A palavra inovação está associada à transformação, mudança e novidade. Ao longo das últimas décadas, as constantes mudanças tecnológicas geraram inúmeros benéficos sociais, melhorando nossos meios de transporte, comunicação, moradia, e outros serviços/produtos essenciais para as necessidades humanas. As modificações que aconteceram por meio das inovações permitam alterar realidades sociais de indivíduos, famílias e regiões. Se observarmos os procedimentos relacionados à saúde, por exemplo, pode-se perceber o surgimento de muitas inovações para melhorar os procedimentos, materiais e equipamentos utilizados nesta área, o que proporcionou a sociedade maior qualidade e agilidade nos tratamentos de saúde. Não é diferente para a produção de alimentos, onde as constantes inovações em processos e produtos proporcionaram elevados níveis de capacidade para as indústrias e atividades agrícolas, o que permitiu atender a atual demanda de alimentos do mercado consumidor.

A capacidade de inovação impacta no desempenho econômico de uma cidade, de um Estado e de um país, dessa forma, o papel social da inovação é de proporcionar renda para as pessoas e organizações. Ao considerar que vivemos em uma sociedade capitalista, uma região rica em inovações consegue arrecadar recursos financeiros e ter maior acesso à qualidade em saúde, educação, moradia, etc.. Foi por meio das inovações que a China elevou a renda per capita em cerca de 8% ao ano – em média nos últimos 30 anos -, e se tornou a segunda maior economia do mundo.

A inovação é de grande importância para o desenvolvimento social que surgiu uma terminologia especifica chamada de “inovação social”. Este tipo de inovação não tem como objetivo principal aumentar a competitividade e ganhar dinheiro, o foco é melhorar os contextos sociais pela cooperação e inovações em processos, produtos e formas de organizações sociais.

As inovações não trazem apenas contribuições para a sociedade, pois alguns inventos são nocivos ao meio ambiente e podem causar impactos sociais danosos para indivíduos ou grupos. A China elevou seus indicadores econômicos no mesmo momento que aumentou a desigualdade de renda e sofre com problemas ambientais graves como a má qualidade do ar e água em alguns centros urbanos.

Fato que as inovações do passado e do futuro vão causar impacto social, bom ou ruim. O desafio de hoje é adaptar-se às transformações advindas das inovações, fazer a gestão da mudança e contribuir para gerar inovações que melhorem a ecologia, o desempenho econômico e social.

Você sabia?
A Agência de Inovação e Empreendedorismo da Unisul (Agetec) recebeu, no mês passado, duas comitivas de universidades equatorianos que estiveram na Unisul para conhecer o modelo de gestão da inovação e empreendedorismo. A visita proporcionou o compartilhamento de experiências entre as instituições de ensino e pesquisa e gerou possibilidades de parcerias entre as entidades.

Fique atento!
A Finep está recebendo, até quarta-feira da próxima semana, propostas de investigação científica em cooperação de instituições de pesquisa brasileiras e norueguesas. A Finep e o RCN (representado pelo programa de pesquisa Petromaks 2) desejam apoiar, com financiamento não reembolsável, projetos desenvolvidos de forma colaborativa em ambos os países com ênfase na indústria de petróleo offshore. Outras informações: http://www.finep.gov.br/chamadas-publicas/chamadapublica/616.