quarta, 23 de janeiro de 2019
Facebook Instagram Twitter Youtube
48 3053-4400

Agência de Inovação e Empreendedorismo da Unisul - AGETEC

Inteligência artificial: caminho harmônico entre os profissionais e o desenvolvimento tecnológico

Publicado em 12/12/2018 00h06

Inteligência artificial:		caminho harmônico entre os profissionais e o desenvolvimento tecnológico

Em julho deste ano, neste mesmo espaço, fiz um convite a todos os leitores a fim de refletirmos sobre o limite da automação substitutiva na esfera jurídica, naquele momento optei por elencar inúmeros questionamentos, pois acreditei que são eles, assim como as inquietações, as ideias opostas, discordantes e adversas que nos proporcionam a evolução/transformação, pois também acredito que são os desconfortos que nos fazem avançar rumo ao aprimoramento pessoal e profissional.

Assim, movida pela inquietação, convido-os novamente a refletirmos de forma forte e profunda, dada a abrangência dos aspectos que norteiam o tema, para podermos nos preparar o consciente, de maneira planejada e estruturada, visando equalizar o que realmente deveria ser automatizado e o que deveria permanecer na essência das relações humanas. Qual seria, então, “o limite”? A evolução pode e deve acontecer a qualquer preço? Quais seriam os balizadores técnicos e éticos que deveriam pautar tais limitadores? O que deve ser automatizado? Exclusivamente pesquisas, análise de dados, modelos, ou também consultas e opiniões? Em quais situações as pessoas ainda seriam necessárias? Quais amplitudes e abrangências você acredita que a automação alcançará? Quais assuntos ou situações você levaria a uma “máquina” e quais você ainda gostaria que fossem confiadas a experts humanas? Qual é, e quem estabelecerá o limite da tecnologia?

Na mesma temática, também em julho, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) criou a coordenação para discutir a regulamentação do uso de inteligência artificial, ao que o presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, em seu discurso, disse que “É importante que a Ordem possa regulamentar o assunto aproveitando que o tema ainda é incipiente e que boas diretrizes podem traçar um caminho harmônico entre os profissionais da advocacia e o desenvolvimento tecnológico. Não somos contra o desenvolvimento tecnológico e temos consciência de que ele é inexorável. Isso não quer dizer, no entanto, que vamos tolerar oportunistas que querem colocar a advocacia em um papel marginal e subalterno por meio da massificação desordenada e desregrada dessas ferramentas”. Para o coordenador, o grupo de inteligência artificial fora designado José Américo Leite Filho, diretor jurídico da Febratel. “O uso de inteligência artificial é muito importante para o direito e uma tendência global, mas é preciso assegurar que isso não represente uma industrialização do uso da justiça em detrimento da possibilidade de ajustes e acordos que não sobrecarreguem os tribunais e as empresas”, afirmou Leite Filho. “Queremos usar intensamente a inteligência artificial para agilizar e tornar mais eficiente o processo judicial, e criar mecanismos que facilitem a realização de acordos e melhoria dos serviços”, acrescentou ele.

Indubitável que o assunto ganha abrangência em todos os seguimentos. Por conseguinte, na penúltima semana, este também fora um dos temas abordados no evento Innovation Summit, que ocorreu em nosso município, quando a temática foi trazida por Gil Giardelli. Segundo ele, dentre as forças disruptivas está a inteligência artificial. Consolida esta afirmação, elucidando que o desemprego tecnológico de que tantos falam traduz-se na nossa incapacidade de entender esta nova era, na incapacidade de ver quantas oportunidades nós temos e eventualmente deixamos escapar, quer seja oportunidade perdida, quer seja pela chance de criar esta nova possibilidade/oportunidade.


Você sabia?

Que a Unisul está classificada entre as melhores instituições de ensino superior de Santa Catarina e do país. A qualidade dos seus cursos, projetos e serviços foi legitimada pelo MEC, que atribuiu nota 5 à Universidade. Todas as informações sobre os cursos estão disponíveis no portal Unisul (www.unisul.br) ou com a central de relacionamento pelo 0800-9707000 ou ainda pelo telefone (48) 3621-3000.


Fique atento!

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) irá premiar pesquisadores e estudantes de graduação e pós-graduação que trabalham com registros fotográficos dentro de suas pesquisas. As fotografias podem concorrer ao 8º Prêmio Fotografia-Ciência e Arte, com inscrições abertas até 18 de janeiro. A premiação conta com duas categorias: imagens produzidas por câmeras fotográficas e produzidas por instrumentos especiais (ópticos, eletromagnéticos e eletrônicos). Os vencedores receberão R$ 8 mil para o primeiro colocado de cada categoria, R$ 5 mil para o segundo lugar, e R$ 2 mil para o terceiro. Outras informações: http://www.cnpq.br/web/guest/noticiasviews/-/journal_content/56_INSTANCE_a6MO/10157/6622344.


VOLTAR
Notisul - Um Jornal de Verdade
LIGUE E ASSINE (48) 3053-4400 Rua Ricardo José Nunes, 346 - Jardins de Pádova - Santo Antônio de Pádua - CEP: 88701-571 - Tubarão/SC
Copyright © Notisul - Um Jornal de Verdade 2017. Desenvolvido por Demand Tecnologia e Bfree Digital