique Atento!
Capes abre programa de apoio a eventos científicos no País. O Programa de Apoio a Eventos no País (Paep) é um programa que visa impulsionar a realização de eventos científicos, tecnológicos e culturais de curta duração no país, com envolvimento de pesquisadores, docentes e discentes dos programas de pós-graduação. O edital atenderá os eventos do primeiro semestre de 2019, que tenham data de início no período entre 01 de fevereiro e 31 de julho. Inscrições vão de 14 de agosto a 19 de setembro de 2018. Para maiores informações acesse: http://www.capes.gov.br/apoio-a-eventos/paep.