Um homem estava cozinhando quando percebeu que o sal havia terminado. Chamou o filho e disse:

– Vá até a aldeia e compre sal. Mas pague um preço justo por ele: nem mais caro nem mais barato.

    O filho ficou surpreso e perguntou:

– Compreendo que não deva pagar mais caro. Mas, se puder barganhar um pouco, por que não economizar algum dinheiro?

E o pai respondeu:

 – Em uma cidade grande isso é aconselhável. Mas, numa pequena como a nossa, toda a aldeia perderá.

– Quem vender o sal abaixo do preço, deve estar agindo assim porque precisa desesperadamente de dinheiro – disse o filho.

– E quem se aproveitar dessa situação estará mostrando desrespeito por um homem que trabalhou para produzir algo – retrucou o pai.

– Mas isso é muito pouco para que uma aldeia inteira seja prejudicada – insistiu o filho.
Então o pai falou:

– Também no início do mundo, a injustiça era pequena. Mas cada um que veio depois terminou acrescentando algo, sempre achando que não tinha muita importância, e veja onde chegamos.

Esta parábola do livro do escritor Alexandre Rangel que li e publiquei aqui como tema do assunto de hoje, é uma pauta importante para discutirmos a atual conjuntura econômica que vivemos nos dias de hoje no mundo. E pergunta central é: quanto vale o seu trabalho?

Pois é. Não é de se estranhar quando certos profissionais desabafam e soltam aquela retórica popular: “estou vendendo o almoço para comprar a janta, ou vice-versa. “Na minha opinião, vivemos tempos difíceis”.

É um tal do meu pirão primeiro! É ou, não é? Queremos levar vantagem em tudo. É ou, não é? E, pior, tentamos transferir a culpa para os políticos pela situação constrangedora da situação econômica do Brasil. Como já disse o historiador brasileiro mais influente do momento, Leandro Karnal – “não existe país com governo corrupto e população honesta”. Entendeu?

Ademais, espero que com este texto eu e você possamos refletir mais. Já que neste mês passamos por um feriado pragmático onde paramos o mundo para debater a situação atual do “trabalhador”. Para fechar com chave de ouro, assim eu espero, é claro, na minha opinião o que deve ser feito é que – cada um faça a sua parte, agindo com ética nas suas ações cotidianas. No mais, confia em Deus e sucesso!

Mural de vagas
• Coca-Cola Femsa contrata promotor para atuar em Imbituba. Ensino médio completo. Desejável experiência com atendimento ao público. Outras informações pelo site vagas.com.br;

• Japhi Pescados, em Laguna, contrata manipulador de pescados. Interessados podem comparecer na empresa para entrega de currículo com foto, na rua Giocondo Tasso, 391, Cabeçuda;

• Servitch, em Tubarão, seleciona estagiários de informática e eletromecânica. Outras informações pelo telefone: 3626-0211;

• Sesc, em Tubarão, contrata instrutor de atividades (Pilates). Nível superior completo em Educação Física (Bacharel) e/ou Fisioterapia. Inscrição no Conselho Regional da Categoria. Outras informações pelo site sesc-sc.com.br;

•  Engie Energia Brasil, em Capivari de Baixo, contrata técnico de Manutenção Civil II – CTJL. Formação em Edificações ou Mecânica. Registro no CFT. E contrata técnico de Manutenção II – Pintura e Jateamento. Formação em Técnico Mecânica. Registro no CFT. Outras informações pelo site vagas.com.br.